Primeira Ascensão de Return of the Sleepwalker, um dos boulders mais difíceis do mundo

0

O escalador americano, Daniel Woods, de 31 anos venceu os 17 movimentos do boulder Return of the Sleepwalker pela primeira vez na história e sugeriu a graduação de V17 / 9a. Se esse grau for confirmado, esse se tornará um dos boulders mais difíceis do mundo, sendo o segundo dessa graduação no mundo e o primeiro da América.

Woods sugeriu a graduação de V17 para a continuação do boulder Sleepwalker (V16).

Localizado no Black Velvet Canyon em Red Rocks em Nevada, EUA, esse boulder na verdade é uma continuação do já existente Sleepwalker graduado em V16. Todavia, há uma saída sentada que torna sequencia ainda mais difícil. Para escalar esse boulder é preciso força, técnica e precisão, visto que algumas agarras não são nada ergonômicas. Segundo Woods, ele se dedicou totalmente ao boulder por três meses. “Uma das melhores rochas em que escalei e o conjunto de apoios mais legal”, contou ele para o site Planet Mountain.

:: Leia também: 10 dicas para escalar boulders na rocha

Return of the Sleepwalker é o segundo boulder no mundo a receber essa graduação. O primeiro esta localizado na Finlândia e se chama Burden of Dreams. Ambos foram escalados apenas uma vez e por isso aguardam a repetição para confirmação da graduação.

O escalador compartilhou com seus amigos todas as etapas para enviar o projeto em seu Instagram com vídeos de suas tentativas.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário