Carretera Austral: De Santa Lucía à La Junta

0

Acompanhe os relatos de Aline Souza em sua cicloviagem pela Carretera Austral desde o começo:

Carretera Austral de Bike

Dia 8 – 30/12/2018

  • Trajeto: de Santa Lucía à La Junta
  • Distância: 69km
  • Acumulado de subidas: 619m
  • Acumulado de descidas: 802m
  • Terreno: asfalto

Depois de capotar as 21h na noite anterior, acordei revigorada, estava realmente precisando de uma boa noite de sono.

Havíamos combinado de tomar café as 8h, fui ajeitando minhas coisas e as 8h subi. A mesa estava posta, lindo de se ver. Água quente para o café (por aqui sempre solúvel) ou chá, pão quentinho, ovos mexidos, manteiga, queijo e panqueca de doce de leite. Estava morrendo de fome (como sempre), comi tudo.

Depois do café, recolhi minhas roupas sequinhas perto do fogão a lenha e fiquei de papo com os holandeses. Olhava para fora e não tinha a mínima vontade de sair naquela chuva. Sentia medo de encarar a chuva e o frio novamente.

Os holandeses começaram a se ajeitar para o pedal, não tinha jeito, a chuva não iria parar e tínhamos que partir. Me preparei melhor dessa vez, utilizei um sapatinho de neoprene 2mm como meia (havia comprado pensando em usar por cima da meia nos campings, para não molhar a meia), blusa térmica, calça, anorak, saco plástico nos por cima da sapatilha e por cima de tudo o poncho, que já estava e rasgando.

Aproveitamos uma brecha da chuva e saímos.

O trajeto para o dia seria bem light, tudo asfalto, sem nenhuma subida forte.

Já na saída da Villa a paisagem era encantadora. Muitas montanhas por onde jorrava água por todos os lados. Fiquei imaginando se haviam tantas cachoeiras por ali ou toda aquela água era por conta da chuva da noite anterior. Quando via as cachoeiras passava devagar, admirando. Tirar fotos sempre algo difícil com chuva, mesmo assim não consegui me conter em alguns momentos.

Mesmo chovendo e nublado a paisagem com ares bucólicos estava maravilhosa.

Seguimos com chuva por todo o dia, mas uma chuva tranquila, controlada. Como não subimos muito não teve nenhuma sensação me extremo frio. Claro que o fato de eu ter me agasalhado melhor também ajudou.

Lá pelo km 40 conheci o @nestor_giraventura, cocloturista, brasileiro, com um projeto de ir até o Ushuaia. Ficamos de papo por uns bons quilômetros e certamente teríamos papo para muitos outros (milhares), mas paramos num ponto de ônibus para verificarmos o freio de Julien que não estava muito bom e Nestor seguiu.

Faltavam cerca de 20km para nosso destino final e estava bem cedo. Como praticamente não paramos nosso dia rendeu. Sugeri aquecemos água para prepararmos um café, Julien topou. Esse foi nosso primeiro café na estrada, espero que seja o primeiro de muitos, adorei. Estava sentadinha esperando a água aquecer quando vi que nossa escolha de local tinha sido ótima, a paisagem era super bonita.

Ali também decidi abandonar meu poncho (levei para jogar no lixo, claro), já estava todo rasgado. Julien me fez uma proteção nova, com uma manta térmica, olha que bonita que ficou:

Pensa eu pedalando na estrada com essa capa reluzente e barulhenta. Sucesso total.

Antes do destino final ainda passamos por paisagens bem bonitas, aproveitei para fazer alguns registros.

Em La Junta, paramos para escolher nossa hospedagem, ficamos com a opção mais barata (das 3 disponíveis no iOverland), tinha bons inebriaríeis. Mas ao conversar com a dona ela nos cobrou o dobro e o lugar era bem xexelento, já tínhamos guardado a bike, não quis voltar a trás. Tudo bem, está valendo, é só para dormir e descansar o corpinho.

Fomos ao mercado e fizemos umas comprinhas para a noite e para o dia seguinte.

Hoje foi minha noite de cozinhar, fiz lentilha rosa com legumes (e os temperinhos mágicos que trouxe de casa). Também cozinhei ovos para o dia seguinte, isso sempre nos salva. Vinhozinho meia boca para acompanhar e relaxar, merecemos.

Barriguinha cheia, chovendo lá fora, sem muito mais para se fazer fomos dormir.

Continue lendo clicando na imagem abaixo:

Carretera Austral: De La Junta à Puyuhuapi

Compartilhar

Sobre o autor

Aline Elétrica

Aline Souza, mais conhecida como Aline Elétrica por ser engenheira elétrica é uma multi atleta de Florianópolis - SC. Ela pratica corridas de aventura, trekking, ciclo turismo e escalada em rocha. Siga ela no Instagram @alineeletrica

Deixe seu comentário