Andrew Rothner, Mikey Schaefer e Josh Wharton repetem a via do Compressor no Cerro Torre em livre

0

Os três escalaram em livre a enfiada chave da via e completaram a primeira repetição depois da histórica ascensão de David Lama e Peter Ortner de janeiro de 2012. Outras três cordadas repetiram a linha em artificial.

Passaram-se quatro anos desde a histórica temporada de 2012 no Cerro Torre, quando Hayden Kennedy e Jason Kruk retiraram os grampos colocados por Cesare Maestri em 1970 na via que acabou recebendo o nome de “via do Compressor” uma via polêmica que vira e volta é lembrada para discutir questões éticas na montanha. A dupla que há quatro anos escalou a via sem usar as proteções fixas instaladas através do compressor se achou no direito de retirar os grampos, o que causou mais polêmica ainda e deixou livre para que David Lama, que poucos anos antes havia causado grande polêmica por ter colocado grampos na montanha para que sua equipe de TV filmasse sua tentativa de escalada regressasse ao colosso de granito e desta vez escalasse no estilo mais limpo possível, limpando também a mancha deixada em seu nome durante a primeira tentativa.
 
 
Desde então a rota mais famosa do Cerro Torre só havia sido repetida pela cordada eslovena formada por Luka Krajnc e Tadej Kriselj que um ano depois seguiram os passos de Kennedy y Kruk e as ultimas enfiadas optaram pela variante de Lama e Ortner.
 
A nova via do Filo Sudeste se manteve durante dois anos em branco, mas parece que esta temporada uma tropa de escaladores quis resgatá-la de seu ostracismo. Um par de janelas de bom tempo permitiu que várias repetições tivessem acontecido, pelo menos quatro, das quais uma delas a primeira repetição em livre.
 
Primeira repetição em livre
 
Josh Wharton é um grande conhecedor da aresta sudeste do Cerro Torre. Em 2007 realizou com Zack Smith uma tentativa de escalar a via sem utilizar os grampos de Maestri. Naquela ocasião faltou os 120 metros mais difíceis para lograr o objetivo. O tempo fechou e o vento se intensificou e eles acabaram usando os grampos para chegar ao cume.
 
Nove anos depois, Josh Wharton  finalmente cumpriu seu objetivo e escalou a aresta sudeste do Torre sem usar as proteções fixas polêmicas, já que nem existem mais. Para lograr este desafio, ele se uniu com outro veterano patagônico, Mikey Schaefer  e um novato e talentoso escalador, Andrew Rothner, escalando a montanha no mais puro estilo limpo, apenas usando móveis e ainda por cima em livre.
 
De acordo com Rolando Garibotti, Andrew Rothner guiou a enfiada crux, cotada em 8a francês, livrando-a na segunda tentativa. Em sua primeira experiência de escalada alpina, Josh Wharon escalou de segundo e em flash enquanto que Mikey Schaefer, também de segundo, precisou de duas tentativas para encadenar.
 
Outras três repetições
 
Além da liberação de Wharton, Schaefer e Rothner, houve pelo menos três cordadas que repetiram a via do Filo Sudeste no Cerro Torre recentemente em artificial móvel. Foram eles o italiano Matteo della Bordella e o suiço Silvan Schüpbach, os argentinos Gabriel Fava e Martín López Abad e finalmente Roger Schaeli junto com três amigos. 
 
Aparentemente nenhuma destas cordadas seguiu a linha original de Hayden Kennedy e Jason Kruk no Headwall, mas sim utilizaram a variante de David Lama e Peter Ortner.
 
Veja mais:
 
 
Compartilhar

Sobre o autor

Redação - AM

Texto publicado pela própria redação do Portal.

Deixe seu comentário