Cordón del Plata e Aconcagua

0

O Aconcágua é a montanha mais alta dos Andes e também do mundo, excetuando-se o Himalaia. É um dos destinos o mais populares dos brasileiros na cordilheira, que a escolhem para ser sua primeira alta-montanha. Este artigo é destinado à estas pessoas que nunca estiveram em altitude e serve como o alerta: O Aconcágua é fácil, mas não de graça! Por isso prepare-se antes, vá para o Cordón del Plata.

Pedro Hauck no cume do Aconcágua em 2002.

O Aconcágua é uma das montanhas mais conhecidas do mundo. É relativamente perto do Brasil, é bem acessível e sua rota normal não é técnica. Estes motivos fazem com que muitas pessoas almejem escalar a “Sentinela de Pedra” que é o que significa em português o “Akok Awac” que virou Aconcágua para os argentinos. Não ser técnico, no entanto, não significa que ela não seja difícil.

Talvez muitas pessoas queiram escalar o Aconcágua, pois ela é a montanha mais famosa dos Andes. Por isso, esta montanha é destino para centenas de brasileiros, muitos dos quais não requentam montanhas no Brasil. Se você se encaixa neste perfil comece desde já a pensar na montanha mais alta dos Andes como um projeto aonde você precisa evoluir, galgando degrau por degraus, começando por montanhas menores aqui mesmo, acampando em nossas montanhas e fazendo travessias. O Aconcágua pode não ser técnico

VEJA MAIS, VÍDEO DE COMO É UMA EXPEDIÇÃO AO ACONCAGUA:

Muitos me perguntam, quanto de experiência é preciso ter para poder escalar o Aconcágua? Esta é uma questão difícil de responder, pois experiência e preparo é algo que tem que ser auto avaliativo e que cada um tem que saber.

Em geral, o montanhismo tupiniquim dá bases físicas e emocionais que são de grande valia para um futuro andinista. Se você é frequentador de montanhas brasileiras, faz diversas travessias, já vivenciou vários perrengues e se considera um “safo” em subir montanha e caminhar morro acima, então está na hora de tentar uma montanha nos Andes. Entretanto, o Aconcágua não é uma boa opção para começar e vejamos os porquês.

Vista do Aconcágua – Foto: Luiz Octavio Lima

Os motivos que me levam a concluir que o Aconcágua não é uma montanha para quem nunca esteve nos Andes são vários. Para começar que é uma das montanhas populares com maior aproximação e que requer todo um conhecimento com logística para transporte de equipamentos de montanhismo.

Depois, porque o Aconcágua tem quase sete mil metros de altitude e isso requer experiência com aclimatação e em seguida porque ele tem uma taxa de permissão caríssima e a não ser que dinheiro para você não faça falta, ninguém vai querer pagar caro para chegar lá e só passar mal.

Para todas as pessoas que me consultam pedindo dicas sobre esta montanha, eu respondo que é melhor que um ano antes elas peguem uma boa experiência no Cordón del Plata, que uma serra que pertence à cordilheira dos Andes que fica muito próxima ao Aconcágua.

O Cordón del Plata

Cerro Plata visto do Vallecitos, Argentina (Fonte – Parofes)

O Cordón del Plata tem diversas montanhas com altitudes diferentes, desde montanhas com três até um quase seis mil metros, que é a altitude do Cerro Plata, o ponto culminante desta serra.

O acesso ao Cordón del Plata se faz desde a estação de esqui de Vallecitos na província de Mendoza. Lá há um refúgio onde não custa caro passar as noites e é a base onde tudo começa. Desde este refúgio é possível alcançar alguns cumes pequenos e começar o processo de aclimatação.

Trilha para o Cerro Plata, Argentina

Os acampamentos do Cordón del Plata são próximos. É possível sair do refúgio há 2800 metros e ir direto ao acampamento base da montanha,” El Salto”, numa altitude de 4200, mas isso não é recomendável, pois seu corpo não estará acostumado com as condições de baixa pressão atmosférica de altitude. Por isso é bom que antes de você chegar lá, você suba a montanha em etapas, passando pelos dois acampamentos que existem antes do base, Las Veguitas e Piedra Grande, a 3200 e 3600 metros de altitude respectivamente.

Eu vejo com muita frequência relatos de brasileiros que foram para os Andes e passaram mal por que não fizeram uma aclimatação bem feita. Geralmente todos alegam falta de tempo e se este é seu problema esqueça a montanha e vá passar suas férias na praia, pois não dá pra escalar um seis mil sem se aclimatar, a não ser que você seja o Elcio Douglas. Como pessoas como ele são minoria, aprenda o que é uma aclimatação.

Vista Parorâmica do Cordón del Plata, Argentina (Fonte – Parofess.blogspot)

VEJA MAIS:

Mal de Altitude

Aclimatação é a chave do sucesso

Aclimatação é somente uma das chaves para o sucesso na montanha, o outro é o controle psicológico. Em lugares afastados como o Aconcágua e o Plata, vocês certamente sentirão saudades de casa e em uma súbita síndrome de Lionel Terray a la “Conquistadores do Inútil” , depois do décimo dia irão se perguntar:  “O que eu estou fazendo aqui?!”

Pois bem este é um dos principais problemas das montanhas longas e por isso é bom você ter vivido uma experiência anterior ao Aconcágua, para saber lidar com seu psicológico e não sentir falta da namorada e nem se incomodar com seu cheiro de cachorro molhado dentro da barraca. Não que montanhismo signifique autoflagelação, mas de fato  a maioria renuncia o cume por desconforto emocional e físico.

No Cordón del Plata você pode em 10 ou 12 dias escalar cerca de 4 ou cinco montanhas, até mais se ficar mais tempo. Tudo isso incluindo seu cume principal, de onde terá uma visão privilegiada da face sul do Aconcágua. Tudo isso servirá de experiência para depois de um ano você retornar à Argentina e fazer o cume da Sentinela com muito mais facilidade, curtindo a ascensão e sem tanto sufoco.

Pedro Hauck no cume do Cerro Plata com o Aconcágua ao fundo.

Novamente deixo claro que fazer o Aconcágua como primeira montanha andina não é impossível. Conheço casos de pessoas que fizeram isso. Porém posso afirmar com minha longa experiência no montanhismo que quem chega lá sem experiência prévia tem menos chances de cume. Também posso afirmar que os poucos que conseguem terminam a ascensão moídos e apesar da conquista pessoal, todos concluem que é uma experiência muito desgastante e sofrida, o que não acontece com quem já chega com experiência.

O Cerro Plata foi minha primeira montanha nos Andes, fiz ela pela primeira vez em 2000 e retornei lá em 2004. Já o Aconcágua foi minha sexta ou sétima, escalei ela em 2002, sem mulas pela normal. Retornei dois anos mais tarde para escalar o glaciar polacos, mas nesta ocasião não fiz cume por causa das más condições do gelo.

VEJA MAIS:

Minha primeira montanha Andina – Parte 1 – AltaMontanha

Ter experiência e preparo é quase tudo em montanha, depois falta só o tempo colaborar…

Tenho diversos textos publicados sobre estas duas montanhas incríveis que ajudarão e muito quem está começando. São relatos e artigos onde passo minhas experiências nestes lugares, certamente uma grande ajuda para quem nunca foi e não sabe o que irá enfrentar:

VEJA MAIS:

:: HOTSITE Cerro Aconcágua
:: Cerro Plata, um campo escola para o montanhismo de altitude.
:: Aclimatação de verdade
::Treinamento e preparação para montanhas de altitude
:: O fator psicológico na escalada de Montanhas
:: Expedição guiada ao Aconcágua – RECOMENDADO PELO AUTOR
:: Expedição guiada ao Cerro Plata – RECOMENDADO PELO AUTOR

Compartilhar

Sobre o autor

Pedro Hauck natural de Itatiba-SP, desde 2007 vive em Curitiba-PR onde se tornou um ilustre conhecido. É formado em Geografia pela UFPR, possui mestrado em Geografia Física pela UFPR. Atualmente é sócio da Loja AltaMontanha, uma das mais conhecidas lojas especializadas em montanhismo no Brasil e também é guia de montanha profissional e instrutor de escalada pela AGUIPERJ. Ao longo de mais de 25 anos dedicados ao montanhismo, já escalou mais 100 montanhas com mais de 4 mil metros, destas, mais da metade com 6 mil metros e um 8 mil do Himalaia. Visite o Blog de Pedro em www.pedrohauck.net. Siga ele no Instagram @pehauck

Comments are closed.