Via Aqualung – D3 4 V+ E2/E3 580m

0

Via Eclética de abaulados, agarrinhas, varias chorreiras e aderência estilo Petrópolis. Bem protegida nas partes difíceis e mais exposta nas fáceis. Foram 4 investidas entre Maio e Junho de 2015, a primeira com a participação do Alan Tocantins, escalador de Petrópolis, da segunda em diante fomos só eu e Igor. Sem sombra de duvidas uma das Vias longas mais bonitas de Petrópolis.

Da 1ª até 3ª enfiada, a Via é bem Fácil, 3°, poucas proteções, somente um grampo de 3/8” protege a primeira enfiada, aderência, regletes e abaulados, as agarras boas começam da terceira enfiada para cima. Na 4ª enfiada o grau sobe um pouquinho, lances de  4+, boa aderência, agarras e abaulados. Na 5ª enfiada fica um pouco mais difícil, 5+ de agarrinhas e aderência, bem protegida com chapeletas. 6ª enfiada outra enfiada de 5+, vertical, começa ao lado do diedro, protegendo com friends  #1 e #6, (Metollius) depois segue protegendo em chapas, nessa parte a Via segue por um lindo veio de chorreiras, (muito parecido com os da Via Impermanência de todas as Formas no Cantagalo Oeste). 7ª enfiada – A Via sai para direita, seguindo o veio de agarras, não da para ver a proteção seguinte, mas ela não esta longe, costure e continue mais um pouco para esquerda e depois suba reto e volte novamente para esquerda até chegar na parada que fica na base de outra chorreira (existem varias nesse ponto da parede). 8ª enfiada. Com lances bem verticais, 4+, 5+, segue pela chorreira, mas as vezes tem que se passar para chorreira do lado e voltar (são varias paralelas), essa parte é muito bonita. 
 
Havia chovido muito nos dias anteriores a terceira investida e a parte Final da parede estava muito molhada, mas mesmo assim conquistamos três enfiadas nesse dia, tendo que escalar em trechos bem molhados, com água escorrendo na parede (daí o nome da Via), mas mesmo com todo empenho tivemos que voltar faltando cerca de 100 metros para acabar, pois esta parte da parede estava molhada demais e era de pura aderência. Resolvemos esperar até as chuvas pararem. 
 
Na ultima Investida subimos sábado a noite para Petrópolis, no domingo de manha voltamos para finalizar a Via. Chegamos à base as 7h15, tomamos café da manha, nos equipamos e começamos a escalar. As 3 primeiras enfiadas fizemos a francesa, depois seguimos de parada em parada até P10, onde tínhamos parado na investida anterior. 11ª e 12° enfiada – nesse ponto a Via sai do sistema de chorreiras, pois uma Via a esquerda segue por elas. Saindo da “P10” ainda se sobe pela chorreira por uns 8 metros, então se faz uma horizontal para direita até chegar a uma chapeleta, nesse ponto a Via segue em aderência 4°, 5° (estilo aderência petropolitana) ainda para direta, por mais duas chapeletas, depois volta um pouco para esquerda até chegar em P11. Essa enfiada tem cerca de 60 metros. A ultima enfiada é um 4°, 4+. Saindo da parada para direta logo tem uma chapeleta, depois é só seguir reto, vão ser mais 3 proteções até chegar no mato, onde se sobe mais uns 15 metros até chegar na ultima parada. Daí para cima possível caminhar até o cume e descer pela caminhada, mas melhor levar um facão.
 
 
Via Aqualang: D3 4 V+ E2/E3 500m
 
Conquistadores: Alex Ribeiro, Igor Plesky e Alan Tocantins
Data da Conquista: 14/06/2015
Material necessário: 10 costuras (metade longas), Friends Metollius #1, e #6, 01 corda de 60 metros. Pode ser rapelar da via de qualquer ponto com apenas uma corda, grampos de ½” no meio das enfiadas permitem rappel sem abandono de material. Quase todas as paradas da Via são duplas exceto P5 e P12.
 
Agradecimentos:
 
Jorge Fernandes pelos grampos
Mario Arnaud (Casa do Montanhista) pelas chapeletas.
 
Acesso: Petrópolis-RJ, a Via fica na Região do Vale do Cuiabá, mais especificamente no Vale da Tapera. Aproximadamente uma hora de trilha por dentro da floresta.  Para mais detalhes ver fotos com traçado da trilha.    
 
Compartilhar

Sobre o autor

Cris e Alex Ribeiro - Colunistas

Alex e Cris se conheceram na escalada já faz 4 anos, desde então realizaram varias escaladas e conquistas juntos pelo pais. Alex escala e faz montanhismo a 23 anos, já praticou todos os estilos, Boulder, esportiva, artificial, big wall, clássica, mas seu tipo de escalada preferido são as clássicas, de preferência as paredes longas. Já conquistou algumas coisas por ai e por ali. Cris começou a escalar a cerca de 4 anos, e foi numa festa do grupo de escalada que conheceu Alex, Cris gosta de vias clássicas e de conquistar. Junto com seu marido Alex tem conquistado varias vias pelo Brasil. Website: http://aberturadevias.blogspot.com.br/

Comments are closed.