Clubes de montanha se posicionam contra lei de Montanhismo na Argentina

0

A Argentina possui uma ampla comunidade e cultura de montanha desenvolvida ao longo dos anos. E após longos meses de negociação com montanhistas e Clubes de Montanha na Argentina as autoridades de Cordobá apresentaram uma proposta de lei que considera o montanhismo uma atividade desportiva e turística. Todavia alguns guias, montanhistas e clubes são contra essa lei e reclamam das restrições de acesso a montanha.

Cerro Colorado em Córdoba.

Assembleia Discutindo o Projeto de Lei.

O Projeto de Lei 29.918 foi aprovado pela Assembleia Legislativa de Córdoba. Ela declara a prática do montanhismo como atividade desportiva, de interesse cultural ou sócio recreativo. E também reconhece a sua influência e contribuição positiva nas tarefas de exploração científica, ambiental, educacional e de promoção da qualidade de vida.

Assim, a lei confere aos montanhistas o direito de praticar atividades de caminhada, trekking e escalada em áreas naturais. Entretanto, ela também determina que os praticantes da atividade preservem o meio ambiente e ambientes históricos, bem como respeitem as culturas locais e povos nativos.

A visão dos Clubes de Montanha

Todavia, os montanhistas dizem que a lei tem falhas que podem prejudicar a atividade. “Os clubes de montanha não endossam uma lei onde o acesso à montanha não seja garantido e lamentamos a perda de uma excelente oportunidade que os legisladores tiveram de aprovar uma Lei de Promoção do Montanhismo e que, cometendo um erro habitual típico do desconhecimento da atividade e dos interesses econômicos de outros setores, vai de fato aprovar uma Lei do Turismo de Montanha”, diz o comunicado publicado pelos Clubes de Montanha da região na última quinta-feira (19/11).

“A Lei engloba todo montanhismo em uma lei de turismo de montanha e isso é totalmente falacioso. O montanhismo é principalmente um esporte, uma atividade que vem se desenvolvendo há muitos anos e, com o tempo, o turismo tem sido um de seus limites e não o contrário”, disse Martín Salas, presidente do Clube Andino Córdoba.

Cerro Los Gigantes na região de Cordoba na Argentina.

Além disso, eles também criticam o fato de haver áreas restritas e locais onde só é possível entrar acompanhado de guias. “A lei não garante o acesso, outro dos pilares fundamentais dentro da atividade, porque se subordina a uma lei já existente e com maus resultados, sob a ala da Agência de Turismo de Córdoba e com trilhas que caíram nas mãos da administração privada, puramente turística e com custo, como acontece com o Morro Uritorco”, diz Salas ao explicar porque os clubes não apoiam essa lei.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário