Sherpa nepalês completa sua 25ª escalada ao Everest

4

O Everest recebeu os primeiros montanhistas dessa temporada em seu cume na tarde dessa sexta-feira. O grupo formado por onze guias atingiu o topo do mundo às 18 horas do horário local. Entre eles estava Kami Rita, que completou sua 25ª escalada ao Everest.

Kami Rita Sherpa em sua 25ª escalada ao Everest.

Rita bateu o seu próprio recorde e se tornou a pessoa que mais esteve no topo do mundo. Ele nasceu em uma família da etnia Sherpa e seu pai foi um dos primeiros guias nepaleses, assim ele carrega no sangue o amor pelas montanhas. O escalador escalou o Everest a primeira vez em 1994.

Atualmente ele esta com 51 anos e além de ter escalado o Everest 25 vezes ele também já esteve no cume do K2, Lhotse, Cho-Oyu e Manaslu. Em 2015, ele sobreviveu ao terremoto que devastou a região do Nepal.

“Montanhas têm algo que faz você se sentir vivo, confiante e ao mesmo tempo humilde. Tem sido uma jornada extremamente difícil para mim e para todos os membros da minha equipe até agora. Extremamente grato a todos os meus simpatizantes”, escreveu Rita em seu Instagran.

Rita e sua equipe durante a aclimatação e preparação para a escalada.

Após passar o ano de 2020 longe das montanhas por conta da pandemia, Rita voltou esse ano e faz parte da equipe que instalou e realizou a manutenção das cordas fixas até o cume para que os outros montanhistas possam chegar ao topo da montanha em segurança.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

4 Comentários

  1. Parabéns pra ele.
    Só uma correção, não se chega ao pico do Everest as 6 da tarde, não dá tempo pra descer até o base camp antes de anoitecer, e com certeza você não sobrevive uma noite no Everest.
    Horário máximo que os alpinistas consideram seguro é 1 da tarde.

    • Só outra correção: do cume do Everest desce-se imediatamente ao Camp 4 e não ao base camp, que será atingido dias depois. Quanto ao horário, tem-se como regramento geral o limite de 14h para fazer cume, exatamente para se ter tempo hábil para o retorno “seguro” ao Camp 4. Espero ter contribuído.

  2. Alexandre Costa em

    Muitos morreram em sua primeira escalada, o cara fez isto 25 vezes e saiu ileso em um ambiente tão hostil, um grande feito.

Deixe seu comentário