Conquista no Canionismo Brasileiro: maior cascata da Serra Geral já conquistada

1

Os contrafortes da Serra Geral continuam guardando segredos e aventuras. Na região próxima aos Aparados da Serra, um grupo de canionistas conquistou mais um grande cânion. A conquista se deu entre os dias 30 de abril a 2 de maio de 2021.

Alto da serra na aproximação. Foto Fabricio Magagnin

A cascata a ser vencida. Foto Frank Lummertz

A equipe com Daniel, Frank e Filipe equipados. Foto Bife Filmes

Trata-se da cânion Amola Faca/Encerra, no município de São José dos Ausentes, RS. O cânion do Amola Faca conta com uma das cascatas mais emblemáticas da Serra Geral e segundo um levantamento recente, trata-se da 16° maior cascata do Brasil, com 243 metros de altura. Essa cascata é formada por um salto só, vertical e tendo muitas partes em negativa.

Na base da cascata. Foto: Frank Lummertz

Foram ao todo, na cascata principal, um corrimão, 4 rapeis fracionados com 4 reuniões. Na contagem dos conquistadores a cascata superou os 243 metros, alcançando 259 metros conforme a contagem das cordas, um recorde para o canionismo nacional. Em seguida no cânion teve mais 3 cascatas que variaram de 25 a 35 metros. A equipe de canionista praiagrandenses estava formada pelo experiente escalador e guia de montanha (AGUIPERJ) Filipe Ronchi, junto aos canionistas Frank Cardoso Lummertz (APCE) e Daniel Lorenzoni da cidade de Treviso, SC.

A empreitada durou dois dias e uma noite bivacada no interior do cânion Amola Faca, no estilo mais puritano do montanhismo, com poucos equipamentos de bivaque e muita experiência. No primeiro dia, ainda de madrugada, a equipe fez a aproximação subindo a Serra do Faxinal até a cidade de São José dos Ausentes e nas primeiras horas da manhã deram início aos trabalhos de grampeações.

Iniciando a grampeação. Foto Bife Filmes

Iniciando a descida. Foto Bife Filmes

Foram aproximadamente 6h de trabalhos verticais para concluir as grampeações, descida e recolhimento dos equipamentos, acampando próximo ao leito do rio no interior do cânion. Na manhã seguinte, derem sequência, conquistando mais 3 quedas. A caminhada de fuga do cânion durou aproximadamente 8h, percorrendo 7km do cânion com leito repleto de seixos monumentais e paredes verticais incríveis, saindo na cidade de Timbé do Sul, SC.

Apesar da aproximação do inverno na região Sul, com temperaturas que chegam próximas de zero, o grupo esperou por uma janela de clima favorável com temperaturas mais elevadas e clima estável, visto que chuvas tornariam a conquista quase impraticável. Essa conquista sinaliza um marco para o canionismo nacional e principalmente para a região da Serra Geral no Sul do país, sendo o salto mais alto já conquistado, evidenciando a elevação técnica dessa modalidade no país. Lembrando que os cânions da Serra Geral são formados por basaltos partidos onde o risco de desmoronamento são grandes. A via/linha aberta, foi batizada de Canaleta da Ressurgência. Os canionistas avaliaram a descida como bastante técnica e de caminhadas longas pelo leito do rio. Em breve esperam disponibilizar um documentário em vídeo para os amantes das montanhas e cânions.

Amanhecer no bivaque. Foto: Filipe Ronchi

Frank e Daniel encordados na descida. Foto Fabricio Magagnin

Vista do Amola Faca. Foto Fabricio Magagnin

Compartilhar

Sobre o autor

1 comentário

  1. Olá,
    Me parece que o recorde do canionismo nacional ainda é a conquista da Cachoeira da Neblina, no PARNASO, Rio de Janeiro. Feito da equipe do 6hardxpeditions, em 2018. A queda d´água tem cerca de 450 metros, sendo a mais alta do Brasil. Confere?
    Abraços!

Deixe seu comentário