Brasileiros escalam a quarta montanha mais alta dos Andes - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Montanha selvagem

Brasileiros escalam a quarta montanha mais alta dos Andes

O Bonete Chico, com 6779 metros é a quarta montanha mais alta dos Andes, mas é uma das menos escaladas. Grupo ainda escalou mais dois 6 mil andinos pouco conhecidos.

Fonte: Redação

A maior montanha dos Andes, o Aconcagua, com 6962 metros, é um dos destinos mais populares do montanhismo mundial. Escalada pela primeira vez em 1897, a montanha é frequentada por milhares de pessoas todos os anos e conta com bastante infraestrutura, como banheiros, acampamentos com cama, mulas para carregar os equipamentos e helicópteros de resgate.
 
Contrastando com isso, há montanhas apenas um pouco mais baixas que nem conhecidas são, como é o caso do Bonete Chico. Diferente da montanha mais famosa dos Andes, o Bonete Chico que tem apenas 183 metros a menos foi apenas conquistado, ou seja, recebeu sua primeira ascensão, apenas em 1978. Lá não há nenhuma infraestrutura e sequer há um caminho ou acampamentos demarcados.
 
Estas características do Bonete Chico foi o que atraiu o grupo que foi liderado pelo guia de montanha Pedro Hauck, da agência GenteDeMontanha. Ele foi procurado pelos integrantes, Vinicius Vieira, mineiro que vive em Brasília e Paula Kapp, gaucha que mora no Rio de Janeiro. Além dos dois, também participou a paranaense de Curitiba, que mora em Paranaguá, Greissy Caminski. O Grupo pretendia escalar o Pissis, a terceira montanha dos Andes, mas mudou de ideia quando o guia contou as características da região e a possibilidade de escalarem mais montanhas além do Bonete.
 
Apesar do nome “Chico”, que em espanhol significa “pequeno”, este estratovulcão é um dos maiores do mundo. O nome da montanha se dá por que ela tem um pequeno cume que se eleva de uma cratera formando um tipo de uma pirâmide semelhante à um chapéu de festa de criança, que em espanhol se chama “Bonete”_ Explica Pedro Hauck, líder da expedição. 
 
Por conta disso, a toponíma Bonete é bastante comum da argentina e inclusive a montanha com este nome mais conhecida fica em frente ao Aconcagua, o Cerro Bonete de 5100 metros, que é geralmente usada para fazer aclimatação para a mesma. O Bonete do Aconcagua e o Bonete Chico nada tem a ver uma com a outra, conta do guia de montanha.
 
O Bonete Chico fica cerca de 700 km ao norte de Mendoza, na província argentina de La Rioja. Se acesso se dá pela pequena cidade de Vinchina. Ali fica a porção Sul da chamada Puna de Atacama, uma região altiplanica seca e alta, onde a altitude base está orçada em 4200 metros. Ali fica a maior cratera vulcânica dos Andes e ao redor dela estão 6 cumes acima de 6 mil metros, dentre eles o Bonete Chico, quarta montanha mais alta dos Andes, o Pissis, terceiro e outros como Gemelos, Reclus, Veladero e Baboso, os últimos dois também escalados pelo grupo.
 
Contando com infraestrutura própria, um carro 4x4 e sem ajuda de terceiros, a expedição foi bem diferente das oferecidas pela empresa de Pedro. Não houve animais para carregar equipamentos, nem grande estrutura de base. Todos tiveram que carregar pesadas mochilas e participaram das decisões e o resultado foi muito bom.
 
Utilizando uma previsão de tempo fornecido por um telefone satelital, a equipe tomou decisões que influenciaram no sucesso das escaladas. Evitaram dias com tempo ruim e escolheram os melhores para fazer cume, como foi o caso do Bonete Chico, onde eles culminaram num dia sem vento, o que é muito raro naquela região.
 
Para aclimatar, eles escalaram o Cerro Baboso, de 6080 metros, montanha que não tinha registros de ascensões brasileiras. Após aclimatarem-se e alcançarem também o cume do Bonete, o grupo ainda escalou uma terceira montanha, o Cerro Veladero de 6430 metros, montanha de grande destaque na paisagem que apenas foi escalado pela primeira vez em 1986. No cume desta montanha, eles encontraram uma ruína inca, já descrita pelo conquistador.
 
Com os três no curriculum, o grupo aumentou suas experiências. Pedro Hauck, o guia, é o brasileiro que mais fez montanhas de 6 mil metros nos Andes. Ele conta com 39 em seu currículum. Vinicius Vieira acabou completando 7, Paula Kapp 6, todos escalados em menos de um ano e Greissy fez seu quarto 6 mil andino.
 
Saiba mais
 

Publicidade:


Publicidade

Publicidade