Sobre o Autor

Colunistas
Governo nepalês abre novas montanhas para escalada
Por

Não ache que fila é só coisa de banco brasileiro. Isso também acontece, e muito, na maior montanha da Terra. Atualmente, além de precisar desembolsar US$ 50 mil para escalar o Everest, você ainda precisa enfrentar uma fila de 200 pessoas a 8.000 metros de altitude. E não pense que linchamento é algo restrito aos bairros mais pobres do Guarujá – você pode ser agredido fisicamente também no Everest. Foi exatamente o que aconteceu no ano passado, quando três alpinistas de elite, entre eles o suíço Ueli Steck e o italiano Simone Moro, tentaram escalar a montanha por conta própria e quase foram linchados por cem sherpas a 6.500 metros. Também não ache que lixo a céu aberto é uma visão exclusiva de grandes cidades de países em desenvolvimento. No Everest, você encontrará toneladas de lixo espalhadas pelo caminho até o cume, localizado a 8.848 metros.

Artigos
Treinamento e preparação para montanhas de altitude
Por

É, às vezes sou sincero demais e falo as coisas do jeito que elas são sem mastigar muito a forma que digo tudo. Mas não é hoje que vou mudar isso. Aqui vão algumas verdades e tudo o que deve fazer e não fazer antes de querer aventurar-se em grandes altitudes e sentir-se uma criança novamente pensando “Por que não fiz isso antes?”

Colunistas
Terremoto nas montanhas!
Por

Já pensou sentir um terremoto enquanto você escala uma montanha? Poucos sabem, mas a maior tragédia da história do montanhismo também foi causada por um terremoto. Foi no Pik Lenin, no Tadjiquistão, em 1990. Uma avalanche causada por um terremoto acabou cobrando de uma só vez com a vida de 43 pessoas.

Colunistas
Plantão Médico nas alturas
Por

Quando se escolhe ser guia de montanha, é preciso aprender de tudo um pouco na marra. Mesmo sem querer, várias habilidades acabam sendo aprendidas por necessidade nas grandes altitudes. Chegamos a aprender dezenas de curiosidades sobre neve e gelo, além de muito sobre dinâmica de grupo, pois ficamos lá por até dois meses. Também aprendemos a arrumar aparelhos como computadores, antenas satelitais e geradores. Contudo uma das coisas mais importantes para se aprender tem a ver com emergências médicas. Não é comum que apareçam alguns pacientes com pneumonia, males digestivos ou problemas de altitude. Eu mesmo já tive que fazer coisas bem mais malucas, como extrair dentes, suturar dedos e até mesmo tratar casos extremos de hemorróidas!

Colunistas
Cego no Tadjiquistão
Por

De todos meus piores momentos, acho que este que agora vou contar foi o mais confuso. Montes Pamires, Tadjiquistão, agosto de 2006, terceira semana de escaladas. Éramos um grupo de escaladores de várias nacionalidades e finalmente tínhamos conseguido montar nosso sexto acampamento durante a escalada de um pico de 7000 metros.

Colunistas
Queime o seu mas não queime o montanhismo
Por

Deixo claro que não consumo, jamais consumi porém de certa forma respeito esportistas que optam em consumir drogas ilícitas. A intenção desta coluna não é a de criticar ou discriminar o número cada vez mais crescente de escaladores de rocha brasileiros que consomem cannabis, mas sim alertar sobre a imagem do esporte que está sendo denegrida pelo alto de consumo de tal droga em locais populares de escalada.

1 2 3 5