Escaladores se mobilizam para comprar nova prótese para Paraclimber

0

O paraclimber Gustavo Henrique dos Santos está promovendo uma vaquinha virtual para conseguir comprar uma nova prótese endoesquelética .  Ele foi vice-campeão brasileiro de Escalada Esportiva nas modalidades Dificuldade e Boulder em 2019 e conta com o apoio da comunidade de escaladores de Curitiba.

Gustavo escalando com sua atual prótese.

Gustavo nasceu com uma anomalia congênita e usa prótese desde os três anos de idade. Todavia, ele não se restringiu as suas limitações e sempre gostou de se aventurar e praticar exercícios.

“Quando era criança, os médicos me disseram que eu não deveria correr ou “aprontar“. Disseram que minha prótese não aguentaria. Mas como convencer uma criança de que ela não deve explorar o mundo ao seu redor da forma e intensidade que ela quiser?”, escreveu ele.

Ele sempre utilizou as próteses fornecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), entretanto esses equipamentos são apenas para caminhada e impróprios para os exercícios que ele costuma fazer. O paraclimber já realizou uma viagem de bike, lutou Muay Thai e Boxe, e atualmente sobe montanhas e pratica escalada em rocha.

“Nunca me importei de andar com a prótese quebrada, ela faz uns barulhos, as vezes um parafuso quebra e minha vida fica um pouco mais difícil por alguns momentos, mas nada que eu não consiga resolver”, relatou.

Todavia, com as práticas de escalada ele e alguns amigos decidiram realizar uma vaquinha online para comprar uma prótese mais adequada e assim ele poder se desenvolver melhor no esporte. O valor pretendido é de 30 mil reais. Entretanto, eles tem pouco tempo para conseguir o dinheiro, pois esse orçamento feito pela empresa sofrerá alterações a partir do final do mês.

A vaquinha e mais informações sobre o paraclimber podem ser acessadas aqui.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário