Nossas Serras (4/25): A Mantiqueira

1

Acredito que, se eu tiver um lar, ele estará na Mantiqueira. Não sei bem onde, talvez na Pedra do Altar, no Vale do Aiuruoca, no Planalto do Charco ou na Cachoeira dos Garcia. Percorri durante meus melhores anos seus vales e montanhas. Foi nelas que começou meu interesse pela natureza. Com o tempo, conheci quarenta das montanhas do quadro que acompanha este artigo. Ao fazê-lo, vi que minha curiosidade irá me obrigar a conhecer as demais.

A origem da Serra da Mantiqueira remonta à ruptura do Continente Gondwana, quando a América e a África estavam unidas. As colisões geradas entre as respectivas placas tectônicas soergueram a Mantiqueira primitiva. Com o fim do processo, esta formação foi erodida por milênios até quase o nível do mar. Isto desenterrou o antigo alicerce cristalino, formado por granitos e gnaisses pré-cambrianos, que eram bem mais antigos.

Imagem do Horst e Graben (Fonte: Thomas Wood & Outros)

Esta origem está associada a dois importantes acidentes geográficos: o Vale do Paraíba e a Serra do Mar. Eles resultaram da fossa tectônica que se formou pelo afastamento das placas. Isto provocou uma região deprimida, confinada entre zonas elevadas, que os geólogos apelidam de graben e horst. Neste processo, o magma interno emergiu e solidificou, sob a forma de rochas graníticas. O vale é o graben e as serras são o horst, veja as figuras.

O Vale do Paraíba e as Serras da Mantiqueira e do Mar (Fonte: IGEO-UFRJ)

Muito tempo depois, iniciou-se uma atividade vulcânica numa extensa linha que ia de Poços de Caldas a oeste até Cabo Frio a leste. O maior destes vulcões formou uma enorme montanha pontiaguda, abrangendo o espaço entre Itatiaia e Passa Quatro. Diferentemente das rochas anteriores, os sienitos eram pontudos e empilhados, criando a distinta fisionomia das montanhas da região do Agulhas Negras.

Esta história violenta teve como consequência a criação de diferentes rochas, desde plutônicas a ígneas. Assumiram formatos surpreendentes, como o impressionante corpo estriado do Agulhas Negras e os penhascos rochosos das Prateleiras, do Marins e do Itaguaré. E também desenhos amenos com as formas agudas da Serra Negra, da Pedra Furada e do Focinho de Cão, bem como os perfis arredondados da Mina e do Maromba. Na Mantiqueira estão muitas das nossas mais altas montanhas (ver quadro).

Localização da Serra da Mantiqueira (Fonte: Itamonte.net)

Acredito que a Mantiqueira comece na Cantareira, ao norte da Grande São Paulo. Dizem outros que o início é em Bragança Paulista e o fim, em Barbacena. Entretanto, a meu ver ela se prolongaria mais além a leste, até Araponga. No seu percurso nordeste ao longo de Minas, teria 500 km de extensão.

As Maiores Montanhas da Mantiqueira

A Mantiqueira é uma serra historicamente importante. Ela é 60% mineira, 30% paulista e 10% carioca. Esta posição entre os três principais Estados do Sudeste fez dela passagem obrigatória nos tempos coloniais, em especial durante os ciclos do ouro e do café. Assim, é uma formação de muito passado, muitas histórias e muitas lendas.

O Mosaico Mantiqueira (Fonte: ICMBio)

Seu nome, que significa serra que chora ou então gota de chuva, vem de suas muitas águas. Elas formam grandes bacias, como as do Rio Grande e do Paraíba do Sul. Esta abundância de água explica a densa mata atlântica que ainda a recobre e a rica fauna nativa que ainda nela sobrevive, apesar de tantas agressões à sua natureza.

A Pedra da Mina e a Serra Fina, MG (Fonte: Casa Tática)

O Cume do Agulhas Negras com as Prateleiras ao Fundo, RJ (Fonte: Daniel Moutinho)

Ao correr paralela ao Vale do Paraíba, do qual forma o bordo interior, a Mantiqueira apresenta três magníficos maciços em sucessão: o Marins, a Serra Fina e o Itatiaia. Este último é o mais conhecido de todos, e o único que abrange um Parque Nacional. Junto com a Serra dos Órgãos, ele é o berço do montanhismo brasileiro, em especial para cariocas e paulistas.

O Itaguaré Visto da Serra dos Marins, MG (Fonte: Thiago Freela)

A Região da Serra do Papagaio, MG (Fonte: Marcelo Arantes)

As formações rochosas da Mantiqueira favoreceram a criação de alguns parques naturais. O primeiro PN brasileiro foi estabelecido lá, no planalto de Itatiaia. Existem dois PE em Minas, do Papagaio e do Brigadeiro, e um em São Paulo, de Campos do Jordão. A meu ver, todo o espigão mestre da Mantiqueira, estendendo-se desde o Marins até a Serra Fina, deveria constituir um parque – mas a antiga proposta de criar o PN Terras Altas da Mantiqueira não avançou.

O Pico do Boné na Serra do Brigadeiro, MG (Fonte: WC)

Existe no sul de Minas uma grande extensão de terras altas associadas à Mantiqueira, desde Aiuruoca e Alagoa até Baependi e Virgínia. Através delas você pode percorrer vales e cristas deslumbrantes, com alternância entre rios sombreados, vales pitorescos, íngremes escarpas, cristas longínquas e cumes panorâmicos. As travessias da Serra Fina e do Marins-Itaguaré são incríveis, certamente das mais belas do país (ver o quadro e os croquis).

Travessia da Serra Fina (Fonte: Alberto Ortenblad)

Travessia Marins-Itaguaré (Fonte: Freddy Duclerk)

Algumas Travessias na Mantiqueira

As pequenas vilas nos sopés da Mantiqueira olham em silêncio o esplêndido cenário das grandes muralhas rochosas que de longe as envolvem. Mas há também as vilas turísticas, que aliam o frio clima serrano à natureza exuberante, como Campos do Jordão (SP), Visconde de Mauá (RJ) e Monte Verde (MG). Como dizem, são locais que acolhem casaizinhos – portanto, procure o seu par para poder melhor aproveitá-las.

Visconde de Mauá, onde Chegam Muitas Travessias (Fonte: Divulgação)

Compartilhar

Sobre o autor

Alberto Ortenblad - Colunista

Nasci no Rio, vivo em São Paulo, mas meu lugar é em Minas. Fui casado algumas vezes e quase nunca fiquei solteiro. Meus três filhos vieram do primeiro casamento. Estudei engenharia e depois administração, e percebi que nenhuma delas seria o meu destino. Mas esta segunda carreira trouxe boa recompensa, então não a abandonei. Até que um dia, resultado do acaso e da curiosidade, encontrei na natureza a minha vocação. E, nela, de início principalmente as montanhas. Hoje, elas são acompanhadas por um grande interesse pelos ambientes naturais. Então, acho que me transformei naquela figura antiga e genérica do naturalista.

1 comentário

  1. Avatar
    Wenderson Roberto Gomes Lambert em

    Boa tarde
    Sou formado em Comunicação social com habilitação em jornalismo, em 1998 , ano em que conclui a graduação fiz um trabalho sobre a Serra da mantiqueira, ela começa na regiao de Muzambinho em Minas Gerais, passa pela regiao de Poços de caldas, passa pela cantareira na regiao de sao paulo e se estende ate as imediaçoes de Lima Duarte,

Deixe seu comentário