Instalação de caixa de cume no Mirante do Inferno gera polêmica e é removida

1

Uma caixa de cume instalada no Mirante do Inferno na Serra dos Órgãos desencadeou uma grande polêmica nas redes sociais e nos aplicativos de troca de mensagens. Isso aconteceu pois  um grupo decidiu instalar por conta própria uma nova caixa de cume no local. No entanto, outros frequentadores da região condenaram a ação.

A caixa de cume instalada no Mirante do Inferno

Manifestação feita no Instagram.

De acordo com os montanhistas, a fixação da caixa de cume foi inadequada, agredindo a montanha e o objeto foge do padrão utilizado na região. Além disso, eles alegam que a intervenção causou poluição visual do local.

Com a repercussão na internet, o grupo Espartanos Mountain responsáveis pela instalação da caixa alegam que não queriam causar o mal estar, mas apenas substituir a caixa de cume antiga que estava danificada.  “Fui ao Parque pela primeira vez e constatei que já havia uma caixinha, porém estava toda amassada, vandalizada. Então, passei email para o parque, só que não tive retorno e ME PRECIPITEI em colocar uma nova caixa de cume nova”, escreveu o representante do grupo. Ele também afirma que entrou em contato com o Parque Estadual da Serra dos Órgãos e que a caixa será retirada. “Peço desculpas pelo transtornos, mas tudo foi por uma boa intenção”, completou.

A caixa de cume foi removida hoje.

A polêmica caixinha de cume sendo removida.

Para que serve uma caixa de cume?

Nos cumes de montanhas brasileiras e até mesmo em outros países é comum encontrar pequenas caixas de metal. Ela é utilizada para proteger o livro de cume da chuva, vento e outras intempéries. Por sua vez, o livro de cume é muito útil em casos de busca por desaparecidos, pois ele é utilizado por quem chegou até aquele ponto da montanha para fazer anotações sobre o percurso, condições físicas, destinos entre outras anotações.

Normalmente as caixas de cume são instaladas por clubes ou associações de montanhistas e seguem o padrão utilizado na região.  No entanto, o local escolhido não deve interferir na paisagem. No estado do Paraná e na região do Parque Nacional do Itatiaia é comum que elas sejam fixadas em uma pedra. De acordo com o montanhista Henrique Paulo Schmidlin (Vitamina), as primeiras caixas de cume no Paraná foram idealizadas pelo montanhista Rudolfo Stamm, falecido em 1959. Já no Parque Nacional da Serra dos Órgãos ou em montanhas do Chile, as caixas ficam soltas apenas cobertas por pedras para que não sejam levadas pelo vento. 

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

1 comentário

  1. Uma ação que exemplifica uma das mais simples convenções da sociedade, a educação materna.
    É de bom grado pedir permissão ao se visitar a casa alheia.
    Um ato infeliz, provocado pela incansável necessidade de transformar o mundo em uma vitrine de autopromoção. As “mídias sociais” tem criado um imediatismo desconcertante nas pessoas, o indivíduo não colocou o objeto na intenção de favorecer quem frequenta o local.

    Ficaremos na esperança que não se repita em outros lugares.

Deixe seu comentário