Ibitipoca

0

Este é um dos menores dos parques brasileiros, onde você encontrará a bela natureza típica do Espinhaço, com trilhas em campos rupestres, montanhas cênicas, cachoeiras em paredes estriadas e delicadas grutas sedimentares. Você também irá se surpreender com a ótima conservação e sinalização deste precioso parque.

Lago dos Espelhos, Ibitipoca, MG

O PE do Ibitipoca fica próximo de Juiz de Fora. O acesso é feito pela estradinha de terra que sobe a partir de Lima Duarte. Ele é uma feliz e rara exceção dentre os parques brasileiros, por ser cuidadosamente mantido e sinalizado. As trilhas são limpas, o camping é bem servido e situado, e o Centro de Visitantes é muito informativo.

Os primeiros homens brancos que chegaram à região foram os bandeirantes vindos de Taubaté. A descoberta do ouro levou Ibitipoca a um breve apogeu, devido ao êxodo causado pelas minas de Ouro Preto. A região passou então a ser percorrida pelos aventureiros que evitavam a Estrada Real, onde a Coroa exercia a fiscalização sobre o trânsito do ouro.

Apesar da visita do naturalista Saint Hilaire, Ibitipoca continuou pobre e despovoada. No século seguinte, a Igreja procurou apossar-se das terras então devolutas, construindo uma capela nos altos do Pico do Pião. O Estado de Minas recuperou na Justiça a posse e, quarenta anos depois, lá criou o atual Parque.

 

Mapa do PE Ibitipoca, Lima Duarte, MG

Apesar disto, a população continuou isolada até uns 20 ou 30 anos atrás, quando o Parque foi dotado de boa infraestrutura. Só então, ela começou a se relacionar com pessoas de fora. Entre os anos que separaram minhas duas visitas, pude perceber que os caboclos caipiras tinham (talvez infelizmente) se tornado uma minoria.

O Parque tem apenas 1.500 ha, num formato parecido com um triângulo com a base pousada sobre um retângulo. Esta base corresponde à distância de 3 km entre as bordas oeste e leste do Parque, que é a sua maior largura. Nelas estão os dois maiores picos, o Lombada e o Pião. O comprimento é bem maior, de 6 km entre as extremidades norte e sul. Curiosamente, as duas principais atrações estão nestes extremos, a Janela do Céu e a Cachoeira dos Macacos.

Talvez o aspecto mais interessante seja a coerência do ecossistema. Ele é característico do Espinhaço, com paredes rochosas de estrias horizontais, vegetação árida porém variada, cavernas sedimentares e gélidas águas na coloração âmbar. Você encontrará no Parque tanto campos rupestres como matas montanas. Ao longo das gramíneas, verá belas orquídeas, canelas de ema e cactos, tanto quanto bromélias, barbas de velho e candeias nas matas.

Janela do Céu, PE Ibitipoca, MG

Existem três tipos de atrativos no Parque: montanhas, cavernas e cachoeiras. Podem ser aproveitadas em conjunto, através de dois principais percursos, a Janela do Céu e o Pico do Pião. Serão percursos de 16+ km – ou 3 km menos, se você acampar no Parque.

Pico da Lombada, Ibitipoca, MG

O Pico da Lombada ocupa uma corcova na serra, de onde você poderá descortinar toda a reserva. Basicamente, você só sobe até ele e só desce depois dele. A trilha termina na Janela do Céu. Esta é uma pequena corredeira, encaixada num cânion, cujas águas chegam a um lindo remanso, antes de se precipitarem pela cachoeira. Nesta trilha e na seguinte, você encontrará grutas em arenito.

O caminho para o Pião não é tão bonito quanto a do Lombada, por ser menos rupestre. No alto do Pico, você verá o assoalho da antiga capela – foi quando a Igreja tentou se apossar das terras. Na volta, poderá percorrer o Circuito das Águas, desde o Lago dos Espelhos até a Cachoeira dos Macacos. Estas são regiões baixas, de fácil acesso, comumente cheias de turistas.

Vista do PE de Ibitipoca, Lima Duarte, MG

Na realidade, existe uma trilha (proibida) que une os dois picos, como se fosse uma via circular pelas bordas. Mas não acho que convém fazê-la, pois as águas convidam a banhos e a repouso, o que tornaria a travessia muito demorada. A principal bacia é a do Rio Aiuruoca, cujas nascentes ficam na base do Agulhas Negras.

Evite viajar para Ibitipoca no verão, devido a chuvas e raios frequentes. Se for acampar, reserve antes o seu lugar no camping (se não for por ordem de chegada). Planeje ao menos dois dias, para conhecê-lo bem. E não deixe de visitar as duas igrejinhas da vila, de provar da farta cozinha mineira e de comprar a especialidade local, o saboroso pão de canela.

Compartilhar

Sobre o autor

Alberto Ortenblad - Colunista

Nasci no Rio, vivo em São Paulo, mas meu lugar é em Minas. Fui casado algumas vezes e quase nunca fiquei solteiro. Meus três filhos vieram do primeiro casamento. Estudei engenharia e depois administração, e percebi que nenhuma delas seria o meu destino. Mas esta segunda carreira trouxe boa recompensa, então não a abandonei. Até que um dia, resultado do acaso e da curiosidade, encontrei na natureza a minha vocação. E, nela, de início principalmente as montanhas. Hoje, elas são acompanhadas por um grande interesse pelos ambientes naturais. Então, acho que me transformei naquela figura antiga e genérica do naturalista.

Deixe seu comentário