O desafio de Kilian Jornet e outros recordes no Everest - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Um novo recorde

O desafio de Kilian Jornet e outros recordes no Everest

O montanhista basco Kilian Jornet realizou um grande desafio ao escalar o Everest no último sábado, dia 20 de Maio, partindo da base da montanha, em Rongbuk até o cume e voltando ao Acampamento Base Avançado em apenas 26 horas.

Fonte: Desnível

O tempo que Kilian Jornet escalou o Everest foi impressionante principalmente por dois motivos: Não se encontrava bem a partir de 7700 metros, começou a ascensão partindo de Rongbuk, realizando 30 Km e 1400 metros de desnível a mais que outros ataques ao cume relâmpagos na montanha. 26 horas para superar 3748 metros de desnível é um tempo impressionante.
 
Não é a primeira vez que acontece uma ascensão relâmpago no Everest, no entanto, a ascensão de Kilian impressiona por que ele começou sua escalada no antigo mosteiro de Rongbuk, que fica a 5100 metros. Lá é onde chegam os veículos na face Norte do Everest e é um local habitável. 
 
Outras ascensões relâmpago na face norte do teto do mundo partiram do chamado Campo Base Avançado (ABC), um acampamento que fica a 30 km de distância de Rongbuk, atravessando um terreno de moraina glaciar cheio de rocha solta, gelo e poeira que as pessoas levam 2 dias para fazer. O ABC fica a 6500 metros. Só nesta “introdução” à escalada, o montanhista basco fez 1400 de ascensão vertical.
 
Como forma de justiça a outros feitos na mesma face da montanha, a revista Desnível listou outras 3 escaladas memoráveis. Porém o próprio meio de comunicação ainda foi enfático em afirmar que apesar de serem inesquecíveis, são incomparáveis umas a outras
 
1) Loretan e Troillet (1986): A dupla de montanhistas suíços escalou o corredor Hornbein, tecnicamente mais difícil em apenas 43 horas. 
2) Hans Kammelander (1996): Em apenas 16 horas e 45 minutos o mítico montanhista italiano escalou o teto do mundo e desceu em 6:45 horas  em esquis, totalizando 23 horas e meia no total. Ele partiu e voltou do ABC
3) Christian Stangl (2006): O alpinista austríaco escalou sem oxigênio em 16h42min e desceu em 6 horas. Foi uma ascensão incrível. 
 
Como a Desnível afirmou. Todas foram grandes ascensões, mas são incomparáveis, pois a de Kilian partiu de um local diferente.
 
Houveram também outras escaladas grandiosas na face sul nepalesa. No entanto Kilian abriu caminho para algo que há pouco tempo acreditava-se ser improvável, que é adicionar o longo trecho de aproximação ao ABC pelo glaciar Rongbuk. Infelizmente, na descida, ele teve que parar no acampamento localizado a 6500 metros, por conta da dor no estomago que ele começou a sentir ainda a 7700 metros de altitude. 
 
Será que ele voltará a tentar o cume nestas condições e finalizar este novo desafio?
 

Publicidade:


Publicidade

Publicidade