Patrícia Mattos fala das competições no Rio de Janeiro - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Luciano Fernandes entrevista

Patrícia Mattos fala das competições no Rio de Janeiro

O colunista do AltaMontanha Luciano Fernandes entrevistou Patrícia Mattos, diretora de competição da Federação de Montanhismo e Escalada do Estado do Rio de Janeiro. Patrícia falou das dificuldades de organizar campeonatos e do ranking 2010 de escalada no Estado do Rio. Confira:

Fonte: 12

Luciano Fernandes: Patricia, parabéns por divulgar o calendário de competições do estado do Rio de Janeiro. Como foi feita a escolha das datas? Qual foi o critério utilizado?

Patrícia Mattos: Muito obrigada!!

No mês de novembro as federações tem que enviar as datas das competições para a CBME que as repassa para o calendário do Ministério dos Esportes.

Como nós do Deptº de Competições da FEMERJ já sabemos disso nos adiantamos e somos um dos primeiros a enviar essas datas.

Os primeiros sempre tem preferência e quem marca depois tem que se encaixar nas datas que foram marcadas com antecedência e isso foi uma coisa que aprendi bem rápido.

Como o campeonato estadual do RJ está sendo todo realizado no mesmo ginásio, os critérios utilizados são: que aconteça após a ATM (Abertura de Temporada de Montanhismo), para que a divulgação comece por lá e que aconteça num espaço de dois em dois meses para que não sobrecarregue o ginásio com o desgaste da retirada e da colocação de todas as agarras, para que os frequentadores do ginásio não sejam prejudicados com esse vai e vem de agarras e possam usufruir do ginásio normalmente. Esse é um detalhe muito importante e temos que ter muita agilidade.

L F: Quais foram as maiores dificuldades encontradas para a divulgação ? Houve quem procurou, mesmo que passivamente, dificultar o planejamento?

P M: Não tivemos dificuldades em divulgar o campeonato estadual, pois estamos fazendo tudo dentro do planejamento. Só tivemos que esperar os apoiadores e patrocinadores serem definidos para estabelecermos o nosso planejamento de mídia e começarmos a divulgar dentro das datas acordadas entre a organização e a nossa assessoria de imprensa.

Quanto a sua 2ª pergunta, tivemos que cancelar duas etapas do Campeonato Brasileiro de "Boulder" que faríamos aqui no RJ pela demora do Deptº de Competições da CBME em definir o regulamento a ser utilizado para o mesmo.

Ainda bem que fui rápida e esse cancelamento não custou nada a FEMERJ, já que é cobrada uma taxa para reservar a data para um Campeonato Brasileiro junto a CBME.

L F: Qual o segredo de ser uma das pouquíssimas federações do Brasil a ter um calendário de competições bem divulgado?

P M: Felizmente o meu marido e secretário do Deptº de Competições tem uma produtora, a Plural Mix, que atua no mercado publicitário e que é um dos patrocinadores do campeonato estadual do RJ. Ele se diverte muito fazendo, por exemplo, as Vídeos Chamadas e toda a parte de produção/divulgação das competições. Esse trabalho acabou virando o "xodó" da empresa.

Sua experiência contribuiu efetivamente tanto no planejamento de mídia e divulgação assim como na busca de apoiadores e patrocinadores, tendo, é claro, a minha contribuição pelos muitos anos de experiência como realizadora/organizadora de eventos de escalada.

Foi dele a idéia da produção e divulgação nos sites especializados e blogs, como o seu, das vídeo chamadas e dos documentários de cada etapa, o que nenhuma associação ou federação do Brasil ainda tinha feito. Aliás continuamos contando com todos os blogs e sites para fortalecerem e divulgarem não só as nossas competições como os apoiadores e patrocinadores, que sabidamente são escassos, portanto muito importantes para nós.

Só para se ter uma idéia, até o final desse ano atingiremos a marca de quase 40 vídeos produzidos desde de 2008.

L F: O calendário de competições nacionais ainda não foi divulgado para a comunidade e somente postado em site da CBME mas sem alarde, (e há rumores que nem foi planejado), com a possibilidade de conflito de datas, há a possibilidade de se alterar as datas do Rio de Janeiro por isso?

P M: De forma alguma.

Trabalhamos em cima de um planejamento feito no ano anterior, inclusive quando fazemos contato com as empresas enviando o projeto do campeonato em busca de apoio e patrocínio, as datas das competições já estão definidas. Qualquer mudança inesperada, pode acarretar problemas na divulgação/organização e até a perda de apoios ou patrocínios, o que não podemos nos dar ao luxo de deixar acontecer.

L F: Será que neste ano de 2010 haverá alguma etapa do Campeonato Brasileiro no estado do Rio de Janeiro?

P M: Não, e não foi por falta de vontade.

Na verdade tento fazer um Campeonato Brasileiro no estado do Rio de Janeiro desde 2008 na ATM, campeonato este que tive que cancelar por falta de quorum para organização e consequentemente a estruturação do mesmo na época, logo quando assumi o Deptº de Competições da FEMERJ.

Tive que ouvir coisas do tipo: "...você nunca vai reativar as competições no Rio" ou "...não senti firmeza quando vc assumiu as competições."

Bem, hoje estou aqui, firme e forte e já fazem 3 felizes anos que estou a frente das competições do estado do Rio de Janeiro, pela FEMERJ e a partir de 2011 pela AFEC.

Em 2009 eu nem pensei em fazer um Brasileiro. E no nosso planejamento original para 2010 teríamos duas etapas do Campeonato Brasileiro de "Boulder" aqui no estado do Rio de Janeiro que também seriam válidas para o "ranking" estadual e mais duas etapas só para o Campeonato Estadual, totalizando 4 etapas. Tivemos que cancelar as duas etapas do Campeonato Brasileiro de "Boulder", pois para sediarmos um Brasileiro teríamos que atender as exigências de um regulamento nacional que ainda não existia.

Como nós poderíamos sediar e planejar um Campeonato Brasileiro se os requisitos como: nº de categorias, nº de juízes, se seria obrigatório a utilização de um "route-setter" homologado pelo IFSC ou não (no caso temos apenas um no Brasil), entre outros ítens importantes ainda não estavam definidos? Sabemos que para organizar um campeonato precisamos dimensionar custos, e como faríamos isso sem todos esses dados?

Esse regulamento em nível nacional só ficou pronto, se não me engano, no meio desse ano, e diante de tantas exigências desse novo regulamento vai ser muito difícil incluirmos uma etapa oficial de um Campeonato Brasileiro aqui no estado do Rio de Janeiro, tão cedo.

L F: Assim como ocorria no estado de São Paulo, há a expectativa de haver algum "Open de "Boulder" no Estado do Rio de Janeiro?

P M: Sim. Já fizemos um inclusive em 2009. O Escalada Indoor Icaraí realizou, sob minha supervisão, o "Boulder Mix Brasil 1" com Felipe Camargo "Pikuíra", onde ele abriu os "boulders", fez um "workshop" e apresentou o vídeo da sua cadena "Los Inconformistas", que como todos sabem foi o primeiro 11c feito por um brasileiro, em Rodellar, na Espanha.

Para as próximas edições do BMB já temos 4 escaladores na "mira" e que já toparam fazer: César Grosso, Belê, Caio Gomes e Janine Cardoso.

BMB tem como objetivo além de ajudar financeiramente esses atletas (já que patrocínio é muito difícil como todos sabemos) , compartilhar com o público suas experiências como atletas de ponta.

Com calma chegaremos lá!

L F: Como está sendo encaminhada a criação de uma associação de escalada no estado do Rio de Janeiro?

P M: Ela já existe, é a AFEC (Associação Flumimense de Escalada de Competição), que agora está na fase dos trâmites burocráticos, até ser aceita e reconhecida pela FEMERJ, como a entidade oficial que passará a realizar e promover os campeonatos no estado.

L F: Quem são as pessoas e empresas que estão apoiando as competições no Estado do Rio de Janeiro? Há apoio político (de representações de escalada) também?

P M: A realização é da FEMERJ e do ginásio Escalada Indoor Icaraí.

Temos o patrocínio da Águas de Niterói, Secretaria Municipal de Esportes de Niterói e da produtora Plural Mix.

Além disso temos o apoio das empresas: Black Rock - USA, Prana - USA, Sigg - SUI/BR, Conquista Montanhismo, Snake, Herbalife, Times e Torcidas, Stone Chalk, Resseg, Paul Monkey, Lechen, Levitar Workwear e ainda estamos aguardando respostas de empresas dentro e fora do Brasil que já demonstraram interesse pelo nosso modesto projeto.

Graças a Deus e muito suor teremos muitas pessoas e empresas para agradecer no final deste ano. (rsrsrs)

L F: Tendo uma organização exemplar, já houve sondagem para que você também venha a organizar o Campeonato Brasileiro, já que não , estão havendo competições como se havia no passado?

P M: Não e por enquanto tenho muito trabalho aqui no estado do Rio de Janeiro a fazer, pois pretendo levar as competições para as ruas, para que o público deixe de ser segmentado. Levar pro povão mesmo o nosso esporte.

L F: Mesmo com a reclamação de falta de apoio, sempre há competições regulares no estado do Rio de Janeiro. Há algum segredo ou truque para sempre haver campeonatos, não importando a dificuldade encontrada?

P M: Sim. O segredo é trabalhar incansavelmente em busca de empresas que apoiem e patrocinem as competições. Pelo meu amor incondicional ao esporte, trabalho e utilizo o nosso ginásio, o Escalada Indoor Icaraí, como sede de todo o campeonato estadual, gentilmente.

Não podemos esquecer da participação imprescindível dos voluntários, profissionais e principalmente dos atletas que aos poucos vão retornando as competições do estado e depositando sua confiança em nosso trabalho, pois conhecem as dificuldades de perto, já que alguns deles contribuem com a organização/divulgação.

Finalmente, acho que algumas empresas estão conseguindo enxergar o nosso campeonato como uma maneira de fortalecer suas marcas no mercado através do nosso planejamento de mídia/organização. Obrigada a todas e todos. Kmon!!!
 

Vídeos da última etapa do Campeonato Fluminense de Boulder 2010:



Luciano Fernandes é escalador de São Paulo, ele é colunista do AltaMontanha e autor do Blog de Escalada

Publicidade:


Publicidade

Publicidade