Marco Aurélio foi encontrado! Fato ou mito?

14

Após 36 anos do desaparecimento do menino Marco Aurélio no Pico do Marins a polícia pede a reabertura do caso. Uma testemunha indicou o local onde o garoto foi enterrado. Ainda serão necessários exames para a comprovação da identidade da ossada, todavia esse mistério pode ter chegado ao fim.

O menino Marco Aurélio

Marco Aurélio Simon fazia parte de um grupo de escoteiros que escalou o Pico do Marins em 1985. Durante a atividade, um de seus companheiros se machucou e o garoto, com 15 anos na época, desceu a montanha  e voltou para o acampamento em busca de ajuda.

Ele desapareceu sem deixar vestígios e se tornou um dos casos mais emblemáticos de desaparecimento em montanha. Após 28 dias de buscas sem resultados várias hipóteses surgiram, inclusive a de ser um caso sobrenatural.

Nova testemunha e novos indícios

Recentemente uma testemunha indicou o suposto local onde Marco Aurélio foi enterrado. De acordo com o delegado da Polícia Civil de Piquete, Fábio Cabett, uma mulher contou que o seu pai havia enterrado o escoteiro na sua casa, após o seu filho com problemas mentais ter matado o menino. Ainda de acordo com ela, o irmão, autor do crime, também teria se matado, e seu pai o enterrou junto com Marco Aurélio.

O pai do escoteiro Ivo Simon, que esta hoje com 82 anos, pediu a reabertura do caso. “O que eu fiz até agora foi colher alguns documentos, novas provas, para embasar um pedido de desarquivamento do inquérito. Eu não posso ficar fazendo diligência sem ordem judicial, porque o inquérito está arquivado. Então eu juntei essas novas provas, porque eu só posso pedir desarquivamento com base em novas provas. Bom, temos novos indícios”, disse Simon ao site Agora Vale de Piquete.

Cabett também afirma que esta apenas esperando a decisão judicial para prosseguir nas investigações. “Nós temos dois locais lá para diligenciar, mas temos que fazer um planejamento para fazer essa diligência. De repente encontramos essa ossada ou não. Só não posso investigar, sem ordem judicial”, conclui.

Confira também o vídeo em que o montanhista Pedro Hauck comenta o caso e esse novo desdobramento:

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

14 Comentários

  1. Erasmo Arrivabene em

    Esse áudio é muito estranho. A maior incongruência é que João Carlos Xavier, o filho epilético do Sr. Afonso Xavier, desapareceu 4 (quatro) anos após o sumiço do escoteiro Marco Aurélio; portanto, não procede a afirmação de que o rapaz teria “se enforcado” logo após “disparar uma espingarda” em Marco Aurélio. João Carlos Xavier era medicado com Gardenal e vivia perambulando sozinho pelas trilhas da região. É plausível a hipótese de um homicídio involuntário por alguém em crise epilética, tanto que isso é uma causa de inimputabilidade penal; por esse motivo, diante da nova suspeita levantada, é cabível o desarquivamento do inquérito policial para dar prosseguimento a novas investigações. Cabe à Polícia Civil verificar essa possibilidade. Curiosamente, Juan relata na live do YouTube, feita no ano de 2020, que o João Carlos Xavier teria ficado incomodado com a presença do escoteiros acampando na área do sítio dos seus pais, e que, supostamente, teria mexido em alguns pertences do grupo. Foi a primeira vez que ouvi algo nesse sentido neste caso do Marco Aurélio.

    • eu não duvido nada que seja alguém que criou um boato falso só para se divertir com a situação ou ate por crueldade mesmo, nos sabemos que nesse país o que tem mais é gente ruim, politico corrupto que desvia milhões, cara que espanca covardemente mulher, pai que mata o próprio filho, eu não duvido que seja alguém só para se divertir ou ter prazer em ver o sofrimentos dos outros

      • Pode ser que seja verdade o que essa filha diz!
        Melhor a policia investigar. Só acho que isso deveria vir a tona na época da morte do escoteiro, pois dessa forma a familia saberia o que aconteceu com o gilho querido.
        Esse pai do epiléptico é tão assassino o quanto o filho, por ter acobertado esse sério erro.
        Pra que defender alguém se isso vai trazer dor para todos, de qualquer jeito?
        Ele não se livrou da dor de ter um filho assim. Ele só adquiriu mais sofrimentos!

      • ESPERO QUE SEJA DESVENDADO ESSE TÃO TRISTE MISTÉRIO. PRINCIPALMENTE EM RELAÇÃO AO SEU IVO. ESPERO QUE NÃO USEM ESSE CASO TRISTE PARA SENSASSIONALISMO. TEMOS QUE AJUDAR.QUE É O SEU CASO É DE MUITOS COMO KBC E O ESCRITOR RODRIGO.

  2. Realmente estranho o áudio, principalmente na cronologia sobre o filho do Sr. Afonso que desapareceu após 4 anos . Se for verdade fica a pergunta: havendo indícios de que os pertences do Marco Aurélio haviam sido remexidos na barraca próximos à casa do Sr. Afonso, por que a investigação não se aprofundou mais naquele local, ou se aprofundou, como não identificaram nada através de cães farejadores os quais participaram das buscas ou através de interrogatórios das pessoas da casa? Será que se focaram tanto no chefe escoteiro e nas trilhas do Marins que deixaram de lado outras possibilidades? Sr Afonso já era bem idoso na época, ter enterrado o menino e depois o filho, no mesmo local, soa meio estranho para alguém na idade dele. Se for verdade, , será o fim deste mistério e um triste alento para a família. Se for fake news, será mais uma atitude desprezível de pessoas que não fazem idéia e brincam com o sofrimento da família. Esperar pra ver…Parabéns a Alta Montanha pelos vídeos sobre o caso . Conheço o local pois já estive nos Marins e li os livros do Rodrigo Nunes. Estes vídeos ajudam a entender melhor esta história.

  3. Jarbas Francisco Pinto em

    Com CERTEZA esse caso será resolvido, eu sempre tive pra mim que alguém tinha matado esse menino, que bom que essa mulher não levou isso para o túmulo. Agora cabe a polícia a justiça falha do Brasil ter coragem de resolver este caso, que já ERA 0ara ter sido RESOLVIDO na época. Isso é uma VERGONHA.

  4. Muito estranho meu pai quando desceu do pico no dia do sumiço o seu Afonso apavorado estava na porta e já sabia do sumiço do escoteiro como ele já sabia se nem o restante do grupo sabia ainda por ainda estar no pico. Tem muito pano pra manga

  5. ALBERTO ORTENBLAD FILHO em

    ALBERTO ORTENBLAD em 20.07.2021:

    Incrível que três dias atrás estava relatando aqui em casa a história do Marco Aurélio. Tempos atrás, o Marins era pouco conhecido e mal afamado, dizia-se que era uma montanha perigosa, onde as pessoas se perdiam – devido ao famoso sumiço do escoteiro Marco Aurélio.

    Conheci Seu Afonso e Dona Maria, ele era receptivo mas discreto e ela era muito faladora. Talvez tivesse também visto então o João Carlos, o filho deles, agora denunciado como assassino. Sempre que fazíamos o Marins, visitávamos o casal, levando alguns mantimentos. Da última vez, a casa estava vazia.

    O acesso antigamente era mais longo, não se chegava diretamente ao Careca, onde começa a trilha. Lembro da primeira vez em que avistei de lá o Marins. Foi assustador, uma montanha enorme, com vários maciços separados. Levei naquela ocasião 5 horas na montanha, subi o maciço errado e tive de voltar.

    A exumação do(s) corpo(s) deverá revelar a verdade. Mas acho difícil que Marco Aurélio esteja lá. Penso que continuará apenas como um fantasma.

  6. Pesquisei muito sobre o caso. O que aconteceu na verdade foi que Marco Aurélio chegou na casa de Afonso Xavier e foi morto por seu filho, João. Afonso enterrou o corpo do menino perto de um lago. Nas buscas ninguém se preocupou em procurar perto da casa nem sequer desconfiaram de Afonso. As videntes que participaram das buscas disseram que o menino estava num campo perto de um rio. Muita coincidência não? Outro fato que parece ter ocorrido é que anos mais tarde João sumiu em uma de suas escapadas e Afonso foi atrás ficando 5 horas sumido voltando cansado para casa sem João. O que aconteceu foi que ele encontrou João enforcado e o enterrou escondendo da família o que tinha acontecido. Os corpos dos dois serão encontrado em breve pela polícia, anotem aí.

  7. Faz sentido, menos a parte de que o rapaz se enforcou logo em seguida, mas explicaria até o mistério da luz de lanterna e apitos que ouviram na segunda noite de buscas, provavelmente foi o rapaz doente que estava com a lanterna e o apito do escoteiro e aplicou uma peça nas equipes de buscas.

Deixe seu comentário