Tornando a água potável (e outras coisas)

0

Dicas sobre formas de tornar a água potável e uma rápida análise de um balde de tecido para transporte da água

(artigo clipado diretamente a partir do meu blog: http://www.blog.marski.org/?p=2090 )

A não ser que você tenha coletado uma neve recém-caída para obter água, a água não deve ser considerada potável.

Mesmo que o riacho ao lado de sua barraca no acampamento pareça cristalino, diversos parasitas podem estar a espreita para causar infecções instestinais. Você não tem como saber se há um banheiro ou fezes de animais em um local mais acima no riacho onde você está. A água pode estar contaminada, por mais limpa e cristalina que ela pareça.

A maioria das doenças relacionadas com a água é causada por:

Protozoários – Isso inclui Cryptosporidium e Giardia lamblia .Todos os protozoários são maiores que 1 micron.

Bactérias – Que causam doenças como diarréia e disenteria. A maioria das bactérias é do tamanho de 0,5 micron, sendo que algumas como a Campylobactor chegam a 0,3 micron ou menores ainda.

Vírus – Que causam doenças como hepatite e pólio, entre outras. Estão concentradas nos países em desenvolvimento.

A forma mais usual de purificar a água é através do uso do Hipoclorito de Sódio a 2,5%. Bastam duas gotas para cada litro de água e esperar cerca de 30 minutos antes de beber. Eu prefiro esse método. Normalmente filtro a água suja e barrenta com um coador de pano e na sequência purifico com cloro e muitas vezes com o SODIS (veja logo abaix0) também

Acabei de comprar por R$ 5,00 no supermercado da “esquina”:

Existe também os comprimidos de “Clor-in”, que são simples e fáceis de usar.

Outra forma de purificar a água é através do uso de Iodo a 2%, use 5 gotas para cada litro de água e também aguardar 30 minutos antes de beber. O problema do iodo é que ele deixa um gosto muito ruim na água e pessoas com problemas na tireóide (e mulheres grávidas) não podem utilizar esta forma de tratamento para purificar a água. Para piorar, alguns protozoários não morrem com o iodo (como o Cryptospodirum). Se necessário, o uso de filtros de carvão remove praticamente todo o iodo.

Ferver a água não é uma opção viável pois demanda o uso de combustível e a água ferve a baixas temperaturas em altitude (se for o caso, é claro)

Compare a eficiência dos tratamentos de água:

 ,

Método/Patogênia Protozoário Bactéria Vírus
Ferver , a 100ºC por , mais de 5 minutos Sim Sim Sim
Iodo A maioria exceto Cryptosporidium Sim Sim
Hipoclorito de Sódio entre 2,5 a 5% Sim Sim Sim
Filtro (1 micron) Sim Não Não
Filtro (0,2 micron) Sim Sim Não
Filtro (0,5 micron) Sim A maioria exceto Campylobactor Não
Filtro (1 micron ou menor usado com iodo ou hipoclorito de sódio) Sim Sim Sim

 ,

Uma outra forma muito eficiente de purificar a água é através do processo chamado desinfecção solar ou SODIS (do inglês solar disinfection) (www.sodis.ch/index_EN)

Este método está-se tornando muito popular, porque é barato, simples e exige pouco trabalho. A água tratada fica tão limpa quanto a água fervida.

Este método requer apenas garrafas de plástico transparentes (tipo as garrafas PET, não pode ser garrafas de vidro).

Basta encher a garrafa com aproximadamente três quartos de água, tampar e mexer com força por uns 20 segundos.  ,Sem seguida basta deixar esta água exposta à radiação ultravioleta emitida pelo sol. Em geral bastam 6 horas de exposição (ou menos, dependendo da sua altitude) para que a água esteja potável para o consumo. Claro que se você estiver em um local muito frio este método não irá funcionar pois a água irá congelar…

Por último, existem excelentes filtros mecânicos e híbridos fabricados pela Katadyn e pela Mountain Safety Research (MSR) (www.katadyn.com  , , , ,e , ,  ,http://cascadedesigns.com/MSR ), na foto abaixo estou filtrando a água no Acampamento Base do Condoriri, na Bolívia:

Lembre-se que a água oriunda da neve derretida (ou a água da chuva) é uma água muito pobre em sais minerais e deve ser evitada de ser bebida em sua forma pura.

Agora vem um outro “problema”, que é justamente levar a água até o local onde eventualmente será preparado o alimento, etc.. etc… Muitas vezes a água é retirada de um riacho, de um lago, da borda de um glaciar… , Claro, você sempre pode pegar uma panela e ir buscar a água, mas exite um balde portátil e feito de tecido exatamente com este objetivo, e o melhor de tudo: absurdamente leve e compacto !

É feito pela SeaToSummit , e o balde de 20Litros pesa apenas 110g. Ele vem em uma embalagem para transporte:

e ele aberto possui uma alça para tranporte e fica inclusive “em pé” , sozinho:

Inclusive ele possui marcação do lado interno de quantos litros já foram ocupados:

 ,

Esse balde é espetacular e certamente ele será muito útil nas minhas expedições :-)

Abs e bom uso (seguro) da água !

Hah… quase me esqueço de um dos itens mais importantes deste artigo: , não utilize sabão nem detergente (biodegradável ou não) para limpar as panelas, talheres, pratos, etc.. quando estiver em um ambiente natural ! Basta um paninho ou um pouco de areia para limpar uma panela ou prato… Se for indispensável utilizar algum produto químico para limpar os artigos de cozinha, POR FAVOR, faça a pelo menos 25m de distância de qualquer curso de água, rio, riacho, veio de água, etc… a natureza, os animais e o frágil ambiente de montanha agradecem !

Para saber mais sobre mínimo impacto os sites abaixo são show:

www.pegaleve.org.br/

www.lnt.org/

Agora sim, um abs !

 ,

Davi Marski

www.marski.org

www.blog.marski.org

Compartilhar

Sobre o autor

Davi Marski (In Memorian) Era guia de montanha e escalador em rocha e alta montanha (principalmente nos Andes) desde 1990. Além de guia de expedições comerciais, ele ministrava cursos de escalada em rocha. Segundo ele mesmo "sou apenas mais um cara que ama sentir o vento frio que desce das montanhas". Davi levava uma vida simples no interior de São Paulo e esforçava-se por poder estar e viver nas montanhas. Davi nos deixou no dia 19 de Novembro de 2014.

Comments are closed.