Escalada na Agulha do Diabo está mais exposta após queda de proteção

1

Vista da Agulha do Diabo desde a trilha.

A Agulha do Diabo em Teresópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro chama a atenção de todos que passam pelo Parnaso pela sua beleza e formato pontiagudo. Porém escalar lá ficou mais perigoso no último mês com a queda de uma das proteções da famosa Unha do Diabo.

Segundo informe publicado pela FEMERJ (Federação de Esportes de Montanha do Estado do Rio de Janeiro), o último grampo antes da parada da chaminé da unha caiu no dia 23/06. A proteção saiu da parede quando o escalador se apoiou nela com um alto seguro.

Grampo que saiu da parede.

Pelo formato e demais características do grampo, acredita-se que esse seja um dos últimos remanescentes da época da conquista, nos anos 1940. Ele estava a 2cm  de profundidade dentro da rocha e cerca de 20cm para fora, além de estar torto. De acordo com o escalador Wilson Matos, eles escutaram um estalo na rocha no entorno da proteção e ela se rompeu. O grampo ficou preso na solteira do escalador.

A escalada nessa agulha já era considerada exposta, agora ficou ainda mais perigosa até que seja feita a manutenção.

 

Verificando a profundidade que a proteção se encontrava.

Fotos: Wilson S. Matos Jr

 

 

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

1 comentário

  1. Avatar
    Michel Moreira em

    Passei por ele dois dias antes do incidente, e ainda comentei: “_Grampo sinistro, nunca que isso segura uma vaca!”, seguido de uma risada. A verdade é que já passou da hora de deixar de romantizar e manter as proteções arcaicas das conquistas no PARNA$O, e cobrar uma reforma das vias…

Deixe seu comentário