Livro Sete Anos no Tibet

0

Resenha e crítica do livro Sete Anos no Tibet de Heinrich Harrer, que deu origem ao filme protagonizado por Brad Pitt.

por Tatiana Batalha
 Trocando mensagens com amigos sobre as montanhas, escaladores, histórias de exploradores e aventureiros, e livros de montanha, surgiram a ideia de escrever sobre o quê já li ou tenho lido, sobre as montanhas e seus conquistadores. Não gosto muito da palavra conquistador, pois para mim as montanhas não estão aí para serem conquistadas. Estão aí para serem visitadas, observadas, caminhadas, respeitadas, experimentadas! Bom, tenho lido muitos livros sobre montanhas ultimamente, um acaba puxando outro. Ou durante viagens para as rochas e montanhas alguém fala de algum tema, e surgem novas histórias e novos títulos para serem apreciados nos intervalos em que não estamos ao vivo andando pelas montanhas. Fiquei pensando aqui sobre qual escrever primeiro. Muitas ideias, e muitos livros vieram na cabeça, mas não dá para falar de todos de uma vez, então, respirei fundo, dei uma pausa nas ideias e deixei vir à mente algum dos que estão frescos na memória. Os que já estão armazenados a mais tempo na cabeça, merecem mais uma leitura, ainda mais aqueles que foram muito bons. Para relembrar o porquê ficaram tão marcados em minha memória que mereceram ser compartilhados com os amigos das montanhas e amigos da vida.
 Para começar a por em prática a ideia de falar sobres livros de montanhas e pessoas das montanhas, resolvi escrever alguma coisa sobre um livro que está fresquinho. Começo contando como foi que resolvi ler ele. Em dias de muita coisa estranha acontecendo no planeta, fica difícil encontrar algo bom para assistir, se distrair (enquanto não dá para ir para as montanhas!). Mas se procurarmos com paciência, sempre encontramos algo falando sobre coisas boas, e uma delas são os programas que relatam as experiências na natureza, nas rochas e montanhas… Somado a isso, ultimamente uma forte curiosidade de minha parte sobre o budismo como uma filosofia de vida, e uma propaganda vista por acaso sobre o filme “Sete Anos no Tibet “ , resolvi assisti-lo novamente. Foi um “chamado“… Eu já nem lembrava mais dos detalhes da história, mas como nele as montanhas, a vida do Dalai Lama, o budismo e a vida no Tibet estão presentes, resolvi assistir. Eu só lembrava , achava que lembrava, que era sobre um jornalista ( não lembrava nada mesmo !!! ), que foi para as montanhas e ficou por lá algum tempo. Nossa…. Quando comecei a assistir me dei conta que criei outra história para o filme. Fiquei surpresa , quando vi que na verdade era a história de um alpinista, que acabou preso na época da Segunda Guerra e na tentativa de fuga, acabou realizando seu sonho de conhecer os Himalaias e a cidade de Lhasa, e ainda foi ser professor do Dalai Lama. Bem resumido o filme nessa linha aí só para dar uma introdução ao assunto. Foi então que conversei com uma amiga sobre o filme, e ela me disse que uma outra pessoa lera o livro e falou que muita coisa no filme não está no livro, e salientou que a história com a mulher não era real. Fiquei curiosa, pois no filme o personagem principal feito por Brad Pitt (o alpinista que escreveu o livro, Heinrich Harrer ) meio que tem uma disputa com seu amigo de fuga e jornada pelas montanhas , por uma Tibetana que acaba casando com o amigo do Brad. Chegando a ser engraçado a disputa entre eles em vários momentos do filme. Eu com um gosto particular por histórias reais que viram filmes, curiosa pelas escaladas, curiosa para saber como foi realmente a história dos amigos e a tal mulher, e como o alpinista foi parar na casa do Dalai Lama para ser seu professor, resolvi ler o livro. Achar o livro foi uma saga, esgotado!!! Mas nada que uma procura na internet não resolva, e em alguns dias um livro usado mas em ótimo estado estava em casa, pronto para ser devorado.  Já no começo do livro fui surpreendida por um mapa com o trajeto na base dos Himalaias, às margens do rio Bramaputra, percorrido por Heinrich Harrer, esquiador e alpinista austríaco que registrou a sua aventura. Aventura vivida por ele e seu companheiro de expedição Aufschnaiter. Com preâmbulo de Dalai Lama falando sobre seu contato com Heinrich, introdução falando sobre a relação entre Europa e Ásia naquele momento histórico, prefácio do próprio Autor falando sobre as motivações que o levaram para as montanhas. Previ que a leitura seria um grande aprendizado. Devorei o livro em poucos dias. Foi mais que aprendizado, foi ser levada para os Himalaias e subir algumas de suas montanhas, percorrer as ruas da Cidade Perdida de Lhasa, entender um pouco mais das tradições orientais.
 Um livro recheado de informações sobre fatos da Segunda Guerra mundial na região da Índia, sobre disputas entre Alemães e Ingleses, enquanto acompanhamos as peripécias  e a saga dos amigos fugitivos, que à pé subiram e desceram as montanhas geladas dos Himalaias, sonho de infância do autor, até a chegada à Cidade Proibida de Lhasa, no Tibet. Somos transportados no tempo e espaço para os campos percorridos e montanhas escaladas. Os equipamentos usados, os improvisos nas roupas e acampamentos, uma história do alpinismo na região dos Himalaias. Para quem já esteve pelos Himalaias é como retornar lá e poder experimentar de novo a cultura oriental, a forma de viver dos povos da região, suas tradições e como encaram a vida. Para quem ainda não conhece e também para quem conhece, dá aquela vontade de pegar o mapa das primeiras páginas , arrumar a mochila e pegar um voo para o Nepal, Índia ou Tibet, e fazer a travessia às margens da cadeia montanhosa dos Himalaias, seguir o Rio Bramaputra e após dias de peregrinação chegar em Lhasa! A transformação de um Ocidental ao vivenciar os costumes do povo tibetano e como as mais diferentes situações foram acontecendo até culminar no encontro do alpinista e o jovem e curioso Dalai Lama. Muito bom livro, que nos leva a conhecer um pouco mais dessa grande personagem mundial que é Dalai Lama, e como aconteceu a invasão do Tibet pelos chineses, que levaram à fuga do Grande Líder para a Índia. Agora, sobre a disputa dos dois amigos pela Tibetana…. Isso vão ter que descobrir lendo o livro… Na verdade, não era sobre essa disputa que a minha amiga havia comentado… Era sobre outro fato interessante que no filme parece ser o fio condutor da história … Mas no livro…. Leiam para descobrir! Uma ótima leitura , recomendo para os alpinistas, escaladores, aventureiros, amantes das montanhas que estiverem em sua pausa de ascensões ou em suas barracas aguardando para subir mais uma montanha… Recomendo também para os curiosos sobre os ensinamentos do Dalai Lama e budismo… E também para aqueles que gostam de uma boa leitura!

Capa do livro Sete Anos no Tibet – Fonte: Editora LPM

Sete Anos no Tibet
Heinrich Harrer
Compartilhar

Sobre o autor

Tati Batalha - Colaboradora

Tatiana Batalha, natural de Mogi das Cruzes SP é médica ortopedista e montanhista, tenho escalado diversas montanhas como Aconcagua, Huayna Potosi, Acontango, Kilimanjaro e outras.

Comments are closed.