Jogos Panamericanos de 2023 terão competições de escalada

0

Os atletas da escalada esportiva do continente americano já podem separar suas sapatilhas e cadeirinhas para mais uma competição oficial, os Jogos Panamericanos de 2023, em Santiago no Chile. A escalada foi incluída nas competições dos Panamericanos hoje 16/12, após uma votação na Assembleia Geral de Esportes LVIII Panam.

Cesar Grosso na prova de Boulder no Panamericano de Los Angeles.

De acordo com o Panam Sports, os resultados dos jogos serão utilizados para as qualificatórias dos Jogos Olímpicos de 2024 em Paris.

Leia também: Confira os resultados do time brasileiro no Pan-americano 2020

“ Esta é uma excelente notícia para a escalada esportiva e uma conquista fantástica para o nosso esporte na região Pan-americana. Gostaria de Agradecer ao presidente da Panam Sports, Neven Ilic, e aos nossos amigos do movimento olímpico das Américas por acreditarem em nosso esporte, que é verdadeiramente único. Estamos ansiosos para trabalhar com vocês para trazer a escalada esportiva para os jogos Pan-Americanos e para compartilhar nosso esporte com as Américas”, disse Marco Scolaris, presidente da IFSC.

A Presidente do Conselho Pan-Americano da IFSC, Maria Izquierdo, também agradeceu aos envolvidos pela decisão de incorporar a escalada na próxima edição dos Jogos. “Este é o tipo de notícia que ajudará o espírito dos atletas e de toda a comunidade de escalada esportiva da Pan American nestes tempos difíceis.

A 19ª edição dos Jogos Pan-americanos deverão acontecer entre os dias 20 de outubro e 5 de novembro de 2023 em Santiago, capital do Chile. A expectativa dos organizadores é de que cerca de 6.800 atletas participem das competições em 38 modalidades.

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário