Incêndio atinge a Serra Fina (Atualizado)

0
23/07/2020 – Focos reduzidos

Durante um voo de reconhecimento no final da tarde de ontem, o Corpo de Bombeiros da Polícia Militar de São Paulo constatou que os focos foram reduzidos. Ainda assim duas equipes permaneceram no local trabalhando para que os focos não reascendessem durante a noite.

Brigadistas combatendo o fogo – Foto: Gabriel Tarso

Nessa manhã o Comando de operações identificou mais alguns pequenos focos. Tanto a equipe aérea como a equipe terrestre estão trabalhando para extinguir esses focos o quanto antes. De acordo com os Bombeiros cerca de 600 hectares da montanha foram atingidos pelo fogo.

22/07/2020 – Reforços da Prevfogo/IBAMA e brigadistas do Itatiaia atuam para controlar os focos

Este é o sexto dia desde que o incêndio começou a destruir a vegetação do ponto mais alto da Serra da Mantiqueira. Entretanto Bombeiros, brigadistas e alguns voluntários da da APA Serra da Mantiqueira seguem firmes no combate ao fogo.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Chamas na encosta do Melano, visto do vale (hoje todo queimado) da cachoeira vermelha.

Uma publicação compartilhada por Gabriel Tarso (@gtarso_) em

Os focos de incêndio no lado mineiro da montanha foram controlados. Todavia, eles ainda estão sendo acompanhado devido a constatação de fogo subterrâneo que pode voltar a superfície a qualquer momento. Esse tipo de foco atinge as turfas se propaga de maneira contínua e lenta até encontrarem uma fonte de oxigênio, e voltarem a superfície em forma de labareda. De acordo com o Instituto SuperAÇÃO, o fogo subterrâneo também ele destrói as raízes das plantas e pode causar danos incalculáveis para o ecossistema.

Já no lado paulista, ainda há nove focos de média proporção que precisam de atenção especial. Assim, o Corpo De Bombeiros continua empregando o uso de dois helicópteros (Águia e Augusta) para despejar água sobre esses locais. As equipes terrestres estão trabalhando na base da montanha com o objetivo de  não deixar o fogo atravessar o Rio Claro e adentrar à Reserva Particular do Patrimônio Natural da Pedra da Mina (RPPN).

Vegetação devastada pelo fogo – Foto: Gabriel Tarso

Cerca de 70 militares mais os brigadistas da Prevfogo/IBAMA e do Parque Nacional do Itatiaia estão de prontidão para caso seja necessário. A ação de outros voluntários foi desmobilizada ontem e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) reforça o pedido para que ninguém acesse as montanhas nesse momento.

As causas do incêndio continuam desconhecidas, porém o ICMBio já iniciou as investigações.

21/07/2020 – Trabalhos continuam na Face Sul

Bombeiros continuam no combate ao fogo do lado paulista da Pedra da Mina. Durante todo o dia de hoje foram utilizadas aeronaves para lançar água sobre os focos de incêndio. Todavia, também foi destacada uma equipe com 8 bombeiros via terrestre para acessar as regiões mais baixas da montanha.

20/07/2020 – Fogo na Face Norte controlado, Face Sul ainda em chamas.

De acordo com brigadistas, o foco de incêndio da Face Norte da Pedra da Mina foi controlado nessa tarde. A equipe que estava nessa área já esta voltando para a casa. A estimativa é de que cerca de 530 hectares tenham sido atingidos pelo fogo até o momento.

A base montada para atender os voluntários foi parcialmente desmobilizada já na tarde de ontem. Apenas seis voluntários permanecer na base do Bairro Paiolinho com o objetivo de impedir que pessoas desautorizadas acessem a área.

Imagens feitas durante o incêndio

Entretanto, a face sul da Pedra da Mina continua pegando fogo. Essa é uma área muito ingrime com desfiladeiros e penhascos, que inviabilizam o combate terrestre. Na tarde dessa segunda-feira o Avião Hércules C-130 sobrevoou novamente a área atingida pelo fogo na tentativa de conter as chamas. Ele tem capacidade para despejar cerca de 12 mil litros de água em cada sobrevoo que ajudam a conter o incêndio.

De acordo com o Corpo de Bombeiros ” três aeronaves Águias da Polícia Militar continuaram o combate ao incêndio com a caçamba bambi-bucket, realizando arremessos de água. Paralelamente ao combate aéreo, equipes de bombeiros militares estão realizando incursão terrestre pela mata fechada, com o objetivo de chegar a base do Pico e evitar que o fogo atinja novas áreas”.

Vegetação devastada pelo fogo – Foto: Vinícius Maltauro

 

Muito trabalho no final de semana

Os focos de incêndio continuaram durante o final de semana. Devido as dificuldades de acesso ao local, os bombeiros e brigadistas precisaram montar uma grande operação de combate ao fogo. Assim, mais de 100 homens do Corpo de Bombeiros da PMESP foram destacados para o local. Os Bombeiros, brigadistas e voluntários pernoitaram na montanha e se revezaram durante todo o final de semana. Eles chegaram a enfrentar temperaturas negativas de -2º C na montanha.

Pedra da Mina vista do alto – Foto: Vinícius Maltauro

O incêndio atinge tanto o lado mineiro como paulista da montanha. De acordo com o Corpo de Bombeiros da PMESP, “A área atingida pelo incêndio chegou a 4,9 km², sendo que as chamas estão se propagando na vegetação próxima às áreas de penhascos e de paredões rochosos”.

Já segundo a estimava do ICMBio é de que no domingo haviam sido 463 hectares, o que corresponde a 463 campos de futebol.

Operação militar

Nesse domingo o combate ao fogo ganhou reforço da Força Armada brasileira. A pedido do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do apelo de montanhistas nas redes sociais, o Exército e a Marinha brasileira cedeu algumas aeronovas. Foram deslocados até o local helicópteros  para transportar os brigadistas e um avião C-130 Hércules da Força Aérea equipado com um sistema de combate a incêndio Modular Airbone Fire Fighting System (MAFFS).

 

Ver essa foto no Instagram

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

Inicio do Incêndio na quinta-feira

Brigadistas, bombeiros e montanhistas trabalham nesse momento para combater focos de incêndio na região da Pedra da Mina na Serra Fina. O fogo começou ontem, 16/07, no inicio da noite e ainda não foi controlado.

Imagem do local feita nessa tarde (17/07) – Foto: Kayna Moreira

A equipe de combate ao fogo possui 12 integrantes e conta também com o apoio aéreo e mais 10 montanhistas voluntários. Eles estão trabalhando no apoio logístico, transportando equipamentos, abrigos e suplementos para os brigadistas.

Segundo um dos voluntários que estão o local, até o momento, os focos de incêndio estão concentrados principalmente no alto do Enganador e nas bases das montanhas Tartarugão e Pedra da Mina, no vale da Cachoeira Vermelha.

Ainda não se sabe o que causou o incêndio, entretanto moradores da região observaram balões sobrevoando a área no final da tarde de ontem. Esta talvez seja a causa mais provável, porém os bombeiros ainda precisam investigar para confirmar essa informação.

Incêndio atinge Pedra da Mina, ponto mais alto da travessia da Serra Fina

A Serra Fina assim como outras regiões do país está passando por uma temporada de seca. Com o frio dos últimos dias o mato secou ainda mais o que o torna mais vulnerável a focos de incêndio. Cabe lembrar que fazer fogueiras em áreas de proteção ambiental é proibido por lei, assim como soltar balões é um crime ambiental (Lei nº 9.605/98).

O Portal altamontanha.com irá acompanhar os trabalhos no local e atualizará as informações conformem forem chegando.

 

 

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário