Confira os resultados do Campeonato Brasileiro de Dificuldade 2020

0

O Campeonato Brasileiro de escalada de Dificuldade 2020 em Etapa Única promovido pela ABEE ocorreu nesse sábado, 14/11, em Curitiba, Paraná. A competição reuniu na academia Campo Base da capital paranaense diversos atletas, sendo cinco paraclimbers, oriundos de diversos estados brasileiros.

Também com disputas de velocidade adaptada, na sexta 13/11, nas categorias feminino e masculino, o campeonato se encerrou com o pódio feminino composto por Bianca Castro em primeiro lugar, Thais Makino em segundo e Camila Flores em terceiro. Já na competição masculina, Jonas Leffeck conquistou a primeira colocação, seguido por Theo Negrão e Pedro Avelar.

Pódio masculino na prova de Velocidade – Foto: Rosita Belinky

Meninas comemorando as primeiras colocações – Foto: Rosita Belinky

Competição de Dificuldade

No sábado, foi a vez dos atletas competirem nas provas de dificuldade nas categorias feminino, masculino e paraclimb.

A atleta paulista Thais Makino conquistou a primeira colocação seguida pela jovem escaladora paranaense Mariana Hanggi. Mari como é conhecida entre os amigos, tem apenas 13 anos e chegou pela primeira vez em uma final na categoria adulta. Em terceiro lugar ficou a mineira Patrícia Antunes.

Primeiros lugares na categoria feminina – Foto: Carol Coelho.

“Após ficar em 2° no Brasileiro de Speed eu sabia que minhas chances de vencer o Combinado tinham diminuído bastante e que eu tinha que me esforçar mais que o meu máximo para compensar.
Olhando agora em retrospecto fiquei feliz de ver que não desanimei em nenhum momento e me concentrei muito para dar o meu melhor, e que o meu melhor foi suficiente para vencer o Brasileiro de Lead e como consequência o Brasileiro Combinado”, escreveu Thais em seu instagram. Assim, ela também agradeceu e parabenizou a sua equipe de treinamento e as outras atletas que competiram com ela. “Essas parcerias e amizades vão ficar na minha memória muito mais tempo que os resultados das competições”, disse a atleta.

Patrícia Antunes revelou que desejava o topo do pódio, mas se mostro feliz com os resultados que obteve.  “Lutei até o fim, fisicamente e mentalmente, e mesmo não tendo atingido meu objetivo, me orgulho demais desse terceiro lugar”, disse ela em uma publicação.

Já a jovem atleta Mariana publicou que é uma honra dividir o pódio com atletas que ela admira.

Mariana Hanggi na prova de dificuldade – Foto Carol Coelho.

Competição masculina

Entre os meninos, Felipe Ho  mais ocupou primeiro lugar do pódio, esse é o quinto título do atleta nessa modalidade. Na segunda colocação esta o estreante na categoria adulto, Pedro Avelar, seguido por Rodrigo Hanada em terceiro.

Meninos com a premiação dos três primeiros lugares – Foto: Carol Coelho.

Todavia, Felipe Ho disse que a vitória na prova de dificuldade foi uma forma dele se redimir pelos resultados não tão bons da competição de velocidade. Ele também publicou que esta muito feliz com o título de Campeão Brasileiro de Dificuldade de 2020.

Já Pedro Avelar disse estar muito feliz com seu resultado e contou que foi um ano difícil para ele que não conseguiu treinar adequadamente. “Após um desempenho ruim em boulder, consegui voltar a deixar meu máximo nas paredes”, escreveu ele satisfeito com o 2º lugar de Dificuldade e 3º de Velocidade.

Felipe Ho guiando durante o campeonato brasileiro – Foto Carol Coelho.

Paraclimber

Nas competições de paraclimber Luciano Frazão conseguiu o primeiro lugar, seguido por Gustavo Santos na categoria Paraclimbing AL2 Masculino. Diego Pimenta Rodriguez ficou com a primeira colocação na categoria Paraclimbing AU2 Masculino e Marina Souza na Paraclimbing RP3 Feminino. Os atletas de paraclimber competem com outros atletas que tenham limitações parecidas com as deles, por isso existem tantas subcategorias.

Durante o Campeonato Brasileiro também houve competição nas categorias masculina e feminina juvenil. Para ver os resultados completo, clique aqui.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário