Los Arenales, Positive Vibration

0

Chegando de mais uma temporada de escalada em terras Argentinas e com as energias renovadas. Grandes escaladas, novos e velhos amigos e muita historia para contar, mas que isso, a vibe do lugar é sensacional e contagia quem esta por lá. Esta foi minha segunda temporada em Los Arenales (Mendoza, Argentina) e a vibe do lugar parece aumentar a cada ano.

Poderia passar longas linhas descrevendo Los Arenales, mas já fiz isso ano passado (Ver http://altamontanha.com/colunas.asp?NewsID=2764). O que chamou minha atenção este ano para um novo texto foi à capacidade da montanha em unir pessoas que estão na mesma sintonia em prol de um único objetivo; ficar em paz.


Não é o grau que se escalada ou sua capacidade de estar mais disposto a grandes conquistas, mas a paz que todos buscam quando se esta onde se quer estar. Esta energia não é mérito só de Los Arenales, toda montanha, não importa em qual lugar do mundo esteja, se você for capaz de buscar a paz nestes lugares, a energia esta lá.

A rotina dura e diária destes lugares parece reacender a cada dia a felicidade de estar ali, bem perto destes grandes gigantes naturais que emanam tanta energia positiva. Acordar e ver o sol, preparar o próprio café da manha, arrumar a mochila e combinar a rotina de escalada podem parecer maçantes para alguns, mas esse pode ser o segredo da paz que escaladores e montanhistas buscam em suas empreitadas.

Vibração boa, energia positiva ou comunhão com seu Deus, o termo que mais gosto de usar é “Vibe”, este que resume bem oque todos os outros querem dizer, “vibração positiva” ou “Positive Vibration”, o que conhecemos como “pensamento positivo”.

Para não deixar no abstrato e trazer um pouco para o campo cientifico a “Vibe” ou “energia psíquica” emanada pelos seres vivos pode se entender como “Psicoenergia”.

Psicoenergia, energia psíquica ou energia vital é o termo utilizada para designar os aspectos da suposta energia gerada pelo pensamento e emoções. O termo é composto das palavras do idioma grego Ψυχολογ?α; ψυχ?, "alma", e εργοs (ergos)= en-ergo =energia, trabalho, movimento).

As pesquisas neste campo procuram apontar "uma provável forma de ação da energia psíquica, proveniente dos nossos pensamentos e emoções". Parte desta "suposta" energia também viria do exterior, dos ambientes por onde nos movemos, dos nossos semelhantes e outros agentes que nos direcionam, e parte procederia do nosso subconsciente.

Como outras formas de energia, também poderia ser classificada de boa ou má qualidade, positiva ou negativa, sendo que a característica da psicoenergia positiva ou boa teria como fonte geradora mais poderosa o amor, seguindo de estados emocionais como o otimismo, alegria sã, fé ou fervor, oração e etc. Já para o estado negativo da psicoenergia estariam relacionados condições ou estados em que ocorram o ódio, a inveja, o mau humor, o medo, a ansiedade, o estresse, sentimentos de culpa ou frustração, hábitos de lamúria e assemelhados. Estes não cabem muito ao ambiente Outdoor, talvez por isso alguns que se aventuram pelo ambiente de montanha não se adaptem bem, já que o sacrifício diário em prol de um objetivo muitas vezes se torna motivo de lamuria e frustração.

Esta energia, quando negativa ou de má qualidade, poderia criar bloqueios no sistema energético causando enfermidades em órgãos predispostos. Além disso, poderia provocar desequilíbrios no sistema de produção da química orgânica (metabolismo), como no caso dos neurotransmissores, gerando estados de poderiam ser descritos como espírito negativo, causando desde irritação, mau humor até a estados depressivos em todos os seus níveis. Também teria possibilidades de provocar dificuldades de concentração, excesso de sono ou insônia, pesadelos, enxaquecas e os mais diversos tipos de mal-estar, ou seja, explica muito algumas situações desgastantes que passamos com indivíduos não sintonizados com o ambiente que vem nas montanhas troféus e conquistas a serem mostradas como troféus de caça para uma sociedade que só se importa com o resultado final.

Busque nas montanhas um lugar de paz, não uma mera medalha a ser mostrada em seu clube ou site, procure lá sua paz, um motivo a mais para curtir suas férias ou tempo livre. Faça destes ambientes um refugio onde o sacrifício de um dia de escalada sirva como crescimento pessoal e muitas vezes profissional, para aqueles que vivem da montanha e nunca deixam de viver a energia do lugar.

Assim deve ser, viva a energia do lugar, viva o lugar e as conquista virão por naturalidade e consequência de um bom trabalho que você deve estar fazendo por lá. Se não der certo, bom, que fique para um próximo ano, você fez o seu melhor e curta o momento.

Quando chegamos de uma Trip pela Europa e meu parceiro de escalada Alexandre Trindade se acidentou na Urca, Rio de Janeiro, ele disse:
– Não vou com vocês para Arenales, mas estarei em Minas Gerais mandando energias positivas para você e Giovane na Trip, faz bonito lá por mim. Psicoenergia ou pensamento positivo; funciona e foi tudo que encontrei por lá (Valeu Trindade!).

Sai do Brasil com Giovanni Alcici e Joao Paulo ao encontro do amigo Yagua e sua filha Amora em Tunuyán. Chegando a Los Arenales, encontrei a turma de brazucas que estavam na mesma vibe; Eduardo Formighieri, Maicon Gonçalves Lisboa e Silvia Batalha, Livia Camargo e Julio Campanella, Bernardo Ramos e Raphael Picinatti Raposo, se tivesse combinado uma trip tão grande, não teria sido tão positiva quanto foi, boas escaladas e muitas risadas.

Um grande abraço a todos que estiveram comigo nesta temporada em Los Arenales, mas uma trip fantástica e um lugar fantástico e repleto de Vibe boa, Positive Vibration!

Kamon para novos desafios!
Força sempre e boas escaladas!

Atila Barros

Compartilhar

Sobre o autor

Atila Barros - Colunista

Atila Barros nasceu no Rio de Janeiro, e vive em Minas Gerais, cidade que adotou como sua casa. Escalador (Montanhista) há 12 anos, é apaixonado pelo esporte outdoor. Ele mantem o portal Rocha e Gelo (www.montanha.bio.br)

Comments are closed.