Alex Honnold lançará série de podcasts

0

Os podcasts caíram no gosto da população e vem se disseminando cada vez mais. Os programas gravados em áudio debatem os mais diversos assuntos. Um formato muito procurado por quem não tem tanto tempo para ler jornal ou assistir a filmes e seriados na TV. Assim, agora os fãs de podcasts e amantes da escalada terão mais uma opção para ouvir.

Climbing Gold, novo seriado de podcast.

Ninguém mais nem menos que o escalador Alex Honnold será o mediador de um podcast. Ele se juntou com Fitz Cahall e gravou um série com dez programas sobre a história da escalada. O podcast chamado Climbing Gold será lançado no próximo dia 26/03.  Em cada um dos episódio os dois falaram sobre personalidades e atletas da escalada de diferentes gerações, no qual os ouvintes farão um viagem desde o principio da escalada até os atletas atuais.

“A escalada é uma mistura incrível de aventura e atletismo e é interessante ver como essa proporção mudou ao longo dos anos”, disse Honnold  . “À medida que a escalada entra nas Olimpíadas deste ano, o foco está principalmente no esportismo dos atletas, mas acho importante lembrar que a escalada tem suas raízes no montanhismo e na exploração ”, complementou.

Cahall já é um veterano com a série de podcast The Dirtbag Diaries. Lançada em 2007, os programas falam sobre as mais diversas atividades como escalada, hike, Ski, ciclismo, corrida e viagens. Infelizmente, ambos os podcast são gravados apenas em inglês. Todavia, essa é uma ótima chance para quem gosta de escutar podcasts treinar seu inglês e ainda saber mais sobre a história da escalada ou sobre o mundo outdoor.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário