Falece pai do Psicobloc, Miquel Riera Picón

0

O inventor da modalidade de escalada Psicobloc, Miquel Riera Picón, faleceu nessa quarta-feira, 09/10, aos 56 anos de idade. A causa da morte não foi divulgada mas sabe-se que Riera estava se tratando de uma grave doença a alguns meses.

Miquel Riera Picón praticando a escalada de psicobloc

O escalador nasceu na ilha espanhola de Mallorca onde criou essa nova modalidade de escalada aproveitando o relevo do local. Riera era professor de escalada, juiz internacional de competições de escalada e fazia parte da equipe nacional de competições de escalada. Ele também escreveu o Psicobloc Mallorca: guia de escalada que se tornou uma referência para escaladores de todo o mundo.

Riera ganhou ainda mais fama participando de importantes programas de televisão. Ele também produziu o documentário Psicobloc, com o americano Josh Lowell, com o qual recebeu cinco prêmios em dois festivais de cinema de montanha e o prêmio no festival de cinema independente em Sundace (EUA) e documentário Es Pontas, que lhe rendeu o prêmio EMMY de melhor documentário esportivo do ano.

Psicobloc, Deep Water Soloing (DWS)

Escalada em Psicobloc

O Psicobloc também conhecido como Deep Water Soloing (DWS) é uma modalidade de escalada com origem na ilha de Marloca durante os anos 1970. Ele consiste em escalar falésias a beira mar, lagos ou rios sem equipamentos de segurança como cordas ou proteções, na qual a queda é amortecida pela água.

Riera criou o termo “psicobloco” como uma referencia a “mente” e “rocha”. Para ele, nesse tipo de escalada o escalador passa por um confronto entre o homem e a montanha no qual o psicológico deve estar bem preparado. “Nenhuma competição é realizada, mas a adrenalina esta presente o tempo todo”, explicou Riera

 

 

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário