Acidentes em Cachoeiras: O que fazer?

0

Nessa semana começou o verão, época de férias e calor em que muitas pessoas buscam a natureza para se divertir. Uma das atrações mais procuradas são as trilhas com cachoeiras, entretanto há alguns riscos que podem transformar o simples passeio em um pesadelo.

Por isso conversamos com o Bombeiro do Grupo de Operações de Socorro Tático (GOST), Rafael Barbaroto, para pegar algumas dicas de como prevenir e o que fazer quando há um acidente dessa espécie. De acordo com ele, os acidentes mais comuns e também mais perigosos são os afogamentos, as lesões na coluna e os traumatismos craniano. Todos esses acidentes podem resultar em morte.

A prevenção sempre é o melhor remédio. Por isso, ele aconselha que não se faça mergulhos de cabeça por exemplo. O mergulho em águas rasas é um dos maiores causadores desses acidentes. Então se você gosta de pular de ponta e não abre mão dessa adrenalina, é aconselhável que você faça um mergulho exploratório primeiro, analisando se não há pedras, galhos e outros obstáculos escondidos na água.

O segundo ponto é nunca superestime sua capacidade de natação. Normalmente os afogamentos acontecem com pessoas que se consideram ótimas nadadoras, porém se você não conhece o local, inúmeros fatores podem influenciar na sua capacidade de nadar.

O que fazer?

Primeiramente é necessário tirar a pessoa da água. Todavia só faça isso se você tiver condições seguras de acessar o local e ajudar.

Banhos de cachoeira são ótimos mas é preciso ter cuidado.

Em caso de Traumatismo Craniano

Se você esta no meio do mato e alguém cai ou mergulha e bate a cabeça, é importante identificar alguns sintomas: a pessoa fica agitada, começa a se debater ou se contorcer, as pupilas podem ficar dilatadas, com um tamanho diferente em cada olho ou não reagente a luz, podem aparecer hematomas atrás dos olhos ou da orelha mesmo que não tenha batido aquela parte, pode haver vômito, além da pessoa ficar  desorientada e desconexa.

Se a pessoa bateu a cabeça e apresenta um ou mais desses sintomas é preciso encaminhá-la imediatamente para o atendimento médico. O ideal é chamar o serviço de emergência 193 para que eles façam o acompanhamento e oriente as ações mesmo que a distância.

Em caso de Lesões na Coluna ou Trauma Raquimedular

Nesse caso é importante tirar a pessoa da água com muito cuidado, manipulando-a o mínimo possível e de preferência se mexer o pescoço. Se possível, pode se improvisar uma forma de imobilizar a pessoa até que o socorro chegue.

Não é recomendado que você carregue essa pessoa até o seu carro e faça o transporte até o hospital, pois as lesões podem aumentar causando sérias sequelas.

Afogamentos

Mesmo que você seja um exímio nadador, não entre na água para retirar a pessoa se afogando e em desespero. Mantenha a calma e utilize um galho, uma corda ou algum objeto flutuante para “pescá-la” da água. Muitos acidentes acontecem quando alguém entra na água para ajudar outra que esta se afogando e ao se debater uma mata a outra.

Caso a pessoa esteja desacordada dentro da água, é possível entrar para ajudar. Todavia só faça isso se você souber nadar e tiver boas condições físicas para isso.

Após retirar ela da água é importante analisar os sintomas. Se ela estiver consciente e apenas tossindo e assustada, o pior já passou. Basta acalmá-la e aquecê-la. Mas se ela tiver tossindo e expelindo uma espécie de espuma da boca ou nariz ela precisa ser encaminhada para o hospital imediatamente.

Se a pessoa estiver desacordada e com parada respiratória ou cardíaca é importante realizar os procedimentos de ventilação mecânica, a respiração boca a boca e as compressões torácicas, também conhecida como massagem cardíaca. Caso ela esteja apenas desacordada, mas sem parada respiratória ou cardiaca é preciso manter ela em uma posição de segurança, ou seja com o corpo deitado do lado direito e com o próprio braço apoiando a cabeça até que o Corpo de Bombeiros chegue.

Compartilhar

Sobre o autor

Redação - AM

Texto publicado pela própria redação do Portal.

Deixe seu comentário