Cruce de los Andes: Um ode à vida e a liberdade!

1

A paisagem diz tudo! Amanhecia e simplesmente era assim! Acordava em meio a um lugar de exuberante beleza na Cordilheira dos Andes e de grande importância histórico-cultural na independência chilena, estava em um trekking chamado Cruce de Los Andes!

Ali, ao sair da barraca pela manhã e olhar a paisagem ao redor, minha alma se enchia de alegria, meus olhos não conseguiam parar de admirar a beleza do lugar! Até o ano de 2014 eu dava a minha vida para não fazer exercícios. Tudo começou com a ideia súbita (literalmente falando) de fazer o Caminho de Santiago da Compostela! Desde então minha vida mudou radicalmente! Para mim é como se tivesse uma cortina que dividisse antes de 2014 e depois, olho pro antes e não consigo mais me enxergar muito bem, tenho certeza que no fundo eu não sabia ser feliz. Eu reclamava de muita coisa, tinha muito problema que eu mesma inventei, sofria demais por coisas de pouca importância.

VEJA MAIS

:: Como o trekking mudou minha vida

Hoje quando paro pra pensar, eu só tenho que agradecer à vida! Eu amo viver! Eu adoro até a segunda feira que é meu dia mais cansativo do trabalho, se não fossem os dias de trabalho pesado, eu não saberia sentir o gosto bom dos meus dias de folga! Meus problemas hoje são tão poucos. A natureza me ensinou a ser sábia, aprendi muito com os passos que fui dando nas estradas de chão e com as pessoas que conheci nesses caminhos! As sensações que as caminhadas e os trekkings me proporcionam são as melhores coisas que carrego comigo e isso ninguém tira de mim!

Acampamento durante o trekking Cruce de los Andes.

O amanhecer durante o Cruce de Los Andes

Li um livro do Rubem Alves que dizia que na vida a gente tem duas caixas: uma a caixa de ferramentas, onde a gente guarda as coisas úteis; a outra é uma caixa de brinquedo, onde a guardamos as coisas que dão alegria! Em minha opinião, subir uma montanha está na caixa de brinquedos! Afinal, qual a utilidade disso!? Acho que os adultos que sobem montanha são aqueles que conseguem preservar a alma de uma criança! Usam sim, e muito, a caixa de ferramentas no dia a dia, mas sempre que podem correm para abrir a de brinquedos e se entregam a todo o prazer que isso traz!

Um dos passos que cruzamos durante o trekking Cruce de los Andes.

Quando estou caminhando gosto de parar e olhar para trás! Parece que a natureza está usando uma roupa nova, vejo um cenário completamente diferente do que eu vi quando por ali passava. Não gosto de pressa quando estou caminhando. Se tenho 7 horas, provavelmente usarei todas elas! São horas que jamais voltarão. Esse negócio de viver os dias, as horas como se fossem os últimos é conversa furada; se soubéssemos que realmente seriam os últimos, acho que o desespero seria tão grande que não daria para aproveitar quase nada. Assim, quando caminho, aproveito as horas por serem elas mesmas. Olho para trás e tenho um novo ângulo maravilhoso do caminho que percorri! Eu volto alguns passos para fotografar uma flor ou uma pedra que estava no chão. Gosto de ir devagar prestando atenção nos sons; adoro o barulho da bota batendo confiante na terra seca…

Quando faço o mesmo caminho mais de uma vez, para mim ele já é outro; não piso duas vezes na mesma terra, nas mesmas pedras; o céu, não terá as mesmas nuvens. O Universo está em constante movimento, meus passos, olhares e sentimentos também!

Não quero ver a vida passar. Quero passar lentamente junto com ela! Contemplando, admirando, vivendo!

Contemplando a paisagem dos Andes Centrais.

A paisagem do cruce de los Andes.

Tem sentimentos que não se explica! Durante a travessia do Cruce de Los Andes, em um certo momento estávamos a uns 3700 de altitude e com muito a subir ainda, virei de costas, olhei a paisagem e quando vi estava chorando! A beleza me emociona! O mesmo acontece quando ouço algumas músicas. Existem paisagens, textos e melodias que tocam a alma. Voltei a caminhar e alguns metros à frente, uma pessoa do grupo começou a cantarolar Romaria! Vários acompanharam, a paisagem era linda, a música tão bonita quanto, não consegui segurar as lágrimas novamente! Foi a minha primeira experiência em ambiente de alta montanha, queria saber como me sentiria no ar rarefeito para depois planejar montanhas mais altas. Sai-me muito bem e acho que o Cruce de Los Andes é uma excelente opção para aqueles que também desejam iniciar montanhismo nos Andes, Himalaia, etc… Quero agora subir mais alto ainda! Ver o mundo de uma altura que ainda não tive a oportunidade de ver; será difícil, óbvio! Mas jamais será impossível

No meio dos Andes

Na altitude!

Alguns dizem que não é possível ver a esperança , na travessia do Cruce de Los Andes eu pude enxerga-la…

 

Compartilhar

Sobre o autor

Marise Cestari

Marise Cestari é médica neurologista e aventureira. Começou sua vida de aventura no Caminho de Santiago, onde descobriu que o trekking é uma terapia para o corpo e a alma. Desde então não parou mais, já tendo realizando diversos trekkings e ascensões nos Andes e Venezuela, inclusive curso de escalada em rocha.

1 comentário

  1. Avatar

    Maravilhoso relato dessa menina que tem alma peregrina e como eu ama vencer desafios….Parabéns pela beleza dos relatos e fotos. Também cruzei os Andes algumas vezes e posso compreender o seu fascínio!

Deixe seu comentário