Falece Cesare Maestri, o responsável pela Via do Compressor no Cerro Torre

0

O alpinista Cesare Maestri faleceu nesta terça-feira, 19/01, na Itália aos 91 anos de idade. O escalador e alpinista teve grandes conquistas ao longo de sua vida e foi o protagonista em uma das histórias mais polêmicas e desafiadoras do montanhismo e escalada, a conquista do Cerro Torre.

Maestri falece aos 91 anos na Itália

O filho do Alpinista, Gian Maestri, comunicou a morte de seu pai nas redes sociais. “Desta vez, Cesare assinou o livro do pico da escalada da sua vida. Um forte abraço para quem o amava”, escreveu Gian. A causa da morte não foi divulgada.

Maestri iniciou sua carreira nas montanhas nos Alpes italianos e realizou mais de 3,5 mil  escaladas ao longo da sua via. Sua primeira escalada foi a rota Detassis-Giordani para o Croz dell’Altissimo. Todavia ficou conhecido com o “Aranha das Dolomitas” onde praticava suas escaladas em rocha ou em estilo alpino muitas vezes sozinho. Foi também na região dos Alpes que o escalador gravou seu nome para sempre na história da escalada com a conquista do Diedro Maestri.

Maestri escalando nos anos 1950.

Durante sua vida Maestri foi guia de montanha, instrutor de esqui e também se envolveu em várias causas políticas e humanitárias. Todavia, um de seus feitos mais famosos é a polêmica conquista do Cerro Torre na Patagônia Argentina em 1959.

Escalada em artificial

 

A polêmica do Cerro Torre e a Via do Compressor

Durante a descida da primeira escalada do Cerro Torre, Maestri teve grandes dificuldades causadas por uma avalanche. Ele perdeu seu parceiro Toni Egger e parte dos seus equipamentos, incluindo a câmera fotografia que comprovava a conquista. Maestri sobreviveu milagrosamente e foi encontrado dias depois na base da montanha. Todavia a comunidade de escalada da época duvidava que tal feito fosse possível, devido a inclinação, o clima e o grau de dificuldade da montanha.

Em 1970, Maestri decidiu retornar e salvar sua honra como escalador. Assim ele conseguiu o patrocínio de uma empresa fabricante de compressores. Então o escalador decidiu não apenas subir o Cerro Torre, mas também conquistar uma via com mais de 400 metros de altura protegendo-a com parabolts.

Entre os anos de 1970 e 1971 ele e sua equipe desmontaram um compressor de cerca de 80 kg e arrastaram montanha acima colocando as proteções fixas para facilitar a ascensão. Após terminar a via Maestri deixou o compressor pendurado na parede para que ninguém mais duvidasse de sua conquista.

A colocação das proteções fixas também gerou inúmeras críticas e polêmicas, porém ninguém mais pode dizer que Cesare Maestri não chegou ao topo do Cerro Torre.

:: Leia também: Rolando Garibotti tenta elucidar a escalada de Maestri em 1959 no Cerro Torre

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário