Circuito Huayhuash: Chegando ao inicio do trekking – Llamac

1

Relato por: Renan Schuller e Vanessa Laura Franz

Confira o post anterior sobre esta aventura, clicando aqui!

Sábado, 11 de agosto de 2018.

Huaraz -> Chiquián 3400m -> Llamac 3250 -> Cuartelhuain 4100m

De Huaraz (3090 m.), nos reunimos ao grupo e guias e seguimos de ônibus por 110km pela estrada 3, sentido sul, até chegar a Chiquián (3400 m.) onde o asfalto termina. Fizemos uma parada neste bonito “pueblo”.

O caminho até Chiquian lembra a nossa estrada da Serra do Rio do Rastro, porém numa dimensão muito maior, muitas curvas e sobe e desce por vales muito ingrimes. Estradas alucinantes!

Em Chiquián, paramos para almoçar. Nossa aventura já começa por aí, uma cidadezinha com ruas estreitas de interior entre as montanhas. Esse local é conhecido pelos moradores como ”espejito del cielo” (espelho do céu).

No almoço conhecemos melhor os integrantes do grupo. Cada um pediu seu prato e minutos depois chegou uma sopa (entrada) para cada um. Já havíamos nos fartado com a sopa que estava uma delícia, quando ainda chegou o prato principal que era composto de arroz, feijão, salada e truta e para beber um suco de maracujá.

Da direita para à esquerda: Johanna, Fabrício, Carolina, Fernando, Angela, Vanessa, Renan e Pepe. Nós 2 brasileiros junto aos peruanos de Lima.

Ouvimos barulho na rua, como se fosse uma festa. Perguntamos à garçonete se era feriado e ela nos disse que era um defunto! Ou seja um velório.

Nos “Pueblos” da serra é comum fazer festa, sair nas ruas carregando o caixão prestando as últimas homenagens através de músicas, utilizando instrumentos musicais, dando o ultimo adeus a uma pessoa querida.

Após o almoço, embarcamos no ônibus e seguimos por mais 65km de estrada de chão, descendo e subindo ingrimes vales até o primeiro acampamento Cuartelwain a 4.100m, ponto inicio do trekking.

Cuartelwain Camp Site

No total foram 6 horas de viajem de ônibus até ai, iriamos caminhar somente no próximo dia.
Ficamos encantados com a vista deste verde vale e dos primeiros picos nevados, o Rondoy e o Ninachanca.

Rondoy, 5.870 m

Chegando lá, a equipe já começou a montar os equipamentos e preparar o jantar. Encontramos mochileiros franceses que estavam solo e vieram caminhando 25km desde Llamac.


Em todos os campings os guias montavam 2 barracas grandes. Uma exclusiva para cozinha (azul), e outra para nosso abrigo durante as refeições (laranja) com mesas e cadeiras.

Enquanto os guias montavam acampamento, eu e Renan, caminhamos pelos arredores para apreciar a bela vista e escolher um local para montar nossa barraca pela primeira vez em Huayhuash.


Próximo do ponto de acampamento, havia currais e casinhas de pedra com telhado de palha, onde alguns campesinos passam a noite e algumas ovelhas pastam tranquilamente.

Criação de ovelhas

Encontramos uma campesina que estava voltando para sua casa. Paramos para conversar e ela nos contou como era sua vida nesse local. É como se voltássemos no tempo, num lugar distante da civilização.

É necessário viajar mais de 60 km de estradas de chão com muitas curvas, para chegar na cidade mais próxima e ter acesso a alguma infra-estrutura básica. As estradas só chegam até lá hoje, por conta da intensa ação das mineradoras estrangeiras, que dali extraem ouro e prata. Os guias contam, que antigamente esta travessia era feita iniciando em Chiquian, com mais de 200km e quase 1 mês de expedição!

Abrigos dos campesinos, se mesclam com a paisagem do ambiente.

O nosso guia e cozinheiro Pancho já nos impressionou com sua primeira ”cena” (jantar). A entrada: uma sopa e como o prato principal: Arroz, com batatas, frango e legumes. Luxo da montanha! E de ”postre” (sobremesa) deliciosas frutinhas da região (todo dia era um cardápio diferente, um mais gostoso que o outro).


Primeira noite em Huayhuash

Depois do jantar, fomos avisados pelo guia que nossa primeira caminhada seria intensa com 2 passos de montanha. O horário para iniciar era “bien temprano” às 5am, então precisávamos estar bem descansados.

Leia o relato do próximo dia!

Circuito Huayhuash: Passo Cacanapunta e avista da laguna Carhuacocha

Compartilhar

Sobre o autor

Vanessa Franz

Guia de Turismo credenciada pelo Mtur,24 anos, natural de Blumenau/SC. Estudante de Educação Física, amo os esportes outdoor. Atualmente guio no Norte da Serra Geral em Alfredo Wagner, região e também pelo Circuito Huayhuash no Peru! Pratico trekking, mountain bike,corrida, caiaque e canionismo. Sou idealizadora dos projetos Casal na Montanha e Trekking por Elas! À 4 anos que estou na atividade e essa minha paixão pela natureza só tem aumentado a cada dia!

1 comentário

Deixe seu comentário