Campeã mundial de boulder, Luce Douady, falece após queda em trilha

0

A triste notícia do falecimento da escaladora francesa Luce Douady surpreendeu a todos da comunidade da escalada francesa.  Luce, com apenas 16 anos, sofreu uma queda fatal em uma trilha no último domingo.

Luce se divertindo enquanto escalava

Ela estava passeando com um grupo de amigos em uma trilha que dá acesso a um setor de escalada próximo do penhasco Luisset, na zona de Isère, nos Alpes franceses. Essa área é considerada exposta e esta equipada com um corrimão para segurança. Todavia, Luce caiu cerca de 150 metros e não resistiu.

Apesar da pouca idade, Luce era vista como um prodígio da escalada. Ela se tornou campeã Mundial de Boulder em 2019 no campeonato de Arco, na Itália. No mesmo ano, em sua primeira aparição no mundo esportivo, ela já havia conquistado o quinto lugar na Copa do Mundo de Boulder em Vail, Colorado. Entretanto, Luce gostava de todas as formas de escalada tendo conquistado também a 3ª colocação no Campeonato Europeu de Dificuldade de 2019.

A despedida dos amigos

Os amigos, companheiros de treino, treinadores e montanhistas da região expressaram enorme pesar pela sua morte precoce.

A atleta se preparando para escalar

“Luce Douady nos deixou ontem. Luce, esta menina, esta jovem cheia de energia, paixões, talentos! Uma pessoa linda! Ela deixou a forma como viveu sua vida! Agora é na família e amigos dela que estamos pensando. Partilhamos o grande vazio, a dor, a tristeza… Sejam fortes e fortes pela sua memória!” escreveu o Clube Chambery Escalade em homenagem a Luce.

Assim, a  Federação Francesa de Montanha e Escalada (FFME) também se pronunciou sobre o ocorrido. “Com apenas 16 anos, o futuro estava à sua frente. Esta terrível notícia atingiu duramente seus colegas treinadores, técnicos e seu clube, Chambéry Escalade. Mas hoje, toda a federação está de luto. Estamos obviamente pensando na sua família e estaremos à sua disposição”.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário