Notas preliminares do Karakoram 2012 - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
por Rodrigo Granzotto Peron

Notas preliminares do Karakoram 2012

Está em pleno andamento a temporada de escaladas do Paquistão, com equipes tentando tanto os 8000 quanto picos menores. Esse artigo é para dar uma visão preliminar do que está acontecendo no Karakoram até o presente momento.

Fonte: Redação

Para nós tem sido uma temporada frustrante, já que dois nomes anunciados – Waldemar Niclevicz e Marcelo Delvaux – acabaram desistindo de suas empreitadas. Há alguns poucos sulamericanos no Paquistão, com destaque para a dupla Santiago Quintero (Equador) e Carlos Hernán Wilke (Argentina) no K2 e a grande expedição colombiana ao Gasherbrum (onze integrantes).

 

MONTANHAS 8000

 

I - Nanga Parbat:

Os primeiros cumes na temporada ocorreram no Nanga Parbat, em 15 de julho, quando Sandy Allan e Rick Allen concretizaram uma das maiores proezas já realizadas na Ásia.

Os britânicos culminaram após percorrerem integralmente a maior aresta entre todos os 8000: a Aresta Mazeno. Essa rota possui quase catorze quilômetros de extensão, sempre acima dos 6800 metros, e conduz ao cume do Nanga Parbat após passar por oito cumes menores (entre 6880 e 7080 metros), além de vários pináculos de gelo e escalões, até o ponto mais alto da cadeia (8127 metros). Havia sido tentada treze vezes antes, sem sucesso. A dupla britânica levou onze dias para atingir o cume e dois para descer, e nos últimos três ficou sem gás para derreter neve e sem comida. Foi uma prova de resistência e habilidade incrível, e um dos maiores feitos já realizados nessa montanha.

 

II - K2:

No K2, as coisas são mais difíceis. Depois de uma tragédia horrível, com oito mortos em 2008, seguida por dois anos sem cumes (2009 e 2010) e um com apenas quatro cimas (2011), finalmente 2012 traz a redenção da Montanha dos Montanhistas.

No dia 31 de julho, vinte e quatro escaladores chegaram ao ponto mais alto da cordilheira do Karakoram, em expedição comercial da empresa Seven Summit Treks.

No dia seguinte, mais três cumes completaram a leva, e fizeram de 2012 um dos anos com mais êxitos no K2.

 

Lista de cumes:

Chhang Dawa Sherpa (Nepal) (13 cumes 8000)

Oscar Cadiach (Espanha) (11)

Peter Hamor (Eslováquia) (10)

Azim Gheychisaz (Irã) (9)

Yang Chun-Feng (China) (9)

Rao Jing-Feng (China) (7)

Kim Hong-Bin (Coréia do Sul) (7)

Tunç Findik (Turquia) (7)

Chris Stangl (Áustria) (5)

Pavel Bem (República Tcheca) (3)

Fabrice Imparato (França) (2)

Chun Ji-Yang (China) (1)

Khoo Swee-Chiow (Cingapura) (4)

Adam Bielecki (Polônia) (3)

Como se vê, uma enorme quantidade de alpinistas experientes, entre 7 e 13 oitomil no currículo, com exceção do francês de Chun, que estão nos seus primeiros cumes. Algumas curiosidades:

a) o polaco Adam Bielecki é o mesmo que fez a primeira invernal do Gasherbrum I, no inverno passado, e é uma estrela em franca ascensão;

b) o tcheco Pavel Bem é o prefeito(!) de Praga, capital de seu país;

c) Christian Stangl é o mesmo que “imaginou ter feito cume no K2” em 2008, farsa que foi desmascarada pelo Explorersweb e se tornou um dos maiores escândalos da história do himalaísmo. Aparentemente, desta vez, ele realmente fez cume.

 

Além deles, culminaram os nepaleses de apoio:

Dawa Chhiri II Sherpa (6 cumes 8000)

Dorjee Sherpa (2)

Dawa Sange Sherpa (3)

Halung Dorchi Sherpa (2)

Karma Gyalzen Sherpa (3)

Lhakpa Thundu Sherpa (1)

Mingma Dorchi Sherpa (1)

Mingma Thinduk I Sherpa (3) [2º cume no K2]

Mingma Thinduk II Sherpa (1)

Muktu Lhakpa Sherpa (5) [2º cume no K2]

Nga Tenji Sherpa (1)

Pecchumbe Sherpa (2)

Jamling Bhote (3)

Entre os nepalis, Halung Dorchi Sherpa tornou-se um dos mais jovens a culminar o K2, aos 22 anos de idade. Já Mingma Thinduk I e Muktu Lhakpa tornaram-se uns dos raros alpinistas a fazer cume no K2 por duas vezes (já haviam culminado em 2006).

 

III - Broad Peak:

Também no dia 31, fizeram cume no vizinho Broad Peak (8047m) os irmãos iranianos Reza e Sohbatollah Bahadorani. Com eles, também esteve no ponto mais elevado o polonês Pawel Michalski, em seu terceiro 8000.

 

IV - Gasherbrum II:

Por fim, igualmente no dia 31 de julho, culminaram o Gasherbrum II (8035m) os espanhóis Manuel (Lolo) González Diaz (4 cumes 8000), José Enrique Carboné Gordillo (1º 8000) e o famoso Ferrán Latorre, retomando sua carreira e fazendo seu 7º oitomil.

 

PICOS MENORES

 

Nem só dos gigantes 8000 vive o montanhismo do Paquistão. No Karakoram há inúmeras agulhas e montanhas entre 5000 e 7000 metros altamente desafiadoras e interessantes, e que são alvo de múltiplas expedições na presente temporada.

 

No K7 (6934 m), a equipe composta por Hayden Kennedy e Kyle Dempster, americanos, e Urban Novak, esloveno, conquistou, em 21 de julho, uma nova e dificílima rota na vertiginosa Parede Leste, com mais de 1500 metros de desnível em pura rocha.

 

Na Torre do Trango (6286 m), equipe iraniana liderada por Hamdi Amiri pôs quatro alpinistas no cimo – Hassan Gerami, Hamid Reza Shafaghi, Abbas Mohammad e Pejman Zaafari –, os primeiros do Irã e os primeiros muçulmanos a culminar a Torre Sem Nome. Além dos persas, também estão tentando cume duas expedições coreanas distintas, ambas com dois membros cada, mas por rotas distintas.

 

O Latok I (7145m) foi alvo de três expedições distintas, que estão em andamento. A primeira, americana, com o famoso Josh Wharton de líder, está em sua quarta temporada no Latok (tentaram rotas novas em 2007, 2008 e 2009). Há também uma expedição russa, três membros, e uma sul-coreana, nove integrantes. Até o momento não há informações concretas sobre o desenrolar dessas equipes.

 

Uma das montanhas rochosas mais difíceis do planeta, o Ogre (7285 metros) foi tentado por forte time italiano – Herve Bermasse, Daniele Bernasconi e Martino Peterlongo –, mas não conseguiram prosseguir, e já desistiram. Outro time, de Kyle Dempster, Urban Novak e Hayden Kennedy, que obteve sucesso no K7, iria tentar o Ogre também, para fazer uam dobradinha, mas até o momento não há informação precisa sobre o desfecho da aventura.

 

O Kanjut Sar (7760 metros) é o sonho e a pedra no sapato do russo naturalizado norte-americano Lev Loffe. Ele já tentou a montanha em 2004, 2008 e 2010, sem obter êxito. Retorna em 2012, para abrir uma nova rota nesse gigante gelado, na companhia de Yuri Soyfer, Alexander Chesnokov, Vladimir Belous, Alexey Panchenko e Serguey Sukharev. Tomara que essa seja a temporada definitiva e que ele finalmente conquiste esse 7000 poucas vezes visitado.

O colossal Masherbrum (7281 metros) está sendo atacado por time italiano composto por Andrea Tosi, Andrea Balzamani e Elena Balzarini.

 

Por Rodrigo Granzotto Peron

As presentes informações são preliminares e sujeitas a acréscimos, correções e alterações no futuro, à medida em que dados mais precisos retornem da temporada de verão do Karakoram.

Publicidade