Conquista da via Discovery Man na Pedra do Cruzeiro, Gonçalves MG

0

A Pedra do Cruzeiro chama bastante atenção de quem vem de São Bento do Sapucaí em direção à Gonçalves, no coração da Mantiqueira em Minas. Poucos sabem qual é o nome dela e o único indicativo do local é uma placa que diz -bairro atrás da pedra-. Por este motivo chamei ela durante muito tempo de “pedra na frente do bairro” Até descobrir o nome verdade dela recentemente.

Pré selecionados do desafio Discovery 2015

Como minha família é de Itatiba, em São Paulo. Toda vez que vou para São Bento do Sapucaí escalar eu passo pela estradinha de Gonçalves, vindo da Fernão Dias. A Pedra do Cruzeiro desde a primeira vez que a vi me despertou o interesse em escalá-la. Até que um dia eu perguntei ao Eliseu Frechou se lá haviam vias e ele me disse que não. Comentei mais tarde com meu parceiro de escalada Rafael Wojcik sobre o local e a potencialidade de conquista e ele disse que conhecia e que inclusive havia começado uma conquista lá com o Mario Arnaud, numa fenda bem bonita que é vista da estrada.
Até tentei junto com o Rafael montar uma investida no local, mas a distância de Curitiba a Minas era um grande empecilho. Uma vez chegamos a ir a São Paulo, mas na correria da loja, o Rafael esqueceu a furadeira!
 Recentemente eu e o Rafael fomos pré selecionados para participar de um programa da Discovery Channel, o “Desafio Discovery”. Por conta disso tivemos que ir a São Paulo fazer uns testes físicos. Como o teste foi numa sexta feira, vimos nisso uma boa oportunidade de tirar o projeto do papel. Chegamos em São Bento na sexta à noite, quebrados por conta dos testes. Tivemos tempo apenas de recarregar a bateria da furadeira e a nossa.
 No dia seguinte, finalmente, após muito tempo, estávamos na frente da “Pedra da frente do Bairro” admirando a parede e procurando a fenda onde havia o projeto do Rafael com o Mario. Visualizando o morro, decidimos abrir uma linha no meio da parede, num local vertical onde visualmente podíamos distinguir um caminho enrugado com possibilidade de abrir uma via de agarras bem vertical.

Pedra do Cruzeiro em Gonçalves MG, a via Discovery man e o projeto de Rafael Wojcik e Mario Arnaud

Descobrimos o dono do terreno onde fica a pedra, o Sr. Floriano, e pedimos permissão para entrar e começar a conquista. A caminhada da estrada até a base da pedra, pelo meio de um bananal é curta e direta ao assunto. Logo começamos a nos equipar e descobrimos que estávamos sem brocas!!! Acabou que o esquecido Rafael foi em Gonçalves comprar o material que faltava e eu fiquei por ali sondando a parede, inclusive descobrindo a fenda onde meu parceiro e o Mario Arnaud haviam começado a via anos antes. O Rafael certamente é uma das pessoas que mais abriu vias no Brasil, com conquistas de Santa Catarina ao Ceará. São tantas que ele nem lembra o nome. Acho que ele piorou muito e agora não lembra mais o nome das vias, o local que abriu, anda esquecendo a furadeira e as brocas….

Pedra do Cruzeiro vista do Bairro Atrás da Pedra

O começo da via Discovery Man

Menos de uma hora depois meu parceiro voltou equipado e começamos a tocar pedra acima. O começo da via foi meio confuso até acharmos uma boa passada por uns platôs cheios de brachiaria, esta seria a primeira enfiada da via, um acesso até um platô onde acaba a vegetação e começa a escalada propriamente dita. Fizemos esta escalada meio em simultâneo sem bater nenhuma proteção.

Dali o Rafael partiu pra cima, escalando um trecho bonito bastante enrugado com algumas possibilidades de colocar peças pequenas. Após um balcão ele bateu a primeira proteção da via e virou uma barriga para cima de um grande platô onde há uma palmeira. Ali ele parou para me dar segurança. Quando eu vinha de segundo, fui atacado por um marimbondo e tomei uma picada no pescoço. Acabei levando uma pequena queda, mas recuperei e cheguei ao platô para seguir guiando o que seria a enfiada “filet com fritas” da via.
Dali em diante a parede empina e fica bastante vertical, mas, no entanto, a grande oferta de agarras permitiu uma escalada fluida, bonita e reta pra cima. Toquei uns 15 metros ou mais protegendo dois lances em móvel até bater a primeira chapa num pequeno platô. Ali a via fica um pouco mais difícil, talvez um 5 sup, de posicionamento. Bati uma segunda chapa uns 4 ou 5 metros acima e entrei no lance mais delicado da via. Com regletinhos para a mão e pé. Agarrinhas boas, mas num lance bastante vertical. Fiz alguns movimentos, parei num lancezinho delicado, tirei a furadeira e acabai protegendo o que seria o crux da via com a panturrilha bombando em equilíbrio total. Nada de outro mundo, mas fazer isso com peso nas costas e conquistando, com muitas laquinhas podres, foi bastante psicológico. Um pouco para cima ficou estabelecida a terceira parada. De fato, uma escalada linda!

Começo da terceira enfiada, o Filet Mignon da via

Rafael Wojcik no segue durante a conquista da via Discovery Man

O Rafael veio de segundo apenas curtindo a escalada. Ele gostou bastante e elogiou a linha e o comprometimento. Fizemos uma breve reunião e ele partiu pra cima pra conquistar a última enfiada, mais 30 metros de via, também escolhendo o lugar mais bonito, privilegiando uma escalada fluida e constante, quase sempre 5 grau de boa movimentação. Ele bateu a P4 e fui em direção a ele.
Dali para o alto ainda cabia mais uma enfiada, mas o lance parecia ser bem fácil. A Pedra do Cruzeiro tem bastante vegetação no topo e inclusive uma cruz (daí o nome). No momento achamos que não valia a pena escalar o costão com mato apenas para a via ficar maior, preferimos descer e duplicar as paradas ao invés de conquistar um lance tranquilo apenas para se aproximar do cume.

Rafael conquistando a quarta enfiada da via Discovery Man em Gonçalves MG2

As paradas então ficaram equipadas com chapas com argolas e um Grampo P de ½ polegada. Na descida acabamos visualizando um lance de saída melhor e adicionamos uma primeira parada há 25 metros do chão e um grampo intermediário nesta primeira enfiada que é o lance mais fácil da via. Ela então sai perto de uma grota de pedra, num local bem óbvio. A primeira chapa, há uns 7 metros do chão é bem visível, então ficou pronta para ser repetida.

Rafael duplicando as paradas

A via acabou sendo chamada de “Discovery man”, por motivos óbvios, tem até agora 115 metros de altura, o grau geral sugerido é 4sup e o crux um 5sup de posicionamento. Não é uma via difícil, nem mesmo moleza. É daquelas escaladas recreativas de muita beleza e fluidez, um vião pra selar a primeira conquista naquela face da pedra do Cruzeiro.
Aos que forem repetir a via, apenas lembre-se que o local tem dono. Ele se chama Senhor Floriano e mora numa casa Laranja na direita da estrada, antes que ela comece a subir e seja calçada. Peça permissão e seja cordial.
 
Croquis provisório da via Discovery Man: 4sup Vsup E2 D2 115 Pedra do Cruzeiro, Gonçalves MG. Leve peças pequenas, do 0.3 ao 0.75 e duas fitas longas.
* atenção, é preciso fazer algumas alterações nos rapeis. Cordas de 60 metros não estão chegando até as paradas.
Compartilhar

Sobre o autor

Pedro Hauck - Equipe AM

Pedro Hauck é montanhista e escalador desde 1998. Natural de Itatiba -SP, reside atualmente em Curitiba-PR. Pedro gosta de escaladas clássicas e também de montanhismo de altitude, já tendo escalado algumas das mais altas dos Andes. É geógrafo, mestre em Geografia Física e atualmente faz doutorado em Geologia ambiental. Visite o Blog de Pedro em www.pedrohauck.net

Comments are closed.