Chineses chegam ao topo do Everest

0

Após quase um mês de expedição, a equipe formada por alpinistas e cientistas chineses chegou ao cume do Everest nessa quarta-feira (27/05). O Objetivo da equipe era alcançar ao topo do mundo e instalar instrumentos para realizar uma nova medição da montanha.

Equipe no cume – Xinhua/Tashi Tsering

Ao todo, nove escaladores chegaram aos 8.848 metros de altitude após uma longa espera por uma boa janela de tempo. O ataque ao cume precisou ser adiado duas vezes devido ao mal tempo. Entretanto, por volta das 11 horas da manhã de ontem, eles atingiram o objetivo com céu claro. Enquanto isso, a equipe na base comemorou o feito com aplausos e espumantes.

Comemoração dos demais integrantes da equipe na base – Foto: Xinhua/Jigme Dorje

As novas medidas ainda não tem data para serem divulgadas. Segundo o Ministério de Recursos Naturais da China, os cálculos deverão ser feitos em até três meses. Assim, além de utilizar equipamentos mais precisos de geolocalização, os cientistas chineses também esperam analisar se os abalos sísmicos interferiram na altitude da montanha. Todavia, a China e o Nepal concordaram em anunciar juntos a altura do Everest.

No cume eles também instalaram uma antena e realizaram uma pesquisa GNSS, a medição da profundidade da neve e uma pesquisa da gravidade. Assim, essa última estabeleceu um novo recorde mundial como a mais alta já feita.

Instalação de antena no cume do Everest – Foto: Xinhua/Tashi Tsering

Outro fato que entrará para história é que esses nove escaladores possivelmente serão os únicos a chegar no cume do Everest nessa temporada. O Nepal mantém suas fronteiras fechadas e a China não terá expedições comerciais esse ano devido a pandemia. Esse é um contraste radical diante dos 354 escaladores que estiveram no cume em 2019.

Mais fotos da escalada:

 

Escadas para vencer trechos mais ingrimes – Foto: Xinhua/Tashi Tsering

Início do ataque ao cume ainda durante a noite – Foto: Xinhua/Tashi Tsering

Pesquisadores e alpinistas buscando o melhor caminho para o topo – Foto: Xinhua/Tashi Tsering

 

 

Compartilhar

Sobre o autor

Maruza Silvério

Maruza Silvério é jornalista formada na PUCPR de Curitiba. Apaixonada pela natureza, principalmente pela fauna e pelas montanhas. Montanhista e escaladora desde 2013, fez do morro do Anhangava seu principal local de constantes treinos e contato intenso com a natureza. Acumula experiências como o curso básico de escalada e curso de auto resgate e técnicas verticais, além de estar em constante aperfeiçoamento. Gosta principalmente de escaladas tradicionais e grandes paredes. Mantém o montanhismo e a escalada como processo terapêutico para a vida e sonha em continuar escalando pelo Brasil e mundo a fora até ficar velhinha.

Deixe seu comentário