Estudo revela material fecal em agarras - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Que M... de agarra!

Estudo revela material fecal em agarras

Pesquisadores publicaram um estudo na revista Current Microbiology garantindo que todas as agarras analisadas em quatro ginásios de escalada diferentes contêm microrganismos associados a material fecal.

Fonte: Desnivel.com

O alerta no mundo da escalada foi publicado na versão digital da revista americana Climbing . A próxima vez que seu parceiro de escalada disser que "isso é uma merda de agarra", pode significar mais do que o seu tamanho ou a textura, escreve Dougald MacDonald . Um estudo publicado neste verão na revista Current Microbiology argumenta que os pesquisadores descobriram que cada agarra de uma parede de escalada têm vestígios de microorganismos associados à material fecal . O relatório observa que a análise sugere a presença de uma camada fecal em agarras de paredes de escaladas cobertas como nos ginásios de scalada.

A amostra analisada corresponde à superfície de três agarras que foram coletadas em quatro ginásios da Nova Inglaterra e da Carolina do Norte em 2011. Os nomes destes ginásios foram mantidos sob anonimato. As dezenas de agarras analisadas ??fizeram parte das fases iniciais do seu estudo e não tinham sido lavadas à pelo menos um mês. O DNA extraído destas agarras foi analisado a fim de localizar a presença de vários tipos de microorganismos.

A cientista que liderou o estudo, Dra. Suzanna Bräuer , professora de biologia da Appalachian State University, em Boone (Carolina do Norte), explicou que os micróbios presentes em agarras se dividem em três tipos principais: os que estão associados com o ambiente geral (especialmente o chão), de origem humana (pele e da boca) e fezes (de humanos ou animais).

O estudo mostra que a proporção de micróbios provenientes de ambientes externos é superior à encontrada em estudos semelhantes de outros microrganismos em ambientes fechados, em comparação com aqueles a partir de fontes humanas. Ela concluiu que "como as comunidades microbiológicas associadas com os seres humanos normalmente contêm uma maior abundância de organismos patogênicos humanos e patógenos oportunistas, pode-se concluir que na escalada representam um risco potencialmente menor se comparado com outros ambientes internos".

O que acontece com as fezes?

Quanto à matéria fecal, Bräuer, montanhista, médico e escalador de ginásio, afirma que "embora seja impossível afirmar no estudo, estaria inclinado a pensar que a fonte mais provável de bactérias fecais seriam as fezes de algum cão ou outro animal. Se a agarra apresentasse material fecal humano além da Escherichia coli, seria uma grande ameaça. Acho que é muito improvável, mas insisto que é impossível dizer com o tipo de dados que coletamos . Tudo o que sabemos é que a E. coli foi fortemente encontrada e que se supõe ser de origem externa." O que implicaria que são os próprios escaladores que estão contaminando as paredes de escalada com microrganismos que tenham involuntariamente coletado em outros ambientes.

As soluções aplicáveis ??são de higiene básica, apesar do baixo risco representado pela presença de matéria fecal nas agarras. Por um lado os escaladores devem tomar precauções simples, como lavar as mãos cuidadosamente antes e após a escala, assim como os solados das sapatilhas. Por outro lado, outro autor do estudo, Dr. Erik Rabinowitz argumenta que “os ginásios de escalada devem limpar suas agarras com maior freqüência. "

Publicidade:


Publicidade

Publicidade