BPMOA resgata vítima no Salto dos Macacos novamente

0

Esse final de semana foi realizado mais um resgate no Salto dos Macacos em Morretes no Paraná pelo helicóptero do Corpo de Bombeiros. Com o verão, o número de pessoas que buscam esses locais para se divertir aumentam e com isso sobe também os acidentes. Esse é o segundo resgate no mesmo lugar em pouco mais de um mês realizado pelo BPMOA (Batalhão de Operações Aéreas da Policia Militar do Paraná).

A vítima desse final de semana, 29/02, foi um rapaz de 23 anos que escorregou e caiu dentro do rio. Ao ser retirado da água, foi constatado que ele não conseguia movimentar os membros e estava com muita dificuldade de respiração e dor na coluna.

Após receber o primeiro atendimento, ele foi imobilizado com suspeita de fratura na coluna torácica. O jovem foi extraído do local com a técnica de McGuire, ou seja, ele e um bombeiro que o acompanhava foram içados do meio da mata pelo helicóptero com o auxilio de uma corda. A vítima foi levada para o Hospital Regional do Litoral em Paranaguá onde passou por exames e deverá tratar as lesões.

No final de janeiro, 26/01, uma mulher de 32 anos também sofreu uma queda na mesma cachoeira. Ela teria escorregado e caído cerca de dois metros, batendo a cabeça. Todavia, com o trauma ela apresentou náuseas e tonturas, e por isso também precisou ser resgatada com o auxilio do helicóptero do BPMOA.

Os Bombeiros alertaram para os riscos de praticar atividades nesses locais sem o devido conhecimento. “Áreas de cachoeira e montanha exigem responsabilidade, conhecimento e preparo. Não subestime o que não conhece. Sua vida é muito importante’, publicou o BPMOA.

O Salto dos Macacos

O Salto dos Macacos é uma belíssima queda da água com cerca de 70 metros de altura no meio do Parque Estadual do Marumbi. Entre os atrativos do local estão à beleza da cachoeira, a bela vista do Conjunto Marumbi, a trilha e até um tobogã natural. Porém, o caminho para chegar até o salto tem um grau de dificuldade considerado de moderado a difícil e não é recomendado para iniciantes. Além disso, as brincadeiras nas pedras lisas da cachoeira são extremamente perigosas.

Para se visitar a cachoeira existem algumas regras. Então, o visitante deve fazer um cadastro no posto do Instituto Ambiental do Paraná, no inicio da trilha, onde receberá algumas orientações. Todavia, o horário limite para começar a caminhada é às 9h da manhã e o retorno deve ser iniciado antes das 15h. Isso é uma prevenção para que os turistas não fiquem perdidos em meio a mata no escuro.

A trilha tem duração de pouco mais de duas horas, porém pode ficar muito escorregadia e ter um aumento do fluxo de água repentino em dias chuvosos. Por isso, além de ir com alguém que conhece o local é importante estar calçando botas de trekking apropriadas para a atividade. Também é importante evitar ir ao local em dias com previsão de chuva ou tempo molhado.

:: Leia também Cuidados para quem faz trilhas e acampamentos no verão.

 

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário