Piolet d´Or com espírito renovado - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
O retorno às raízes

Piolet d´Or com espírito renovado

A XVII edição do Piolet d´Or, a mais famosa premiação do montanhismo internacional, surge revitalizada e reunirá alpinistas dos quatro cantos do mundo em um festival já esperado com ansiedade. Conferências, debates, audiovisuais e outras atividades culturais começarão em Courmayeur e Chamonix, França, de 22 a 25 de abril.

Fonte:

O Groupe de Haute Montagne, edições Nivéales e as revistas Montagnes Magazine e Vertical são os organizadores da presente edição do Piolet d´Or, renascido de suas polêmicas e colocado de pé novamente para sua inauguração em 22 de abril. Serão quatro dias de atos culturais, prêmios e principalmente um fórum de alpinismo internacional aonde se poderá avaliar o estado das grandes atividades.

Os organizadores contarão com o apoio do AAJ, o American Alpine Journal, um estandarte de ouro da cultura de montanha, e investigador fundamental das grandes primeiras conquistas em todas as regiões do planeta. Será a primeira vez que o AAJ participa oficialmente na organização do Piolet d´Or, incorporando-se ao novo espírito do prêmio cujo principal objetivo é encontrar o sabor da aventura, o desejo de exploração e a arte de escalar montanhas, muito além do espírito competitivo.

Um juri internacional
Os membros do juri, para esta XVII edição, é formado por personalidades do mundo do alpinismo. Reconhecidos montanhistas e jornalistas, informados e apaixonados. Os membros da organização nem sequer participam da seleção de nomeados para a votação final, deixando para o juri toda a liberdade para fazer seu trabalho com integridade.


Estes são os membros do juri:

Doug Scott (Grã Bretanha) - Alpinista - Presidente do juri
Alpinista, explorador, um dos pioneros do estilo leve e rápido no Himalaya, Doug Scott completou em torno de 45 expedições nas montanhas mais altas do mundo. Alcançou 40 cumes, a metade por rotas novas, em montanhas virgens ou em estilo alpino. Além de sua ascensão da face sul do Everest em 1975, aonde teve que utilizar oxigênio, conseguiu outras grandes conquistas sempre levando adiante um alpinismo clássico, simples e limpo. Também realizou os 7 cumes mais altos de cada continente. Em 1999 recebeu a Medalha de Ouro da Royal Geographic Society.

Dodo Kopold (Eslováquia) - Alpinista
Um dos representantes mais destacados do atual alpinismo de vanguarda. Tem só 32 anos mas já abriu uma enorme quantidade de rotas extremas (em misto e rocha) no Paquistão, além de ter conseguido seis oito mil em estilo alpino e sem oxigênio suplementar, nos últimos seis anos.

Jim Donini (EUA) - Alpinista
Atual presidente do American Alpine Club e montanhista especializado nos rigores da Patagônia. No Himalaya, entre outras coisas, alcançou o punto mais alto da aresta norte do Latok I, junto a Jeff Lowe em 1978. Uma rota que não foi conquistada até 2008 apesar das numerosas tentativas.

Peter Habeler (Áustria) - Alpinista
Desde 1969, Peter acumulou escaladas de recorde nas grandes rotas dos Alpes e dos Andes, antes de centrar-se no Himalaya. Em 1975, com Reinhold Messner, conseguiu a primeira ascensão em estilo alpino de um oito mil, no Gasherbrum I, e três anos depois, subiu o Everest sem oxigênio. Guia, instrutor de esqui, editor e escritor, o sempre ocupado Peter Habeler é um excelente conhecedor do mundo do alpinismo.

Im Duck Yong (Coréia) - Jornalista
Jornalista independente, Im Duck Yong mantém a comunidade alpina informada das grandes atividades na Ásia, além de ser o porta-voz da cultura alpina em seu continente. Por isso é o organizador, durante os últimos três anos, dos Piolet d´Or asiáticos.

Darío Rodríguez (Espanha) - Jornalista

Co-editor chefe da revista Desnivel e atual diretor de Ediciones Desnivel, empresa líder da comunicação alpina na Espanha.



Piolet d´Or: 16 anos de conquistas

2007 - Cancelado

2006 - Os eslovenos Marko Prezelj e Boris Lorencic foram premiados pela abertura em estilo alpino do pilar noroeste do Chomo Lhari (7.326m, Tibet).

2005 - Steve House e Vince Anderson (USA), primeira ascensão do Pilar Central do Nanga Parbat (8.125m, Paquistão) na vertente Rupal.

2004 - Aos 11 russos da expedição liderada por Alexander Odintsov que conseguiu a primera ascensão da face norte do Jannu (7.710m), no Nepal.

2003 - Valery Babanov e Yuri Koshelenko (Rússia) pelo Pilar Sul do Nuptse (7.703m), Nepal.

2002 - Mike Fowler e Paul Ramsden (Grã Bretanha) por sua abertura da face norte do Siguniang (6.250m), China.

2001 - Valery Babanov (Rússia) foi premiado por sua ascensão em solitário ao Meru Peak (6.310 metros) na Índia.

2000 - Primeira linha direta aos patamares superiores do Shivling (6.543m), na Índia, por Thomas Huber (Alemanha) e Iwan Wolf (Suiça).

1999 - Primeira ascensão da face sul do Burkett Needle (3.049m, Alaska), pelos franceses Lionel Daudet e Sébastien Foissac.

1998
- A primeira ascensão da face norte do Thaly Sagar, 6.904m, norte da Índia, pelo neozelandês Athol Whimp e pelo australiano Andrew Lindblade.

1997 - A primeira ascensão da face oeste do Makalu, pela expedição russa ""Ville d´Ekaterinburg"".

1996 - Segundo prêmio para a Eslovênia. Tomaz Humar e Vania Furlan por sua abertura na face Noroeste do Ama Dablam, 6.812m, uma das montanhas mais bonitas do Nepal.

1995 - Prêmio para a equipe de Andreas Orgler, Heli Neswabba e Arthur Wutsher (Alemanha) por sua abertura de várias rotas, em especial da face sul do Mt. Bradley (Glaciar de Ruth, Alaska).

1994 - François Marsigny (França) e Andy Parkin (Grã Bretanha) abriram uma nova rota de gelo no Paso da Esperanza (Cerro Torre, Patagonia), sobrevivendo durante muitos dias a uma complicado descida.

1993 - Prêmio colectivo por seu altíssimo nível à equipe de jovens alpinistas do Club Alpino Francês, que conseguiram completar seu objetivo na região do Pamir Altaï.

1992 - Michel Piola (Suiça) e Vincent Sprungli (França) foram recompensados por sua abertura de extrema dificuldade na região do Paine (Patagonia).

1991 - O primeiro prêmio foi entregue à dupla eslovena de Marko Prezelj e Andrej Stremfelj por sua primeira ascensão dos 3.000 metros do pilar sul do Kangchenjunga (Himalaya, 8.476m).



Piolets d´Or, regresso às raízes
Os co-organizadores da XVII edição do Piolet d´Or, Fabrizia Derriard e Eric Fournier, refletem sobre os objetivos do prêmio e sobre os valores do alpinismo.


 ,
Com a conquista do Mont Blanc em 1786, de Jacques Balmat e Michel Gabriel Paccard se derrotaram os medos ancestrais de toda a população dos altos vales alpinos.

Naquele século XVIII permanecer uma noite sobre os enormes glaciares significava uma morte certa. Durante sua ascensão ao Mont Blanc, o mal tempo forçou Jacques Balmat a bivacar no glaciar de Bossons. Sobreviveu. E conseguiu a primeira ascensão da montanha.

Nos dias de hoje, ainda existem vales desconhecidos no Himalaya, ignoradas áreas montanhosas, formando fronteiras, com seus cumes virgens, vertentes desconhecidas e arestas que os alpinistas do século XXI provavelmente explorarão.

Os medos irracionais nos dão um caminho para a preparação de atletas, para saborear a aventura e o compromisso. Os montanhistas tem a responsabilidade de assumir os riscos durante suas escaladas extremas, quando muitas vezes o resgate só é possível se seus companheiros de expedição são capazes de atuar.

O alpinismo segue sendo uma atividade incongruente em nossa sociedade, mas para nós é um veículo que transporta os valores, os grandes desafios, as conquistas de nossa natureza mais profunda em sua mais poderosa expressão. O topo não é a única meta: a nós importa a forma de percorrer o caminho.

Com a grande crise que está desestabilizando nossa sociedade, é agora quando mais se fazem notar os impulsos de uns poucos homens, que mais além dos desejos pessoais, buscam perpetuar alguns ideais de beleza, de respeito, do desafio do homem com a montanha ""jogando limpo"".

Então nos parece óbvio, aqui em Courmayeur e Chamonix, devolver a moeda aos ""Conquistadores do inútil"". Aqui, onde o alpinismo nasceu há 250 anos, voltará a se celebrar os altos conceitos da montanha, voltaremos às raízes e com a volta do Piolet d´Or buscaremos seguir entendendo a essência desta disciplina, que nunca deixa de crescer, de superar-se e de convidar à nossa , superação.

Fabrizia DERRIARD - Prefeita de Courmayeur
Eric FOURNIER - Prefeito de Chamonix Mont Blanc
Co-organizadires do 17º Piolet d´Or



Redação AltaMontanha com informações de Desnivel - Espanha
 ,

Publicidade