Guias de Mendoza reclamam de novas regras

0

Após uma longa quarentena a Argentina ensaia os primeiros passos para a reabertura e a retomada do turismo. Todavia os montanhistas, guias e associações de Mendoza continuam insatisfeitos com as regras adotadas para conter o Coronavírus.

A província de Mendoza abriga inúmeras montanhas, entre elas o ponto mais alto dos Andes e das Américas, o Aconcágua. Lá também esta o Cordón Del Plata, famoso por suas montanhas nevadas. Todas essas são montanhas exploradas turisticamente e fonte de renda de muitos moradores da região. Assim, com a pandemia e as restrições de acesso ao país, uma crise atingiu o setor.

Caminho a Plaza Francia no Parque Provincial do Aconcágua – Ashoki Kipatri

Nesse mês, o país reabriu as suas fronteiras para turistas, porém com algumas restrições. Todavia, cabe a cada província estabelecer as regras de visitação a atrações naturais e parques em seus territórios.  Assim, a província de Mendoza determinou o limite de 200 pessoas por dia em cada área protegida.

De acordo com os guias e trabalhadores de montanha, isso inviabiliza o trabalho deles, pois não podem agendar uma expedição a montanha sem a garantia de que no dia da escalada haverá vagas para entrar na área protegida.

Os acampamentos

Sabemos que para se escalar uma grande montanha é preciso um longo processo de aclimatação. Essa por sua vez pode levar alguns dias em acampamentos ao longo da montanha, aumentando a altitude gradualmente.

A Direção de Recursos Naturais emitiu um documento liberando alguns acampamentos a partir de 01/12, porém apenas os acampamentos de baixa altitude estão na lista. No Aconcágua, o acampamento de Confluência, La Cascada e Base del Zanni (estes dois no setor Matienzo) foram liberados. Já no Plata apenas Las Veguitas e Piedra Grande podem receber montanhistas, e assim como no Aconcágua pode-se passar apena uma noite nesses locais. Além disso, cada pessoa deve ter sua própria barraca, exceto em casos de duplas que já vivam juntas. Isso dificulta o processo de aclimatação para as montanhas.

Vista do Cordón del Plata.

Além disso, para poder trabalhar nas áreas administradas pela Direção de Recursos Naturais, os guias devem pagar uma taxa, que subiu em 50% comparado com o valor de 2019. Assim, os guias dizem que mesmo com a flexibilização das regras é impossível promover uma expedição.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário