Escaladores de São Bento do Sapucaí divulgam Carta Aberta com pacto para não escalar durante a pandemia

0

A cidade de São Bento do Sapucaí no estado de São Paulo possui diversos atrativos turísticos naturais e setores de escalada. O ponto mais famoso é a Pedra do Baú, com seus vizinhos Bauzinho e Pedra da Ana Chata. Esses possuem diversas trilhas e inúmeras vias de escalada. Porém, há outros locais como falésias e morros também procurados pelos aventureiros. Assim, além de proporcionar diversão para os escaladores e montanhista, as atividades de ecoturismo e de turismo de aventura geram renda e emprego para muitos moradores da região.

Pedra do Baú vista desde a base – Foto: Gustavo Procat

Apesar de estar localizada próximo ao epicentro do contágio por Covid-19 no Brasil, há apenas um caso da doença confirmado no município. Porém, a cidade não possui UTI e a estrutura hospitalar existente é pequena para atender a um possível surto. Por esse motivo, a comunidade de escaladores residentes no local decidiu postergar a volta às atividades, a fim de proteger as pessoas mais vulneráveis. “Temos que cuidar de quem sempre nos abriu a porteira com sorriso no rosto. Nosso esporte não está acima do bem-estar dessas pessoas”, falou o escalador e guia Eliseu Frechou.

A Carta Aberta

Para isso, os escaladores da cidade se reuniram e publicaram uma Carta Aberta se posicionando contra a volta das atividades de escalada. As recomendações valem tanto para as áreas publicas como em setores localizados em propriedades particulares.  O principal motivo dessa decisão é manter os moradores das áreas mais afastadas seguros e também evitar conflitos com proprietários locais.

“Temos já há muito tempo, uma comunidade que se conversa quando este tipo de problema aparece. Antigamente este tipo de posicionamento era muito pessoal, hoje é coletivo, o que é infinitamente melhor. Pois em temas polêmicos como este, no qual ainda há pessoas com dúvidas e outras com segundas intenções, é importante uma palavra definitiva de quem mora aqui há anos, realmente convive com as pessoas da cidade e tem um entendimento diferente das diversas situações que tivemos de resolver”, revelou o escalador São-Bentista.

Frechou lembrou que foi preciso um árduo trabalho junto aos moradores para liberar o acesso aos locais de escalada e que sete setores já foram fechados por moradores devida a falta de respeito a regras. Ele comentou ainda que a população de São Bento do Sul possui costumes diferentes ligados a fortes vínculos familiares e regionais. “Neste momento há um grande sentimento de que a COVID irá chegar aqui por turistas (escaladores incluídos). Mesmo para nós sendo óbvio que não são só turistas que vem ou viajam a áreas de risco, não queremos este estigma, então vamos manter o isolamento”, declarou o escalador.

Vista do principal ponto turístico da cidade – foto: Gustavo Procat.

Esperar o governo reabrir alguns picos de escalada está entre as recomendações

Entre as principais recomendações da Carta Aberta é que a volta a escalada seja realizada apenas quando houver um abrandamento da quarentena. Entretanto, eles pedem que as atividades comecem pela Pedra do Baú, Bauzinho e Ana Chata. Esses três setores não estão localizados em propriedades particulares e possuem um amplo espaço, onde é possível manter um distanciamento entre os escaladores.

“ A decisão de abertura do MONA Pedra do Baú compete ao Governo do Estado de São Paulo na figura da Fundação Florestal, baseada em regras sanitárias aceitas por técnicos e não a pessoas com interesses e vontades próprias apenas”, complementou o escalador.

Os escaladores também estão de acordo em escalar na Pedra da Divisa, Quilombo, Quilombinho, Vista Aérea, Lagarto, Olhos, Bigode, Monjolinho e outros, apenas após a autorização dos proprietários. Todavia, eles pedem ainda que isso seja feito em conjunto, e que ninguém vá até as propriedades até ser definido as normas para reabertura dos setores.

“Essa conversa com os proprietários, um a um, só terá início quando o governo estadual sinalizar que está seguro, e quais as precauções devemos tomar. Essas conversas serão feitas por uma comissão de escaladores locais”, contou Frechou.

“Estamos passando pela mesma vontade e abstinência dos que querem vir pra cá nesse momento e ainda não entenderam que o código de conduta aqui é diferente. Eles terão de esperar como todos nós que aqui nascemos ou estamos há décadas”, finalizou.

Hoje uma nova Carta foi divulgada pela comunidade de Escaladores de São Bento do Sapucaí com atualizações sobre a reabertura dos setores de escalada. Porém, os setores deverão permanecer fechados por mais um tempo e a policia ambiental ira intensificar o patrulhamento das regiões e autuar quem desrespeitar o bloqueio . Confira ela na íntegra Carta-Aberta-MONA.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário