Campanha Montanha Limpa: saiba como participar

0

O Acesso PanAm é uma organização internacional e sem fins lucrativos que se dedica a manter o acesso a montanhas e setores de escalada abertos em toda a América Latina. Nesse final de semana (12 e 13/12) ele irá promover uma campanha para limpeza das montanhas, o Montanha Limpa. As ações também fazem parte das comemorações de 11 de dezembro, Dia Mundial da Montanha.

O objetivo para o ano de 2020 é de que haja pelo menos 20 eventos registrados em seis países diferentes. A estimativa dos organizadores é de que haja o mínimo de 300 voluntários, bem como cerca de 200 quilômetros de áreas naturais limpas.

Todos os montanhistas e entusiastas das montanhas podem participar. Para isso, o participante deverá baixar o App Montaña Limpia e se cadastrar. A organização também recomenda que se monte pequenos grupos para os mutirões de limpeza, todavia respeitando as regras de segurança contra a Covid-19 de cada região.

Saiba mais sobre o aplicativo clicando aqui!

Logo da Campanha Montanha Limpa.

O Acesso PanAm recomenda que após a ação de limpeza, cada participante faça o registro de dados do local e do tipo de lixo encontrado. Assim, esses dados servirão para ajudar a entender melhor esse problema e criar futuras ações de conscientização. “Ao longo do tempo, poderemos identificar tendências, priorizar ações e embasar soluções e decisões para o problema do lixo nas montanhas do Brasil e da América Latina”.

Apesar das ações da campanha serem concentradas nesse final de semana, é possível realizar o cadastro de informações em qualquer data. Isso ira ajudar a melhorar o banco de dados. Assim, o Accesso PanAm pede para que sempre que o participante recolher algum lixo na montanha, cadastrá-lo no aplicativo.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário