Cleo Weidlich: a brasileira com mais cumes no Himalaia - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
mais para o Brasil

Cleo Weidlich: a brasileira com mais cumes no Himalaia

Ainda no Karakoram, Cleo Weidlich quer repetir o Broad Peak. Só neste ano, ela chegou ao cume do Everest, chegou a 8200m no Lhotse, tentou o Nanga Parbat e ainda fez cume no Hidden Peak no Paquistão. O AltaMontanha.com fez uma entrevista com a escaladora no acampamento base dos Gasherbrums. Ela revelou todos os cumes e tentativas no Himalaia. Seu currículo é impressionante.

Fonte:

Esta amazonense que mora nos EUA há muitos anos tem realmente muita história para contar. Mesmo durante a conturbada temporada com enchentes e deslizamentos de terra no Paquistão, Cleo continua insistindo em repetir o cume do Broad Peak.

Temporada no Himalaia

Cleo começou a sua temporada no Himalaia escalando o Lobuche East (6100m) para aclimatar-se para o Everest. Como ´trip leader´ para a Eco Everest, ela conseguiu colocar todos os seu 26 clientes no cume da montanha mais alta do mundo. Como se não bastasse, ela só começou a usar oxigênio acima do "balcony", a 8450m de altitude! A única garrafa de oxigênio que ela tinha durou até o cume sul e ela teve que continuar sem oxigênio até o cume que foi alcançado no dia 17 de maio de 2010, um dia de muito vento.

Na descida ela ainda resgatou 3 membros da expedição do time nepalês de ciclismo que estavam com edema cerebral. Cleo teve que ministrar oxigênio e injetar dexametazona em alguns dos escaladores. Do cume sul, ela e seu sherpa levaram os membros da expedição que estavam com edema cerebral até o acampamento 2, localizado a 6430m.

Voltar para casa estava longe de questão e Cleo ainda foi ao Lhotse com seu sherpa Dawa Thsering. Apenas 6 dias após o cume do Everest, Cleo já estava no acampamento 4 desta difícil montanha de 8516m. Devido ao mau tempo, Cleo teve que abandonar a escalada a 8216m de altitude. Segundo Cleo, ela estava muito perto e já conseguia ver o cume!

Temporada no Karakorum

A temporada no Himalaia tinha acabado e todos os escaladores começaram a voltar para seus países. Mas não Cleo. Ante o difícil processo para conseguir visas para o Paquistão, ela teve que voar aos EUA para conseguir uma visa e voltar para o Nepal, para depois voar ao Paquistão.

No dia 11 de junho de 2010 ela finalmente conseguiu entrar no Paquistão para começar o seu projeto. Como ela não sabia exatamente o que escalar, ela comprou permissões para TODOS os 8000 do Paquistão!

Começando com o Nanga Parbat, Cleo contratou 2 fortes carregadores de altitude: Mohammad Ali III e Nisar Hussain Ali Sher. Após 1 mês tentando, Cleo somente conseguiu alcançar o terceiro acampamento da montanha. A temporada atípica de 2010 fez com que ela desistisse a 7000m de altitude.

Mais Paquistão

Após uma breve parada de descanso em Skardu, Cleo e seus 2 carregadores atravessaram o difícil passo Gondogoro La, com quase 6000 metros de altitude. Na subida havia tanta neve que Cleo teve que reabrir a trilha e fixar cordas, coisa que mesmo os fortes escaladores cazaques Maxut e Vassiliy não conseguiram fazer.

No dia 27 de Julho de 2010, a escaladora brasileira chegou ao acampamento base dos Gasherbrums. 5 dias após haver chegado, Cleo começou a sua investida ao Hidden Peak. Com a aclimatação trazida do Nanga Parbat, ela chegou ao acampamento 3 em 3 dias.

Juntando forças com um time coreano que tinha 4 fortes sherpas e um forte escalador sueco, Cleo saiu para o cume do Hidden Peak às 10 da noite do dia 4 de Agosto. O bloco composto por 9 escaladores demorou 16 horas até o cume e mais 6 horas para descer de volta ao acampamento 3, localizado a 7100m.

E mais Paquistão....

Cleo chegou ao acampamento base no dia 6 de agosto. Enquanto todas as outras expedições abandonaram as escaladas em todas as outras montanhas do Karakoram, Cleo mudou-se ao Broad Peak.

Apesar de já ter feito cume no Broad Peak em julho de 2009, ela não conseguiu tirar fotos do cume na ocasião. Portanto agora ela quer voltar para conseguir as valiosas fotos de cume. O AltaMontanha.com está esperando notícias sobre a expedição de Cleo ao Broad Peak.

O ano não termina por aí!

Após o Broad Peak, Cleo pretende escalar a face sul do Shishapangma. Ela quer subir a rota chamada "Scott". Segundo a escaladora, ela tentou o Shishapangma em 2002 e em 2009, porém alcançou o cume central da montanha em ambas ocasiões. Este cume é somente 12 metros mais baixo do que o cume principal.

Segundo Cleo, há dificuldades em conseguir permissões para escalar o Shisha sozinha e ela precisa um time de 6 pessoas. Isso acontece devido às novas normas impostas pelo CTMA, instituição que controla as permissões para expedições no Tibet. Se Cleo não conseguir a permissão para o Shishapangma, ela vai para o Manaslu no final de agosto.

E no passado?

O currículo de montanha de Cleo é impressionante. Após uma entrevista concedida à Maximo Kausch no acampamento-base dos Gasherbrums, Cleo contou todos os seus cumes e tentativas no Himalaia. Fora tudo o que ela já escalou em 2010, Cleo conta com vários outros cumes no Paquistão, Nepal e China:

- Mt Spantik, com 7027m no Paquistão, no qual ela fez cume 2 vezes! A primeira vez foi em 1997 e a segunda vez em 2003.

- Mt K6 ou Baltistan Peak, com 7281m no Paquistão. Esta é uma montanha extremamente técnica e ao que parece somente 2 expedições além de Cleo chegaram ao cume.

- Cume no Mt Mouneera com mais de 7000 metros no Paquistão

- Tentativas ao Mt. Lingtren (6690m) e Pumori (7150m) em 2004 e 2007 respectivamente. Estas 2 montanhas nepalesas são vizinhas uma da outra e são extremamente técnicas. Cleo chegou bem alto nas duas tentativas.

- Cume no Cho Oyu em 2009. Cleo fez a escalada sem oxigênio em apenas 11 dias. Ela fez o ataque ao cume desde o acampamento 2 e demorou apenas 5 horas até o cume. Na descida ainda ajudou no resgate de um membro da expedição comercial Jagged Globe. Apenas 6 dias após o cume do Cho Oyu, Cleo já tinha alcançado o cume central do Shishapangma.

- Cleo ainda escalou o cume do Muztagh Ata com 7546m. A data porém é desconhecida pela redação do AltaMontanha.com.

Primeira Brasileira?

O AltaMontanha.com está esperando a confirmação do historiador e contribuidor Rodrigo Ganzotto Peron para saber em quais desses cumes Cleo foi a primeira brasileira ou mesmo a primeira pessoa sul-americana em fazer tais cumes.

Nesse ritmo, Cleo Weidlich vai chegar muito longe e em poucos anos se juntará à elite de sul-americanos com mais cumes de 8000 e 7000 metros de altitude.

Boa sorte Cleo!

Entrevista: Maximo Kausch
Fotos: F. Strang

Publicidade:


Publicidade

Publicidade