Patrick Edlinger, lenda que se foi muito cedo - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
O mundo perde uma lenda da escalada

Patrick Edlinger, lenda que se foi muito cedo

Patrick Edlinger morreu sexta-feira dia 16 de novembro, de uma infeliz queda em sua casa em La Palud-sur-Verdon (Alpes de Hautes Provence), ele tinha só 52 anos de idade.

Fonte: Texto: Parofes

Patrick estava no início de um fenômeno que ocorreu no final de 1982 com filme de Jean-Paul Janssen "A vida pelas pontas dos dedos", que teve o maior impacto sempre no público francês, projetando uma “luz” incrivelmente forte na beleza e prazer que a escalada poderia proporcionar. A mania que ele criou resultou em um grande número de jovens adotando escalada como esporte, e a maioria das escolas a construir paredes de escalada nas suas dependências para que as crianças pudessem praticar a escalada.

 
Patrick não tocou somente as gerações mais jovens, mas também os mais velhos, jovens entre 20 e 30 anos de idade.
 
Mas ele foi muito além disso, a ponto de que por vários anos ele se tornou o desportista n°1, o preferido na França, antes de Michel Platini, líder da seleção de futebol francesa campeã do campeonato da UEFA de 1984. Mesmo sendo um esporte reservado a relativamente poucos, a escalada se tornou realmente popular ao longo de alguns poucos anos.
 
O filme:
 
Françoise Giroud (um jornalista francês famoso na época) escreveu em seu jornal  L'Express, em 1983, quando o filme foi exibido ao público:
 
"O filme 'A vida pelas mãos' deve ser exibido na TV em um momento de grande audiência, horário nobre. O que este jovem faz com o risco de sua própria vida em um tipo de intoxicação lúcida não tem nenhum sentido aparente. É um caso que tem consigo mesmo, que ele controla, uma dessas extravagâncias insanas que apenas os seres humanos são capazes, e que os torna amáveis apesar de tudo".
 
Yvan Audouard, outro grande jornalista (Le Canard Enchaîné) ao mesmo tempo, escreveu: "Durante 5 minutos de filme Jean Paul Janssen, eu tirei o som e vi um louco colocar sua vida em jogo estupidamente em uma parede de rocha, onde ele arriscava uma queda em qualquer momento. Coloquei de volta o som e ouvi esse maníaco cujo nome é Patrick Edlinger falar calmamente, com lógica, sobre sua aventura, sua loucura... estávamos perante um artista, este é um homem que quer saber quem é, do que ele é capaz, até onde ele pode ir, longe demais, e que estava fazendo o milagre só ao alcance dos seres humanos, conhecer a si mesmo para realizar-se”.
 
Autobiografia inacabada
 
Na autobiografia inacabada, escrito por seu amigo Jean-Michel Asselin, à ser publicada no próximo mês de Janeiro, Patrick escreveu o seguinte para os leitores:
 
"Gostaria que todos os seres humanos, independentemente da sua atividade, vivam plenamente como homens livres. É preciso levar a vida com humor e desprendimento. É preciso saber como permanecer humilde, ouvir os outros e tentar ajudá-los. Não importa se julgam que o mundo está cheio de idiotas ou gananciosos, pode ser que nós sejamos parte deles, por isso essa idéia de pensar nos outros e tornar a vida mais bonita para todos. Com toda a minha simpatia!
Patrick Edlinger
 
Morte prematura
 
Patrick caiu das escadas de sua própria casa, uma queda fatal, tirando-lhe a vida ainda muito jovem. Constantemente foi descrito por jornalistas pelo mundo como sendo o “Deus da Escalada em Livre”. Uma pena sua vida ter um final tão inapropriado para uma verdadeira lenda da escalada livre em rocha.
 
Fontes de pesquisa: 
 
 

Publicidade:


Publicidade

Publicidade