Incêndio na Patagônia deixa feridos e desabrigados

0

Um incêndio esta atingindo a Patagônia argentina desde domingo, 07/03, e já deixou 7 pessoas feridas, 15 desaparecidas e cerca de 200 moradores desabrigados. O fogo começou na cidade de Lago Puelo, bastante procurada por turistas, mochileiros e trekkers.

Os focos de incêndio começaram no domingo.

Os focos se espalharam com rapidez devido aos fortes ventos. No momento, de acordo com o Servicio Nacional de Manejo del Fuego (SNMF) há mais seis focos: em El Boquete, Solis, Cerro Radal, El Blanco, Cholila e em Las Golondrinas que são cidades das províncias de Chubut e Rio Negro.

Uma mulher com ferimentos graves foi transferida para Bariloche e um homem de 50 anos está internado no hospital de El Maitén. Além das queimaduras, muitas pessoas estão sofrendo complicações respiratórias por conta da fumaça.

O fogo atingiu áreas de florestas e pastagens nativas e destruiu cerca de 100 casas do município de Lago Puelo. Além das perdas ambientais e materiais os incêndios também trouxeram transtornos a população, pois atingiram as redes de energia elétrica e água, além de ter bloqueado a Rodovia Nacional 40.

Mesmo com fortes chuvas na Patagônia, os focos continuam.

As causas

As autoridades locais já iniciaram as investigações para descobrir o que causou o incêndio. O ministro do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Argentina, Juan Cabandié, afirmou em uma entrevista que os incêndios são “intencionais”. “É impressionante que em três horas tenham sete localidades atingidas pelos incêndios, não sei qual é a intenção, e é para isto que serve a Justiça”, disse o governante. “Estamos falando de intenções manifestadas para fins econômicos”, explicou.

De acordo com Alejandro Otero, a forte chuva que caiu na região ajudou a controlar um pouco o fogo. Todavia, o governo enviou o apoio dois helicópteros, três aviões hidrantes, 12 caminhões de bombeiros, veículos de apoio e 62 brigadistas que deverão se juntar aos 60 homens que já estão em campo para extinguir totalmente os focos de incêndio.

 

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário