CARATUVA abaixo de ZERO! e algumas considerações

0

“Mesmo que todos façam a sua parte” ainda faltará uma parte que não é comum a ninguém, e é por isso que vislumbro a necessidade de restringir o acesso de visitantes bem como as áreas de acampamento.

Nesta última terça-feira a previsão do tempo para Curitiba estava em -1º, assim, provavelmente, teríamos uma temperatura próxima dos -5º na serra do mar paranaense. Diante disso, no intuito de tirar belas fotos e curtir uma noite agradável e tranqüila, resolvi enfrentar o frio e subir o Caratuva.

Chegando à fazenda Pico Paraná, fiquei surpreso com a quantidade de carros, eram 5 além do meu, o que me levou a fazer algumas considerações. Do formulário descobri que as mais de 15 pessoas pessoas estavam divididas entre Pico Paraná, Itapyroca e Ferraria.

Esses números são bem significativos, pois, teoricamente, num dia de semana acreditava que a serra ficasse mais vazia, com apenas alguns perdidos, e não com 15 pessoas!!! Há 7 anos atrás, nunca encontrava pessoas andando pela serra em dias de semana.

Isso indica que nossas trilhas paranaenses são tão freqüentadas durante a semana como em finais de semana, o que me leva a concluir que elas não têm sequer um dia de descanso para se recuperarem. A fauna local já teve que aprender a conviver com os visitantes humanos.

O aumento no número de visitantes traz um sério problema para a manutenção das trilhas, e principalmente para a não degradação da vegetação dos cumes.

Para resolver esses problemas é extremamente necessário a efetiva instalação dos parques que há tempos estão criados, e, lamentavelmente, o acesso também deverá ser controlado, como na travessia PETRO-TERE, o número de visitantes por dia deve ser restringido. Um fato positivo de restringir o acesso é que as diversas trilhas receberão uma quantidade mais equânime de visitantes, fazendo com que não haja tamanha degradação em algumas e outras fechem no esquecimento.

Algo que há tempos venho refletindo é sobre os acampamentos em cumes, que devem ser, ao máximo, evitados, já que causam sérios problemas na vegetação local. Sei que dormir nos cumes da serra do mar é algo fantástico, mas a degradação que tenho visto é inadmissível. Práticas como as adotadas no parque estadual do Marumby são vitais para a manutenção dos cumes.

Após estas reflexões, percebi que já estava chegando ao cume do Caratuva, donde pude apreciar um belo nascer do sol, tirar lindas fotos e ajudar um pouquinho na degradação do local, embora tenha trazido muito lixo encontrado na trilha

“Mesmo que todos façam a sua parte” ainda faltará uma parte que não é comum a ninguém, e é por isso que vislumbro a necessidade de restringir o acesso de visitantes bem como as áreas de acampamento.

Compartilhar

Sobre o autor

Johny Genvensis - Colunista

Falta o Johny escrever a BIO.

Comments are closed.