Escalador sobe em prédio para chamar a atenção sobre o Coronavírus

0

O mundo é cheio de pessoas excêntricas com gostos exóticos e às vezes até mesmo duvidosos ou  perigosos. Entre eles está o francês Alain Robert com sua mania de escalar fachadas de edifícios em solo. Ontem (04/02), ele escalou novamente o prédio Agbar Tower em Barcelona, mas a aventura acabou com a prisão do escalador.

Escalada proibida e perigosa para chamar a atenção para o Coronavírus.

Essa é a quarta vez que Robert conseguiu escalar esse prédio com 144 metros de altura. Ele não utilizou nenhum equipamento de segurança ou corda e levou 47 minutos para subir e descer. A escalada foi transmitida por vários canais de youtube, inclusive jornais de grande circulação na Espanha.

Robert tem 57 anos e é conhecido como o “homem aranha”. Ele já escalou mais de 100 estruturas urbanas, incluindo o Empire State Buildin (Nova Iorque) a Petronas Twin Towers (Malásia) e a Torre Eiffel (Paris), entre outros. No Brasil, ele escalou o prédio da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) em 1996 e o edifício Itália também em São Paulo em 2008.

Robert sendo preso após escalar prédio da Fiesp no Brasil em 1996.

O homem aranha francês possui em seu currículo mais de 100 prisões por escalar em locais proibidos e não foi diferente na tarde de ontem. Ao chegar ao chão novamente ele foi preso pela polícia Catalã. Por outro lado, o público que assistia a escalada aplaudiu o feito enquanto Robert era levado.

Por uma boa causa

Apesar de parecer uma insanidade, Robert leva a sério as suas escaladas de prédios em solo. Ele também pratica a escalada em rocha, quase sempre sem cordas ou equipamentos de proteção. Assim, o escalador treina intensamente para não cair de forma alguma. Por isso, ele inventou métodos de treinamento com armadilhas na base das paredes. Pois, deste modo ele não pode ceder ao psicológico e parar ou desistir.

Treinamento de Alain Robert.

Ele também associa as escaladas a uma forma de protesto e de chamar a atenção para temas importantes. Dessa vez a intenção do escalador era cobrar os governos e cidadãos para que tenham mais responsabilidade em relação ao surto de coronavírus. Entre as principais mensagens ele alertou que “medo é mais contagioso do que Coronavírus”.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário