Ciclista pedala mais de 800 km em 24 horas

0

É cada vez mais comum encontrar pessoas que tentam usar o seu esporte para realizar boas ações. Assim fez a ciclista profissional Lucy Hempstead no Canadá. Ela decidiu pedalar em busca de um recorde, mas também aproveitou para arrecadar doações para o Hospital Michael Garron.

Lucy pedalou mais de 800 km.

Lucy de apenas 20 anos é atleta do ciclismo e está treinando para conquistar uma vaga nas Olimpíadas de 2024. Ela começou a pedalar às 18 horas do dia 12/03 em uma bicicleta ergométrica e pedalou por 24 horas . No total, ela conseguiu atingir a marca de 812 quilômetros, superando o recorde anterior que era de 680 quilômetros. Se o Guinness Book of World Records aceitar o seu feito, Lucy se terá o recorde de maior distância simulada em uma bicicleta estática dentro de 24 horas por uma mulher.

A ciclista disse que teve dificuldades e que foi uma prova de resistência muito dura. “Em um determinado momento, tudo estava doendo, eu estava me batendo (quando parecia que não sobrou nada no combustível), estava com náuseas demais para conseguir comer. Eu pensei por um momento que eu poderia não conseguir, mas eu tive um momento para mim mesma e ouvi música e me recuperei”, contou Lucy. Ela explicou que a música foi muito importante para ela conseguir. “Isso me forçou a desfrutar de algo quando não havia muito o que desfrutar naquele momento”, disse.

Ela bateu o recorde em sua casa.

Todavia, além de bater um recorde a ciclista conseguiu arrecadar mais de 400 mil dólares canadenses, o que equivale a cerca de 1,8 milhões de reais. O dinheiro foi destinado ao Hospital Michael Garron que trata pessoas de baixa renda com problemas mentais.

 

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário