Caminhos Coloniais da Serra do Mar - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Serra do Mar em Fotos

Caminhos Coloniais da Serra do Mar


Categoria: Livros

Usando de vários recursos, o livro conta de forma leve e agradável a história do desbravamento e colonização do Paraná através dos caminhos e trilhas primeiramente usados para vencer a Serra do Mar...

Julio César Fiori, José Paulo Fagnani e José Carlos Penna Wageck
Editora: Natugraf Ltda
Ano de edição: 2006
142 páginas
225 fotografias
7 mapas
Tamanho: 22,5 x 31cm

Idioma: português, inglês e espanhol


Usando de vários recursos, o livro conta de forma leve e agradável a história do desbravamento e colonização do Paraná através dos caminhos e trilhas primeiramente usados para vencer a Serra do Mar, esta gigantesca muralha que protege o rico planalto interior. Inicia com algumas especulações e outras histórias sobre o pré-histórico caminho indígena do Peabiru para depois mergulhar no período colonial, onde narra toda a história da antiga estrada do Itupava, que por muitos séculos foi a principal ligação do planalto ao litoral.

Do caminho da Graciosa ligando Curitiba a Antonina, da igualmente importante estrada do Arraial que fez a conexão de São José dos Pinhais a Morretes, da picada dos Ambrósios que nascia em São Francisco do Sul e também chegava em São José, do caminho fluvial do Cubatão que por muito tempo funcionou como prolongamento do Itupava entre Porto de Cima e Paranaguá e finalmente da desconhecida picada do Cristóvão que cruza a serra ligando Praia Grande ao Porto Cacatu. Do trânsito nestas trilhas nasceu o Paraná e delas ainda restam, preservados no interior da assombrosa floresta, os impressionantes vestígios documentados em fotografias, mapas, citações e textos agrupados neste livro.

O livro Caminhos Coloniais da Serra do Mar nasceu pela iniciativa de José Carlos Wageck, da experiência do fotógrafo José Paulo Fagnani, do conhecimento de Julio César Fiori e da dedicação à natureza da empresa Fosfértil S/A que prontamente aceitou patrocinar este projeto com base na lei de incentivo a cultura do Ministério da Cultura.

Por aproximadamente dois anos percorreram as muitas trilhas na mais rica, assustadora, belíssima e ameaçada floresta do mundo, a mata atlântica em sua porção melhor preservada. Foram muitos dias caminhando sob chuva gelada ou sol ardente, suados e curvados sob o peso do equipamento fotográfico, facões, vassouras e apenas um sanduíche para o almoço. Longos trechos percorridos de jeep, mas principalmente a pé, repetidos várias vezes em busca da iluminação adequada para uma única foto. Horas suportando a umidade da floresta e as picadas dos insetos para obter a imagem desejada.

Suprema angustia e momentos de desespero quando num domingo, o fotógrafo José Paulo escorregou nas pedras do rio Cachoeira e caiu sobre o tripé da máquina fotográfica rasgando um supercílio. Banhado em sangue, o conduziram numa longa viagem, primeiro de jeep 4x4 e depois em automóvel até Curitiba onde iniciaram outra corrida por vários hospitais que terminou numa delicada cirurgia de emergência. Meses de angustiante ansiedade na espera por sinais de recuperação. Instantes de rara magia e prazer a cada objetivo atingido na escuridão da imensa floresta, na mesa da biblioteca ou no monitor do computador. Devagar o livro foi surgindo das várias frentes de batalhas abertas simultaneamente e da pronta ajuda que receberam dos muitos colaboradores. Alguns contribuindo com uma preciosa informação, uma fotografia, um livro, prestando um serviço ou apenas oferecendo sua solidária companhia.

Foi importante também a compreensão dos familiares durantes as muitas noites e fins de semana que passaram trancados no escritório, pesquisando velhos livros e novos sítios da Internet, discutindo idéias e desenhando mapas, analisando fotos e projetando slides.

Outros tantos passaram imersos no mar verde, escalando as serras e perseguindo a pista dos heróis desta terra que nos séculos passados desbravaram o sertão infinito. Homens e mulheres que deixaram gravados em cada pedra do caminho uma história de coragem e perseverança, nas curvas e zig-zags a prova de sua tenacidade. Redescobrir seus nomes, suas profissões e reviver seus dramas foi um delicioso aprendizado que agora podem dividir com os conterrâneos e também com o mundo através do mágico poder deste um livro.

O lançamento oficial foi no dia 16 agosto 2006 às 20:00 horas no Graciosa Country Club, na Av. Munhoz da Rocha, 1146, bairro Bacaheri em Curitiba.


Vendas
Na Loja AltaMontanha

 





Publicidade:


Publicidade

Publicidade