20 anos da primeira escalada brasileira no K2

0

Há 20 anos o montanhista Waldemar Niclevicz chegou ao topo de uma das montanhas mais temidas do mundo e colocou a bandeira brasileira no cume do K2. Até os dias atuais, poucos brasileiros conseguiram repetir esse feito. O K2 possui 8.611 metros de altitude e é a segunda montanha mais alta do mundo.

Waldemar Niclevicz no cume do K2, no dia 29 de julho de 2000. Foto de Abele Blanc.

Niclevicz escalou a temida montanha no ano de 2000 ao lado dos alpinistas italianos Abele Blanc e Marco Camandona. A rota utilizada pela equipe foi a Crista Sudeste ou Esporão dos Abruzzos. Mesma rota repetida em 2019 por Karina Oliane, Maximo Kausch e Moeses Fiamoncine.

Entretanto essa não foi a primeira tentativa de Niclevicz chegar ao cume do K2. Dois anos antes ele havia tentado vencer essa montanha, chegando até os 7700 metros de altitude. Infelizmente, as condições climáticas não colaboraram e ele e sua equipe precisaram descer. Em 1999, ele retornou em sua segunda expedição e novamente foi impedido de chegar ao cume devido as condições extremas de frio e neve.

Niclevicz durante tentativa de escalada do K2 em 1999.

No ano de 2000, em sua terceira expedição para essa montanha, Niclevicz retornou a temida montanha com mais experiência e uma nova estratégia. Aproveitando uma janela de tempo bom, ele e seus companheiros conseguiram estabelecer os dois primeiros acampamentos.

Todavia, o tempo mudou e eles precisaram enfrentar mais 28 dias de mal tempo, nos quais eles não conseguiam ultrapassar os 7 mil metros. Em 26 de julho de 2000 uma nova janela de tempo bom se abriu. Então, Niclevicz e seus companheiros decidiram arriscar.

Vencendo o K2

A equipe seguiu desviando de um Serac gigantesco prestes a cair, enfrentando travessias, trechos com neve até a cintura, outros em que se afundava até os joelhos, paredes verticais, abismos e o ar rarefeito. Assim, às 18h30 do dia 29 de julho de 2000 Niclevicz chegou ao topo do K2 e se tornou o primeiro brasileiro a escalar essa montanha.

Passando pelo Pescoço da Garrafa do K2. Foto de Waldemar Niclevicz,

Todavia, ainda faltava a volta. Após algumas fotos, Niclevicz e Blanc começaram a sua descida. Entretanto, Niclevicz estava sem lanterna e não conseguiu acompanhar seu parceiro nos trechos mais íngremes. Ele decidiu parar a 8.400 metros de altura e esperar até que o dia amanhecesse para ele descer com segurança.

Segundo Niclevicz foram as horas mais sofridas de sua vida. Quando amanheceu, ele conseguiu alcançar seus parceiros no acampamento quatro. E no dia 31 após enfrentar uma grande nevasca, chegou ao acampamento base.

Após 75 dias de viagem, Niclevicz retornou ao Brasil trazendo em sua bagagem mais esse grande feito.

O Portal Alta Montanha parabeniza o montanhista Waldemar Niclevicz pelos 20 anos dessa conquista histórica.

Veja o relato completo dessa escalada.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário