Russa é a primeira vítima nessa temporada no Aconcágua

0

Uma montanhista russa de 38 anos faleceu no Aconcágua, neste último sábado, após ser atingida por um deslizamento de blocos de rocha soltos. A vítima identificada como Nailya Cambmahoba Salmanova foi encontrada na região conhecida como A Travessia que fica a mais de seis mil metros de altitude.

Aconcágua

Ao chegar no local, a Patrulha de Resgate constatou que Nailya havia sofrido diversos ferimentos, entre eles  uma fratura exposta e a amputação do pé esquerdo.  Entretanto, a montanhista russa não resistiu e foi a óbito no local.

Jornais locais informaram que a patrulha de resgate baixou o corpo da russa para Nido de Condores ainda no sábado e aguardou um helicóptero para baixá-la para Horcones. O Ministério Público de Uspallata enviou um perito até o local para investigar as causas do acidente.

Região onde ocorreu o acidente.

Acredita-se que a falta de neve contribuiu para que os blocos de rocha se desprendam com mais facilidade. Por isso, é recomendado que se use capacete mesmo não passando por trechos de escalada técnica. Assim, esse tem sido o principal perigo nesse ano. Nailya estava em um grupo de montanhistas acompanhada por uma empresa local com mais de três décadas de experiência no Aconcágua.

Esta é a primeira vítima fatal no Aconcágua dessa temporada. O Parque Provincial do Aconcágua não registrava mortes desde o ano de 2017.

VEJA MAIS

:: Todas as mortes no Aconcágua

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário