Everest sem fotos!

0

Se você sempre sonhou em chegar ao topo do mundo e registrar esse feito naquela selfie que deixará todo mundo com inveja, esqueça! Ou então, se torne um fora da lei. Na última terça-feira, 09/03, o governo do Nepal propôs novas regras para a temporada de 2021. Entre elas, a proibição de compartilhar fotos feitas no Everest.

Foto feita em 2019 próximo ao cume do Everest viralizou na internet – Foto: Nirmal Purja

De acordo com o que disse a diretora da Divisão de Montanhismo do Departamento de Turismo, Mira Acharya, em entrevista ao Kathmandu Post, já existe uma regra que proíbe o compartilhamento de imagens e vídeos feitos no Everest sem a autorização do governo nepalês. Todavia, essa lei nunca foi levada muito a sério pelos montanhistas.

“Nós [portanto]emitimos novas regras antes da temporada de escalada para torná-las mais eficazes”, disse Mira.  Os montanhistas ainda podem tirar fotos, mas não podem compartilhar. “Honramos a liberdade pessoal dos alpinistas, mas isso não significa que eles possam postar imagens e vídeos de outras pessoas sem o seu consentimento. Seja por meio de câmeras comerciais ou aparelhos móveis, todas essas atividades foram proibidas ”.

Escadas na região da Cachoeira do Khumbu.

Ang Tsering Sherpa, ex-presidente da Associação de Montanhismo do Nepal defende que essa regra é impossível de ser fiscalizada. “Você clica aqui e em um instante sua foto dá a volta ao mundo”, disse ele ao Kathmandu Post.

A medida foi tomada pelo governo após a foto com dezenas de montanhista enfileirados próximo ao cume ter ganhado repercussão mundial em 2019. A foto feita por Nirmal Purja acabou se tornando uma anti-propaganda para o governo e fez com que entidades do mundo todo cobrasse mais medidas de segurança.

:: Leia também: Everest: Minha opinião sobre a polêmica das filas na montanha mais alta do mundo

Outras regras

Além da proibição de compartilhar fotos, o governo nepalês criou outras 10 regras para tentar controlar o fluxo de montanhistas e aumentar a segurança das escaladas no Everest.

Na temporada 2021, os escaladores deverão apresentar um relatório médico emitido por um profissional credenciado comprovando a sua capacidade física para escalar o Everest. “Mesmo se uma pessoa tiver câncer, mas estiver mentalmente e fisicamente bem, ela pode escalar”, disse Mira.

Todos os alpinistas devem enviar seu itinerário detalhado antes de solicitar as licenças de escalada do Everest. Dessa mesma forma, as empresas de guias devem emitir um relatório com todos os dados da escalada, desde o dia de chegada na Campo Base até as rotas que vão utilizar, etc. Essa é uma tentativa para evitar as fraudes de cume.

Será obrigatória a contratação de seguro para toda a equipe de apoio com suas funções especificadas em documento. Muitas vezes as empresas contratavam seguro de carregador para pessoas que trabalhavam como guias por ser mais barato.

O Nepal também criou regras para deixar as solicitações de resgate com helicóptero mais rígidas após as agências de seguro reclamarem da quantidade de casos não graves que utilizaram o resgate.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário